Home Notícias Quentinhas Engenheiro constrói igreja para agradecer milagre

Engenheiro constrói igreja para agradecer milagre

Engenheiro conta que está entregando o templo em Camboriú em homenagem ao santo que mudou a sua vida. Festa no dia 17 de abril marca inauguração oficial da igrejinha que já tá aberta à comunidade

Mariângela Franco, especial para o DIARINHO

Um engenheiro civil constrói casas, prédios e até igrejas, todo mundo sabe. Mas quem conhece alguém que fez uma igreja para agradecer uma graça alcançada? Poucos, bem poucos. Pois em Camboriú, no bairro Rio Pequeno, onde ainda se respira o ar puro das pequenas comunidades, ergue-se a igreja que é um agradecimento a Santo Expedito.
O santo é reconhecido como o protetor das causas impossíveis. O responsável pela obra prefere ficar fora do foco e só revela o primeiro nome: Carlos, um manezinho de 62 anos, radicado em Balneário Camboriú desde que se formou em engenharia civil.
O hoje bem-sucedido empresário da construção conta que, em 1998, ele e a família viviam uma fase difícil economicamente. Nome sujo na praça, problemas e mais problemas se acumulando. Ele não via como dar a volta por cima e recuperar a paz de espírito. Numa dessas coincidências da vida, uma pessoa entrou em seu escritório e entregou-lhe um folheto com a imagem de Santo Expedito. “Era uma sexta-feira, lembro bem. Fiquei ali, olhando o santinho e pedindo que ele me ajudasse. Pedi com muita fé, e dali em diante tudo começou a mudar, com muito trabalho, evidentemente”, relembra seu Carlos. Muitas coisas mudaram na vida dele, e os negócios que estavam empacados foram resolvidos. A situação financeira se estabilizou.
Dez anos depois, com a vida na santa paz, o engenheiro pensou em erguer uma gruta para veneração do santo na chácara da família. Ele contou sobre a intenção ao padre Antônio, que o visitava. “Ele então me deu outra ideia. Por que o senhor não faz uma igreja para a comunidade carente naquela esquina que o senhor tem?” Mas, naquela hora, a proposta não foi muito bem aceita. Dois anos depois, no dia de São Expedito, seu Carlos parou em frente ao terreno e tomou a decisão de fazer a igreja. Quatro meses depois, projeto pronto, começou a a fundação do prédio. E uma segunda graça, muito mais importante para a família de seu Carlos, foi alcançada por intercessão do santo, acredita ele, sem querer entrar em detalhes.

Oração a Santo Expedito
Meu Santo Expedito das causas justas e urgentes, socorrei-me nesta hora de aflição e desespero. Intercedei por mim junto ao Nosso Senhor Jesus Cristo. Vós que sois um santo guerreiro. Vós que sois o santo dos aflitos. Vós que sois o santo dos desesperados, vós que sois o santo das causas urgentes, protegei-me, ajudai-me, dai-me força, coragem e serenidade. Atendei ao meu pedido (pedir a graça desejada). Ajudai-me a superar estas horas difíceis, protegei-me de todos que possam me prejudicar, protegei a minha família, atendei ao meu pedido com urgência. Devolvei-me a paz e a tranquilidade. Serei grato pelo resto de minha vida e levarei seu nome a todos que têm fé. Santo Expedito, rogai por nós. Amém.

Oito anos depois, igreja está quase pronta
Ao chegar ao entroncamento das ruas Guaíra com Leandro Bertoldo, o olhar é atraído imediatamente para a igreja encravada ao pé de um morro. No fundo, máquinas tratam o terreno para protegê-lo de desmoronamentos. Uma torre de cada lado da porta principal aguarda os sinos que em breve anunciarão os eventos.
No centro e no alto da fachada, daqui a poucos dias estará a imagem do santo homenageado. No interior, de cada lado há uma janela que receberá um vitral e um nicho com altar. No lado esquerdo ficará a imagem de Nossa Senhora Aparecida e, no outro lado, a de Santa Paulina. “Um dia a peregrinação até Nova Trento vai começar daqui”, sonha seu Carlos. Atrás do altar principal haverá a imagem de Jesus Cristo ladeada por uma da mãe do Salvador e a outra de Santo Expedito. Em dois altares menores, nas laterais, São Francisco e São João Batista serão lembrados.
Ainda faltam as pinturas interna e externa, as aberturas e a finalização. O teto vai receber pintura normal, sem nenhuma arte. “Não existem mais artistas para decorar as abóbadas das igrejas”, lamenta o engenheiro.
Mesmo em fase de acabamento, a casa religiosa já acolhe a comunidade para a missa dominical, às oito da matina; para o terço dos homens, às 20h nas quartas-feiras; e todas as noitinhas, às 19h, para a novena de Santo Expedito.
De acordo com o idealizador da igreja, as instalações já permitem também aulas de catequese e encontros do grupo de jovens. Senhoras da comunidade se encarregam do cuidado com o prédio. Por enquanto, apenas seis longos bancos e várias cadeiras de plástico acomodam até 200 pessoas. São os próprios moradores da localidade que vão se encarregar da aquisição do mobiliário, incentivados pelo padre Márcio, celebrante das missas.
Na calçada, exatamente na frente da porta principal, há uma abertura coberta. No dia da festa do santo, este ano realizada no domingo, 17, naquele local será colocado um recipiente para somente ser aberto daqui a 50 anos. A cápsula do tempo conterá fotos, registros da construção, redações das crianças da comunidade e até mesmo o DIARINHO com esta história sobre a igreja. Os textos da gurizada vão mostrar como as crianças imaginam o mundo daqui a meio século.
Ali estará também o nome do agradecido engenheiro civil que se sentiu abençoado pelo recebimento de dois milagres. Para que ninguém precise esperar 50 anos, o DIARINHO revela seu nome agora: Carlos Humberto Silva.

Um pouco da história
Ninguém tem certeza se ele existiu mesmo. A versão mais conhecida de sua origem conta que Santo Expedito era chefe de uma legião romana na região da Armênia. Reza a lenda que o soldado pensava em se converter ao cristianismo, mas sempre adiava a decisão. Um dia, quando finalmente sentiu que era a hora certa, teria aparecido um corvo que ficou grasnando “craz-craz” (amanhã, em latim), como sugerindo um adiamento. Pisando na ave, o legionário teria respondido que não. “Não adiarei nada. Não vou deixar nada para amanhã. Hodie (hoje)!” Ficou conhecido, então, como o santo que resolve as coisas com rapidez, sem enrolação.
A ousadia de tornar-se cristão causou a ira do imperador Diocleciano. A mando dele, Expedito foi martirizado e decapitado no dia 19 de abril de 303.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com