Home Notícias Quentinhas Obra detona mata e morro nos Espinheiros

Obra detona mata e morro nos Espinheiros

Famai vai hoje ao local ver estrago e verificar se rolou crime ambiental

A defesa Civil de Itajaí, em conjunto com a fundação do Meio Ambiente (Famai) e a secretaria de Urbanismo, investiga um corte de vegetação e a retirada de parte de uma morraria, provavelmente ilegais, na encosta de um morro do bairro Espinheiros, na city peixeira. Uma nova vistoria tá agendada pra hoje de manhã. Os órgãos buscam os responsáveis pelo buracão no barranco e pela supressão de vegetação. Em parte do morro, uma estrada foi aberta e uma casa já está sendo construída.
Depois de quase 10 dias com máquinas subindo e descendo a pequena rua José Júlio Evaristo, na região conhecida como Espinheiros de Cima, o local da devastação estava abandonado na tarde de ontem.
Os vizinhos denunciaram a barbaridade terça-feira, depois que os tratores arrebentaram as mangueiras de captação de água da cachoeira. Um morador de 47 anos, que nasceu ali, relata que no local havia uma densa vegetação e árvores com mais de três décadas. O povão teme que o barranco role ladeira abaixo e soterre as casas ao pé do morro.
De acordo com o coordenador da defesa Civil de Itajaí, Everlei Pereira, o risco de deslizamento de terra é a principal preocupação no momento. Após uma primeira vistoria realizada na terça-feira, tudo indica que tanto o buracão quanto a ocupação do morro são irregulares. “Solicitamos à Famai e à secretaria de Urbanismo que verifiquem a legalidade da intervenção. Aquela área é considerada de risco, e toda a ocupação requer cuidados”, explica.
O abobrão aponta que em obras irregulares, não há responsável técnico, projeto de construção, drenagem nem outros itens exigidos pela prefa pra garantir a estabilidade do morro. “Há quem encare o projeto e o licenciamento da obra apenas como um gasto, e não se dão conta de que, sem isso, podem colocar vidas em risco”, alerta Everlei.
O secretário de Urbanismo, Paulo Praun, ainda vai analisar o caso e identificar o proprietário da área. Contudo, adianta que não houve liberação de alvará de construção pra região das encostas dos Espinheiros. Ele diz que os trampos no local têm cara de trambique. A superintendente da Famai, Rogéria Gregório, garante que uma equipe de fiscalização vai ao local na manhã de hoje pra fazer o levantamento dos danos. O órgão não confirmou se a intervenção foi autorizada.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com