Home Notícias Quentinhas Só um deputado catarinense gaziou a votação

Só um deputado catarinense gaziou a votação

Dos 16 deputados de Santa Catarina, 15 votaram a favor a cassação de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) durante votação na noite de segunda-feira na Câmara dos Deputados, em Brasília. Apenas o deputado Peninha (PMDB) não votou, pois faltou a sessão. No total, foram 450 votos a favor e apenas 10 contra. Além de perder o mandato, Cunha perde os direitos políticos até 2027.
A discussão começou por volta das 20h, mas a votação só rolou perto da meia-noite. No total, 470 deputados participaram da sessão, 450 votaram a favor da cassação, 10 votaram contra, houve nove abstenções de quem não quis votar, e 42 que não deram as caras. Entre elas está o deputado catarinense Peninha (PMDB).
O DIARINHO entrou em contato com a assessoria do parlamentar, mas o telefone estava desligado. No gabinete de Florianópolis e de Brasília, ninguém passou informações sobre o motivo da ausência do deputado.
O deputado do mesmo partido, Mauro Mariani acredita que a ausência do colega foi por motivos de saúde.
Já os outros 15 parlamentares de SC votaram a favor da perda do mandato do agora ex-deputado Eduardo Cunha.
Colega de partido de Cunha, Mauro Mariani diz que a votação teve o resultado que já era esperado. “Claro que você cassar um colega sempre é uma situação constrangedora, mas todos têm exata noção das suas atribuições. Não era possível imaginar um resultado diferente, isso seria muito esquisito,” explica Mariani.

Antes e depois de Cunha
O deputado Décio Lima (PT) comenta que o processo foi um marco significativo para o Brasil. “É importante o que aconteceu ontem, não apenas pela falta de decoro e corrupção, mas se trata de extirpar da vida pública brasileira aquele que há mais de 20 anos faz da política um balcão de negócios”, tasca.
Para o deputado, a cassação foi uma sentença de morte da vida pública de Cunha, que não poderá se candidatar a nada até 2027. Além disso, Cunha perde o foro privilegiado, que dava a ele o direito de ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Com isso, os inquéritos em que ele está sendo investigado e que tem relação com a Operação Lava-Jato devem ser encaminhados à Justiça Federal em Curitiba, para as mãos do juiz Sérgio Moro.
Segundo Décio, o clima nos corredores da Câmara dos Deputados é de apreensão. “Vem aí a maior delação premiada do mundo. Cerca de 120 deputados eram a favor de Cunha (mas votaram pela cassação), e foram patrocinados com dinheiro da corrupção. Agora isso vem à tona. Um dos primeiros da lista deve ser o próprio Michel Temer, que deixou ele sozinho”, palpita Décio.
Para o deputado Marco Tebaldi (PSDB) o processo de cassação já estava praticamente decidido e a votação foi apenas para cumprir os trâmites. “Acho que foi uma atitude correta da Câmara. Não importa quem for, se deve tem que pagar”, diz.
Eduardo Cunha teve o mandato cassado porque é acusado de ter mentido na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, quando disse que não tinha dinheiro depositado em contas na Suíça. Especula-se que o ex-deputado tem mais de 50 milhões depositados em bancos no exterior.

Lista dos deputados que votaram a favor
Angela Albino (PC do B)
Celso Maldaner (PMDB)
Edinho Bez (PMDB)
Mauro Mariani (PMDB)
Ronaldo Benedet (PMDB)
Valdir Colatto (PMDB)
Esperidião Amin (PP)
Jorge Boeira (PP)
Carmen Zanotto (PPS)
Jorginho Mello (PR)
João Rodrigues (PSD)
Geovania de Sá (PSDB)
Marco Tebaldi (PSDB)
Décio Lima (PT)
Pedro Uczai (PT)

Ausente
Peninha (PMDB)

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com