Escândalo

Continuam fervendo os bastidores da city peixeira, após a confissão escancarada do vereador Tristonho, ops, Tonho da Grade (PP) que afirmou ter votado na presidência da piramidal por conta de um “acerto” pra indicar uma assessora no Semasa. O caldeirão ferve e a situação promete ficar ainda mais quente. Ai, ai, ai que dor!

Paulinha, prefeita de Bombinhas, é a nova presidente da Amfri para a gestão 2017. Dr. Élcio, de Camboriu, foi eleito primeiro vice-presidente e Fabrício, de Balneário, segundo vice. O que indica, na tradição da entidade, que Élcio será presidente em 2018 e Fabrício em 2019. Quem viver, verá…

O vereador, jornalista e radialista, Rubens Angioletti (PSB), visitou o socadinho escriba. Ele está feliz por voltar a fazer um programa de rádio. Angioletti estreia hoje o Frequência Livre – das 7h às 8h30 – na rádio Luz do Amanhã (98,3 FM) de Itajaí

PP, P da vida
Ao mesmo tempo que o escândalo expõe Marcelo Saldré, ops, Sodré (PDT), Paulinho Amândio (PDT), o líder do governo, barbudinho júnior, Thiago Morastoni (PMDB) e por consequência o o prefeito barbudinho Volnei Morastoni (PMDB), o PP também se vê em maus lençóis. Pois a trama trata de “compra” de apoio para objetivos políticos do governo e aliados.

Na chincha
Em contato com este socadinho escriba, o ex-homem dos galináceos e ex-prefeito, presidente do PP, Jandir Bellini, afirmou que vai chamar a executiva e a bancada das excelências excelentíssimas para tirar essa história a limpo. O intuito é ouvir o vereador Tristonho, ops, Tonho da Grade. As revelações de Tonho foram feitas a este escriba, em recente visita à choupana.

Bem estar
Jandir afiança que a filosofia do PP é trabalhar em prol da coletividade. O vice-presidente do PP, o narigudo Tarcísio Zanelatto, também se manifestou sobre a verborragia de Tonho. Ele afiançou que os progressistas querem o melhor para Itajaí e devem votar neste sentido na piramidal casa do povo.

Tirou da reta
O vereador Murilo Cordeiro que Tristonho diz ‘não saber se tem cargo no governo’, lamenta as falas do Tonho. “Tonho não sabe o que tá falando, equivocou-se nas suas colocações. Acredito que não era aquilo que ele queria dizer”, lamenta.

Lavou as mãos
O vereador Fernando Pegorini lavou as mãos. Ele declarou que prefere não se pronunciar sobre o caso e que deixa com o partido os encaminhamentos. Já Calinho Mecânico jurou que tá por fora, que apenas escutou o vereador Marcelo Werner (PCdoB) dizer que o que o Tonho fez, não se faz. Calinho avisa que tá se recuperando de um AVC, que lhe deixou na UTI por 15 dias.

Não interessa
“Não me interessa o que falou Tonho. Deixo os encaminhamentos com o partido. Agora, estou só cuidando de minha saúde. O médico me disse para ficar na cama e não me preocupar”, dispara Calinho.

Ficou fulo
Quem também não gostou nem um pouco das falas de Tonho contra o China Celular e Lu do Pedroni, foi o todo poderoso Vandelino Raimondi. Tonho lascou que China, que é subprefeito de Cordeiros, e Lu que responde pelo setor de praças e Jardins na Obras não entendim do riscado. Um dos que apoiaram Lu e China é Raimondi que ajudou e muito a eleição de Volnei.

Descontentes
Nos bastidores, PR e PSB não estão satisfeitos com o início dos mandatos da vereadora Juliethe Nitz e Lucas Gotardo na Maravilha do Atlântico. Os dois são jovens e não muito experientes, mas o maior problema é que Lucas é líder da bancada do PSB (partido do prefeito) e Juliethe foi escolhida líder da bancada do PR (sigla do vice, Carlos Humberto).

