Home Notícias Quentinhas Sargento é preso com arma adulterada no quartel

Sargento é preso com arma adulterada no quartel

Ele e um outro PM são suspeitos de trabalharem como ‘jagunços’ nas horas de folga

Um sargento da polícia Militar de Camboriú foi preso ontem pela diretoria Estadual de Investigação Criminal (DEIC). O policial escondia uma arma com numeração raspada no armário do quartel de Camboriú. Ele e um soldado da PM de Camboriú são suspeitos de extorquir um golpista de Balneário Piçarras e prevaricar ao deixar de prender o homem que era procurado pela justiça.
Há cerca de um mês, o empresário de Camboriú, Adriano Pupp, procurou o policial para ajudá-lo a cobrar um cara que tinha lhe aplicado o golpe. Ele teria entregado um milhão e meio em joias para o golpista Marco Aurélio Ribeiro em troca de dois apartamentos em Itajaí.
O tempo foi passando e nada do cara transferir os apês para o nome do empresário e nada de devolver as joias. Adriano chegou a procurar a polícia Civil de Camboriú e os policiais o orientaram a registrar um boletim de ocorrência para o caso ser investigado.
Sem querer esperar, o empresário procurou o sargento João Flaviano Harnifch e o soldado Luiz Alberto Sinhorim para cobrar o golpista na marra. Os três foram até a casa de Marcos em Piçarras e pegaram R$ 500 mil em joias, além de quatro cheques de R$ 125 mil.
O cara tinha uma arma calibre 38 com numeração em casa e, ao invés dos policiais prendê-lo por porte ilegal de arma de fogo, roubaram a arma dele. O sargento teria dito que se os cheques de Marcos não tivessem fundos, ele iria voltar para prendê-lo pelo porte ilegal.
Neste meio tempo, uma pessoa ligada a Marcos denunciou os policiais à DEIC. Os policiais começaram a investigar os PMs e ontem cumpriram mandados de busca e apreensão na casa do sargento e do empresário Adriano.
Segundo o delegado Adriano Bini, chefe da DEIC, na casa do sargento foram apreendidas 335 munições ponto 40, 48 munições de uma pistola nove milímetros e 10 munições de um revólver 38. Notebook, celular e um contrato de compra e venda de um carro também foram apreendidos na casa do policial.
No armário do sargento, no quartel da PM, os policiais encontraram a arma com a numeração raspada. O policial foi preso em flagrante. No local também tinha 67 munições ponto 40, 62 de calibre 38 e uma de nove milímitros.
O soldado e o empresário Adriano foram interrogados na sede da Deic e liberados. O sargento está preso no batalhão da PM de Balneário Camboriú.
Os três envolvidos no caso estão sendo investigados por roubo, extorsão e corrupção. O golpista Marco, que tem dois mandados de prisão abertos por fraudes na região, está foragido.

Polícia Militar vai investigar
Segundo o comandante da PM de Balneário Camboriú, Evaldo Hoffmann Junior, o sargento de 35 anos estava na corporação há 10 anos, morava em Camboriú e não tinha filhos.
O comandante espera a polícia Civil enviar a documentação do inquérito para que seja aberta uma sindicância para apurar a conduta do policial. “O sargento prevaricou ao não ter cumprido os dois mandados de prisão contra Marcos e não ter dado voz de prisão pelo porte ilegal de arma de fogo”, confirmou o comandante Evaldo.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com