Home Notícias Quentinhas Fiéis angolanos visitam capelinha da virgem que chora

Fiéis angolanos visitam capelinha da virgem que chora

Fiéis de Angola visitam Nova Trento e capelinha do Itajaí construída por místico que tem visões de Maria e chagas de Jesus

Juvan Neto
juvan@diarinho.com.br

Quem passou no finzinho da tarde de ontem pelo número 236 da rua Sidnei Schulze, no bairro Cidade Nova, em Itajaí, se deparou com uma cena diferente e que remete à mais pura religiosidade tribal africana: 19 devotos angolanos, com roupas típicas e coloridas, dançavam e cantavam músicas da sua terra para reverenciar uma santinha católica.
A adoração à mãe de Jesus rolou na capelinha de Nossa Senhora das Graças, na casa do seu Joaquim e da Eliete, pai e filha, construída pra celebrar a fé católica e que vem se tornando um modesto ponto de pregação e preces na região próxima dos fundos da rodoviária itajaiense.
A capela foi construída anos atrás na frente duma casa modesta, a pedido do filho do seu Joaquim e irmão de Eliete, o místico e vidente católico Eduardo Ferreira, 42 anos, um paranormal nascido em Itajaí. Desde 1983, ele afirma ter contato com Nossa Senhora e hoje é um missionário leigo reconhecido pela Igreja Católica Apostólica Romana.
Eduardo é um dos “estigmatizados” – pessoas da igreja que, misteriosamente, desenvolvem no corpo as marcas dos pregos nos mesmos pontos em que foram cravados no corpo de Jesus. Através dele, o grupo de angolanos liderados pelo padre Helder Pimenta da Silva, veio ao Brasil, num total de 19 devotos.
Os visitantes estão no Brasil desde o dia 28 de junho, e iniciaram a peregrinação pela comunidade Mariana da Rosa Mística, em São José dos Pinhais, no Paraná, onde vive o místico de Itajaí. Em Santa Catarina, ontem foi dia de orações no Vígolo, em Nova Trento, na basílica de Santa Paulina, de onde o grupo partiu pra Itajaí.

Peregrinos de Angola
Padre Helder destacou que veio ao Brasil em 2012, e desde então, planejou trazer fiéis da paróquia São João Paulo 2º e da comunidade Imaculada Conceição, de Luanda, capital do seu país. “Ficamos encantados com o santuário da Rosa Mística e também com a vida de Santa Paulina”, diz.
Sobre o contato com o místico católico, padre Helder falou que o que mais chama atenção nas mensagens de Nossa Senhora ao itajaiense Eduardo são os pedidos pela “conversão dos pecadores”, a luta contra um mundo “cada vez mais degradado moralmente” e empenho “contra a crise geral da fé”.
Padre Helder ainda faz uma autocrítica aos padres. “Os sacerdotes não estamos a dar o testemunho que Jesus e Maria querem de nós”. Na opinião do religioso angolano, a eleição e os posicionamentos do papa Francisco “vieram para deixar o mundo melhor”.

“Papa será ameaçado”
Falando no Papa Francisco, o vidente peixeiro é taxativo: Maria já deu mensagens sobre o futuro do pontífice. “Papa Francisco sofrerá críticas, incompreensões e ameaça à sua vida, segundo Nossa Senhora nos revelou”, diz. “Nossa Mãe pede muito que todos rezem pela integridade do Papa”.

Feridas de Jesus e visões de espíritos dos santos
Eduardo Ferreira, nascido em 1972, é o místico itajaiense que tem chamado atenção dos devotos e até mesmo da ciência. Em 1983, achou uma pequena imagem de Nossa Senhora no terreno da casa onde morava, na Vila Operária, e a partir de 1987, começaram os fenômenos. Após sua primeira comunhão, Eduardo e a irmã rezavam diante da santinha quando ele viu uma luz azul na imagem.
A irmã Eliete conta que não se assustou com os fenômenos porque a família sempre foi cristã. “Foi tudo muito tranquilo e não atrapalha nossa privacidade”.
Já Eduardo destacou ao DIARINHO que nas visões, Maria se apresenta de variadas formas – na forma da Rosa Mística, na forma da Rainha da Paz ou de Nossa Senhora Aparecida, “quando é mês de outubro”.
Teria sido a santinha que pediu à família, quando eles mudaram da Vila Operária pro Cidade Nova, que construíssem a capelinha. Segundo Eduardo, em geral as visões começam com pequena luz azul saindo das mãos e iluminando todo o espaço.
Eduardo vai ouvindo, em êxtase, e anotando as mensagens. Inicialmente, Maria pediu a conversão da família, para em seguida, pedir orações pelos sacerdotes, pelas crianças e jovens, a valorização dos sacramentos. “Já tive transes de até três horas de duração”, revela Eduardo. “Nossa Senhora nos passa pureza e calor, veste branco e usa uma cinta azul”, completa.
Eduardo também viu os espíritos de São José, de São Vicente de Paula, de Santa Catarina Labouré, dos pastorinhos Francisco e Jacinta (de Fátima) e da própria Santa Paulina. Eduardo tem fenômenos de profecia, cura, visões, sonhos, discernimento de espíritos e até bilocação – volta e meia, dá um cheguinho dois lugares ao mesmo tempo.
E desde 1996, sentiu dores em pés e mãos – aí começaram os estigmas. Em 2002 as dores ficaram mais intensas e as marcas bem mais visíveis. Já em 2004, abriram-se chagas na testa e no peito. Nenhuma artéria, nervo ou tecido são danificados quando as feridas se abrem, e a cicatrização rola rapidinho.

Rosa vive “experiência de santidade”
Rosa Rodrigues Neto é uma das devotas da Rosa Mística que tá com a caravana de angolanos que chegou ontem a Itajaí. Também moradora de Luanda, ela integra a comunidade Maria da Rosa Mística – Rosa da Verdade, em seu país, e disse que esta primeira experiência religiosa no Brasil tá sendo inesquecível. “Nos falavam em calor e violência, mas o país é lindo e estamos até passando frio”, comentou, bem-humorada, ao lado do padre Helder.
Sobre a ida ao santuário de Santa Paulina, Rosa destacou que a basílica é bastante acolhedora. “O lugar é convidativo e a natureza ajuda muito numa experiência de santidade”, completa. Rosa ainda comenta que conheceu na internet as mensagens de Nossa Senhora dadas a Eduardo, e aí despertou a vontade de vir ao Brasil conhecer pessoalmente o vidente itajaiense. 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com