Quero-Quero
Como Marcelo Achutti, o Quero-Quero (PP) será o líder do governo Fabrício, através de uma articulação do ex-vereador e atual secretário de Articulação Governamental Ary Souza, o mal desempenho dos “jovens do PSB e PR”, e a visibilidade de Achutti, fortalecem a pré-candidatura de Ary a deputado estadual e enfraquecem Carlos Humberto no governo.

Trânsito
Ary é visto como o “grande nome” do governo Fabrício. Conquistou confiança e possui trânsito em todos os gabinetes da Câmara e nas secretarias. Algo que Carlos ainda não conseguiu, por não ter uma postura tão política quanto a de Ary. A escolha de Achutti como líder do Governo também gerou muita ciumeira. E rendeu outra vitória para Ary.

Falou, falou e nada
Em 2013, a prefa da capital da pedrada e ex-do tiro ao vereador apresentou projeto para implantação do sistema de esgoto em Camboriú. A prefa foi selecionada no Programa de Aceleramento do Crescimento, o PAC-2. Os valores eram de mais de 86 milhões. A prefeita de Camboriú, a loirosa Luzia Coppi (PSDB), falou um monte. Mas nada fez de concreto.

Perderam
Ao munícipio foi concedido prazo de seis meses pra encaminhar o prejoto à Caixa Econômica e após a contratação da operação. Isso em 2014. Após esse prazo, adiaram até dezembro de 2015. Como não aconteceu, prorrogaram para dezembro de 2016. Por fim, a city da pedrada acabou ficando excluída. Com isso, quem perdeu foi Camboriú e Balneário Camboriú, pois a nojeirada do esgoto vai para o rio e, consequentemente, ao mar. Descaso né?

Inconstitucional
A nova legislatura mal foi aberta na Maravilha e este articulista, metido e chato, já observou uma “renca” de projetos sem fundamento, digo, com vícios de origem, geração de despesas ou inconstitucional. Às exceleências excelentíssimas cabe fiscalizar, enquanto o prefeito quem executa.

Regra
Parece simples, mas tá cheio de vereador que ainda não entendeu. A assessoria jurídica da casa também está pecando, ao deixar passar projetos sem nexo. Em um dos casos pesquisados por este escriba, tem até um projeto misto entre decreto e legislação, dando a clara noção de que os vereadores recém chegados precisam de um cursinho intensivo sobre elaboração de projetos, pois ainda não sabem distinguir projeto, decreto ou resolução.

Aberrações
Tem projeto “obrigando” prefeito a instalar câmeras nas escolas e creches; tem projeto modificando a forma de receituário do SUS (Governo Federal) e outras tantas aberrações.

Atribuição
Projetos que geram custo ao Executivo não são de atribuição de vereador. Isso tem que ser feito através de indicação que o alcaide vai decidir. Querer jogar pra torcida, aprovando na câmara propostas sem a mínima viabilidade técnica e constitucional é brincar com coisa séria. Depois o prefeito é que fica numa saia justa ao vetar uma ideia que parece boa, mas que é incabível na administração pública.

Compreensão
Já pensou se todos os 19 vereadores pudessem propor despesas ao Executivo? Não teria a necessidade do prefeito. Este articulista está de zoio nas ilegalidades e vai começar a expor caso a caso aqui neste espaço para a comunidade entender melhor o que os vereadores ainda não entenderam. Vou repetir: o vereador fiscaliza, o prefeito planeja e executa.

Parecer
Para se gerar despesas, tem que ter previsão orçamentária e estudar o impacto nas contas do município, sendo que também tem que estar previsto na peça orçamentária anual e ainda sujeito a lei de responsabilidade fiscal. Por isso, senhores vereadores e jurídico da casa do povo, tenham mais responsabilidade ao firmar pareceres e propor projetos.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com