Home Notícias Quentinhas Procon vai investigar bombada no preço da vacina da gripe

Procon vai investigar bombada no preço da vacina da gripe

Houve denúncia de aumento abusivo no preço da picada contra a gripe

Marcos Silvério do Nascimento denunciou ao DIARINHO o que considera um aumento abusivo nos preços das vacinas contra a gripe A. Algumas clínicas particulares estão cobrando até R$ 150 pela vacina. Ele acredita que o preço disparou porque a procura está muito grande. O Procon está notificando os estabelecimentos para se explicarem.
“A Bravacina, na rodovia Osvaldo Reis, está cobrando R$ 150 nas doses da vacina contra a gripe H1N1 – isso é um roubo!” reclamou. O DIARINHO publicou a matéria “Já tá faltando vacina em clínicas privadas”, no dia 31 de março. Naquela ocasião, na Clipi, em Balneário Camboriú, o valor girava entre R$ 70 (tri) e R$100 (tetra). Na maternidade Santa Luiza, os valores eram R$ 75 e R$ 85. Na clínica Curumim, em Itajaí, era cobrado R$ 70 e R$ 100. Na Bravacinas, tava R$ 80 e R$ 100. Na Citolab, em Navega, o valor era de R$ 70 e R$ 90.
“Não paguem mais que R$ 100 pela vacina contra a gripe. O Procon de Itajaí já tinha alertado para os preços abusivos. Denuncie, ligando para 151 do Procon”, orienta o denunciante Marcos.
O Procon confirma que está notificando as clínicas porque quer esclarecimentos sobre os preços. “A partir das respostas vamos verificar se houve ou não o aumento”, diz o fiscal Francisco Johannsen.
As reclamações dão conta que o preço da tetra, R$ 100, passou para R$ 150 em alguma clínicas. “Dos valores anteriores não temos provas, mas seria interessante os consumidores nos apresentarem notas fiscais ou recibos de vacinas pagas neste ano”, explica.
O fiscal explicou que se for confirmado o aumento abusivo, será instaurado um processo administrativo. A clínica poderá ser autuada e multada, com base no artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor, que considera pratica abusiva aumentar sem justa causa o preço de produtos e serviços. A multa, segundo o código, varia de R$ 300 a R$ 3 milhões.

É importada
Rodrigo Giostri, gerente da Bravacinas, explica que a clínica está trabalhando somente com a vacina quadrivalente e confirma o valor de R$ 150. Ele explica que a clínica comprou a vacina importada da Pasteur, que seria mais cara. “A gente não entende que o preço seja abusivo. Diante da imensa dificuldade de compra, fizemos um esforço muito grande para conseguir efetivar a compra no laboratório, para que as pessoas tenham acesso. É uma clínica privada, a gente sabe que existem opções mais baratas”, explicou. Sobre o valor divulgado ao DIARINHO no dia 31 de março, Rodrigo informou que era apenas uma previsão do preço que não se confirmou. 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com