Home Notícias Quentinhas Marmita: a volta da queridinha

Marmita: a volta da queridinha

Comer fora todo dia pode estourar orçamentos e boicotar a decisão de fazer dieta; levar o almoço pronto de casa pode resolver

É comum ver em filmes o pessoal saindo do traballho para o almoço com um lanche para degustar ao ar livre. Enquanto se deliciam com um alimento preparado pelas próprias mãos, os personagens curtem a paisagem, interagem com outras pessoas e relaxam antes de continuar o trampo. Os japoneses aperfeiçoaram o bento box, uma lancheira onde sanduíches divertidos e miniaturas com arroz, verduras e algas formam figuras engraçadas. Tudo em nome de uma refeição saudável e mais barata.
Se na empresa há um espaço para esquentar a velha marmita de guerra, os problemas praticamente acabaram. É só pensar num cardápio adequado e deixar tudo pronto na véspera. Outra opção é fazer uma vaquinha com os colegas para comprar as saladas na feira e compartilhar no almoço. A economia é grande no fim do mês.
Segundo um levantamento divulgado este ano pela associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (Assert), o preço médio da refeição no vale do Itajaí, incluindo bebida, sobremesa e café, ficou em R$ 23,30, contra os R$ 30,14 registrados na média nacional. A pesquisa da Assert leva em conta a média de preços praticados para o prato feito (R$ 19,03), self-service (R$ 19,88), prato executivo e a la carte (R$ 31). Em Floripa, a média do preço da refeição ficou em R$ 36,41.
Reduzir os gastos com restaurantes será uma tendência enquanto a inflação se mantiver alta, no entender do economista da fundação Getúlio Vargas (FGV) André Braz. Em julho, a alimentação fora de casa encareceu 10,25% no acumulado de 12 meses. Foi o maior aumento para o mês, explicou ele, desde 2003, quando a inflação das refeições e dos lanches chegou a 15,79%, também levando em conta os preços do último ano.
Mesmo que a inflação dos alimentos entre em um ciclo de desaceleração neste segundo semestre, por questões climáticas, comer fora de casa não deixará de pesar no bolso dos brasileiros tão cedo, opina Braz. “Se o custo da matéria-prima dos restaurantes aliviar um pouco, isso não implicará redução de preço da noite para o dia”, conclui o economista, que não tem grandes ilusões sobre a baixa no preço das refeições fora de casa. MFn

Prepare com carinho, consuma com prazer
A salada pode ser preparada com antecedência e guardada em um vidro na geladeira. A dica vem sendo repassada pela internet e funciona assim: separe um pote de vidro – não plástico – que feche bem a tampa. Coloque os ingredientes em ordem; na hora de servir, agite bem para misturar os temperos e vire sobre um prato. Simples, temperada e saborosa.
1ª camada: molhos e temperos;
2ª camada: queijo, sementes, oleaginosas, milho, ervilha, quinoa, frutas, brócolis, cebola, frango;
3ª camada: feijões, lentilha, cenoura, pimentão, rabanete, grão-de-bico, vagem, pepino, tomate;
No topo: alface, repolho, rúcula, espinafre, acelga, agrião.
Acompanha carnes frias, empadão, escondidinho de frango, picadinho à moda da casa e o que tiver em casa, desde que fresquinho.
Por uma questão de preservação da saúde, é recomendado pelos especialistas evitar frituras, alimentos industrializados e doces em excesso. Evite, também, o consumo de comidas prontas/congeladas, como lasanhas, estrogonofe e afins. Esses alimentos têm grande quantidade de gordura e de sal, que são prejudiciais à saúde e possuem poucos nutrientes.
A marmita deve ficar na geladeira até o momento de sair de casa, levada em sacola térmica e, ao chegar ao trabalho, voltar imediatamente para a geladeira. A refeição deve ser preparada, no máximo, um dia antes do consumo.
Evite, também, levar alimentos de cheiro forte, como pimentão, e os que estragam com maior facilidade, como peixes, cremes, molhos de tomate, maionese, entre outros.
No caso de pessoas que não consomem carne, o ideal é escolher alimentos vegetais que sejam boas fontes de proteínas, como feijões, ervilha, lentilha, grão-de-bico e, principalmente, a soja; oleaginosas como nozes, amêndoas, castanhas; e ainda o ovo, que é também é fonte de proteína.
Utilize, preferencialmente, a marmita de vidro. Marmitas de plástico, ao serem aquecidas, podem liberar para o alimento bisfenol A, uma toxina relacionada a um maior risco de câncer. Marmitas de alumínio podem liberar o metal para o alimento e causar intoxicação.

Cantinho da Vovó
Creme quente em noite fria
Um creme de cenoura com gengibre é a receita especial que a vovó prepara em noites frias para esquentar até a alma. Saudável, com baixas calorias e sem culpa, fica pronta em dois toques e ainda ajuda a emagrecer.

Ingredientes:
– 3 cenouras grandes
– 1 batata média
– 1 litro d’água
– 1 cebola média
– gengibre, sal, pimenta-do-reino e azeite a gosto.

Como fazer:
Cozinhe todos os legumes juntos até que fiquem moles. Bata tudo no liquidificador, acrescentando o gengibre, sal e a pimenta. O azeite pode ser colocado apenas na hora de servir.
Esta receita rende até quatro porções, e a média de calorias em cada uma delas é de 118kcal. O creme pode ser servido quente ou frio.

Chá com cascas de laranja e abacaxi
Além de reaproveitar as partes que seriam jogadas fora, esta bebida eleva a temperatura do corpo e ajuda a emagrecer.

Ingredientes:
– 1,5 litro d’água
– 3 colheres de sopa de gengibre bem picado
– casca higienizada de um abacaxi inteiro
– casa higienizada de uma laranja
– 1 colher de açúcar branco ou cristal
– mel
– cravo-da-índia
– canela em pau

Como fazer:
Leve ao fogo a água junto com as cascas do abacaxi e da laranja, o gengibre, a canela e o cravo. Deixe a mistura cozinhar por 20 minutos.
Em outra panela, coloque o açúcar e leve ao fogo até caramelizar. Quando estiver no ponto, acrescente o chá. Aproveite esta mudança de recipiente para coar a bebida. Este cuidado com o açúcar é o que deixará o chá um pouco mais escuro. Caso opte por utilizar açúcar mascavo, não o deixe caramelizar, para não ficar amargo.
Com tudo junto, deixe ferver por mais cinco minutos. Quando a temperatura diminuir, acrescente o mel. É importante que a bebida não esteja fervendo para que o mel não perca as propriedades.
Beba à vontade!

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com