Home Notícias Quentinhas Paciente espera há mais de um ano por ressonância

Paciente espera há mais de um ano por ressonância

Exame pelo SUS tem demorado cerca de dois anos, informa a secretaria de Saúde

Todos os dias a diarista Carla Costa, 35 anos, acorda cedo para ir trabalhar. A maior parte do tempo ela passa em pé, lavando, passando ou cozinhando.
Desde o ano passado, ela sofre com uma dor no pé esquerdo e descobriu que tem um tumor. Há um ano e cinco meses, ela aguarda na fila de espera da policlínica central, em Itajaí, para fazer um exame de ressonância magnética.
O exame foi agendado no dia 27 de maio de 2014, mas até hoje Carla não foi chamada para fazer a ressonância. “Eu sinto muita dor, têm dias que não dá pra aguentar. A gente tem que se virar, tomar remédio pra dor, não posso usar calçado fechado, a maior parte do tempo ando de chinelo”, conta.
A diarista e moradora do bairro São João não tem condições de pagar a ressonância, que custa, em média, R$ 700. “Eu fico preocupada porque agora estão doendo os outros dedos, estendeu a dor”, diz.

Tem fila pra tudo
Não é só Carla que tá nessa situação. Segundo a secretaria de Saúde, existem cerca de duas mil pessoas na fila de espera pra fazer o mesmo exame. O tempo médio para realização é de dois anos.
O secretário Osvaldo Gern admite que a demanda é grande e coloca a culpa na tabela de preços do sistema Único de Saúde (SUS), onde o valor do exame é muito barato e nenhuma clínica quer fazer convênio com a prefeitura.
Atualmente, a prefa só tem a clínica São Lucas credenciada para realização da ressonância. Para resolver o problema, a prefa está buscando grana para fazer mutirões de atendimento.
A secretaria informa que, além das ressonâncias, outros exames estão com fila de espera como: tomografia, endoscopia, colonoscopia, doppler membors inferiores, nasofibroscopia, teste ergométrico, ecocardiografia, holter 24 horas e cintilografia.

Prorrogação pra divulgar a lista
Atualmente, Itajaí tem cerca de 10 mil pessoas aguardando consultas médicas, exames e cirurgias pela rede pública de saúde.
O número alto e outras irregularidades no atendimento ao povão chamou a atenção do Ministério Público que, através de um termo de Ajustamento de Conduta (TAC), propôs que a prefeitura publique a lista com todos os pacientes que aguardam para fazer exames e cirurgias.
A publicação da lista deveria começar a partir do dia 10 de novembro, mas a prefeitura pediu ao MP que o prazo fosse prorrogado por mais 30 dias.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com