Home Notícias Quentinhas Mesmo com monopólio, Coletivo conseguiu quebrar

Mesmo com monopólio, Coletivo conseguiu quebrar

“Desde que me entendo por gente, a Coletivo Itajaí tem monopólio do transporte público da cidade. Também não é de hoje que a população encontra problemas ao fazer uso (ou tentar fazer uso) do serviço oferecido.
Poucos horários, ônibus em condições precárias, atendimento ruim, falta de respeito para com idosos, gestantes e pessoas com deficiência são só alguns dos problemas que os usuários do transporte público de Itajaí enfrentam.
Como se já não bastasse, a Coletivo Itajaí consegue, surpreendentemente, piorar ainda mais o serviço prestado, instaurando um horário “especial”.
A empresa alega que opera no vermelho, e que não tem mais razão de cumprir as cláusulas do contrato, visto que o MP o julgou irregular.
Isso mesmo, você não leu errado: uma empresa que tem monopólio, ou seja não tem concorrência alguma, conseguiu ficar no vermelho. Uma empresa, sem qualquer obstáculo conseguiu quebrar, mesmo cobrando uma das tarifas mais caras do estado, e do país.
Há anos a Coletivo Itajaí reclama que muitas das linhas não tem retorno suficiente para cobrir os custos de operação. Ora, fazem soar como se fosse dever dos órgãos públicos encorajar a população a utilizar o transporte público pífio que oferecem.
Se precisam de mais clientes, invistam em sua frota, nas pessoas que empregam, em marketing e publicidade, deem motivos para a população trocar o conforto de seus carros pelos ônibus. Fica claro que precisamos de um sistema de livre concorrência, onde as empresas disputem a escolha do consumidor. Caso contrário, arriscamos continuar indefinidamente sob esse sistema de concessão, que deixa a população à mercê dos caprichos de uma empresa incompetente e irresponsável.”

Ass: André Teixeira
(Transcrito Ipsis Litteris)

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com