Home Notícias Quentinhas Prefa quer tocar obra mata adentro

Prefa quer tocar obra mata adentro

Decisão foi comunicada em audiência. Povão quer que materiais pra garibada em área de preservação cheguem por barco

Cerca de 400 pessoas participaram de uma audiência pública pra conhecer como a prefa de Bombinhas pretende ampliar a barragem da Costeira de Zimbros, na praia do Cardoso, uma área que é de preservação permanente. A promessa é que a obra triplique a capacidade de água, mas a comunidade questiona a forma como o processo está sendo conduzido.
Durante a reunião na sexta-feira, a prefa informou que a obra vai iniciar em breve, utilizando o caminho por terra, contrariando o povão, que queria que os materiais fossem levados de barco.
A prefeita Ana Paula da Silva (PDT) garantiu que tá tudo regular e que o executivo tem pressa pra acabar a obra antes que a turistada chegue pra próxima temporada de verão. Na quinta-feira, a prefa divulgou que a Casan repassou quase R$ 1,9 milhão pra melhoria na rede de abastecimento da city.
O advogado Vinícius Valério Gasparin Rossa, representante do movimento Unidos por Bombinhas, da associação Amigos do Mariscal (Amar) e de outras associações das regiões vizinhas, falou durante a reunião. Ele surpreendeu a galera da prefa ao dizer que o povão é a favor da obra. “Ninguém é louco de ser contra uma obra de ampliação de abastecimento de água. Estamos aqui pra ajudar e pra garantir que a obra finalize até dezembro”, afirmou.
Ele aproveitou pra reivindicar que o plano Diretor de Bombinhas seja reaberto e que temas de interesse do povão sejam discutidos antes de as construções serem levantadas ou unidades de conservação devastadas. “Estamos pedindo a reabertura do plano. Queremos a participação popular. Temos que respeitar a capacidade de suporte e planejar o turismo do nosso município”, apontou.

Comitê da Bacia Hidrográfica diz que ETA não tem licença
O presidente do comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Tijucas, Adalto Gomes, participou da audiência e disse que assim como Itapema, Bombinhas não tem outorga pra utilização da água, nem da atual estação de Tratamento de Água (ETA), nem pra ampliação da mesma. O entendido diz que o tema será pauta do comitê, mas afirmou que a curto prazo a obra é de extrema importância pra comunidade de Bombinhas e região.
“Ninguém tem outorga, é o estado que emite, mas quem aprova é o comitê. Vamos discutir. Sabemos da importância e qualidade dessa água aqui de Zimbros. Acreditamos que num curto prazo pode resolver o problema da comunidade”, disse.
Em contrapartida, Adalto explicou que o comitê está numa discussão grande, pois a bacia do Perequê não tem mais capacidade pra abastecer a região e que atualmente ela é responsável por pelo menos 80% da água de Bombinhas. “Num futuro próximo, vamos ter que captar água na bacia do Rio Tijucas. É a única salvação de abastecimento num médio prazo pra Costa Esmeralda e Norte da Ilha”, decreta.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com