Home Notícias Quentinhas Prédio abandonado do Correios tá uma zona

Prédio abandonado do Correios tá uma zona

Vizinhos dizem que mau cheiro tá insuportável; andarilhos continuam invadindo o local

Água parada, catinga, entulho, ponto de uso de drogas e refúgio para moradores de rua. Essa continua sendo a situação do prédio abandonado dos Correios, na esquina das ruas Gil Stein Ferreira e Felipe Schmidt, no centro de Itajaí, segundo os comerciantes do entorno, moradores e pedestres que circulam por ali. O DIARINHO noticia o problema desde 2015 e parece que a encrenca está longe do fim.
A reportagem do DIARINHO conseguiu entrar com facilidade no prédio ontem, usando uma janela aberta.
Dentro do prédio foi possível encontrar restos de comida, roupas jogadas, parte do telhado caído, móveis quebrados, pichação, potes e outros trecos com água parada – um convite para atrair o mosquito transmisstor da dengue.
O fedor era insuportável. “Dentre os diversos problemas desse prédio, acho que o mau cheiro é o mais latente. É insuportável”, denuncia o comerciante André Patino, 80 anos, dono da lanchonete em frente ao prédio.
Quem está de passagem pela área central também se incomoda com a situação. “É complicado, tudo sujo e cheio de casqueiros”, conta o supervisor André Truppel, 46.

Dois anos
O prédio dos Correios foi desocupado em maio de 2015, depois que a empresa alugou uma nova sede na rua Camboriú. Desde então, ele vem sendo depredado, ocupado por moradores de rua e viciados.
Após inúmeras reclamações dos moradores, a direção dos Correios decidiu fechar quase todas as portas e janelas para tentar evitar a entrada dos andarilhos.
O fechamento aconteceu no ano passado, mas não resolveu o problema. Os vizinhos já denunciaram que estão entrando pelo teto e também por uma janela que ficou aberta na parte de trás do prédio – justamente a janela por onde a reportagem do DIARINHO passou.

Prefeitura notificou Correios
Ciente do problema no prédio, a prefeitura de Itajaí notificou os Correios há 10 dias. De acordo com o diretor de Controle Urbano, João Paulo Kowalski, por ser um prédio federal, o poder municipal pouco pode fazer. “Nessa gestão é a primeira notificação, mas eu sei que na administração anterior diversas ações como essa foram feitas e segue tudo na mesma”, argumenta.
Quem também entrou no prédio recentemente foram os agentes de endemias do programa de Combate à Dengue. A vistoria foi feita no dia 11 de janeiro e nenhum foco do mosquito foi encontrado. O programa avisa à população que denúncias à Vigilância Epidemiológica podem ser feitas no (47) 3249-5573.

Não retornaram
Ontem, o DIARINHO tentou ouvir a direção dos Correios, mas até o fechamento desta edição não houve resposta para o e-mail enviado pela reportagem.
No final do ano passado, o deputado federal Mauro Mariani (PMDB) entregou aos chefões dos Correios, em Brasília, um requerimento pedindo que o terreno fosse doado ao município. Não houve decisão para o pedido.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com