Home Notícias Quentinhas Comerciantes pedem lombadas, vagas e mais orientação na Estefano José Vanolli

Comerciantes pedem lombadas, vagas e mais orientação na Estefano José Vanolli

Donos de lojas dizem que a principal rua do São Vicente virou uma pista de corrida

A alta velocidade com que veículos têm circulado pela Estefano José Vanolli, principal rua do bairro São Vicente, em Itajaí, está incomodando comerciantes e moradores, que passaram a vivenciar diariamente abusos no trânsito.
Para brecar excessos, eles querem que a prefeitura instale lombadas. Os comerciantes pedem mais vagas de estacionamento, orientação aos ciclistas e fiação subterrânea para a rede elétrica.
“Desde que a rua virou mão única, isso aqui virou uma pista de corrida. Tem que colocar lombadas em todo trecho, porque os carros sempre passam acima da velocidade”, reclama o comerciante Adilson Floriano. A solicitação é antiga, mas até agora não foi atendida pelo município.
O representante dos comerciantes do bairro, Alfonso Debatin, explica que o grupo havia solicitado à prefeitura que transformasse algumas faixas de pedestres em travessias elevadas, porém nunca foi atendido pela secretaria de Urbanismo. “Já tivemos vários acidentes, uma comerciante foi atropelada na faixa de pedestres e quebrou as duas pernas”, conta.
Em abril deste ano, com o apoio da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), os empresários fizeram uma nova solicitação à coordenadoria de Trânsito de Itajaí (Codetran), que também não deu retorno sobre o assunto.
“A Estefano ficou uma via longa, de dois quilômetros, e o que mais se vê é excesso de velocidade. Depois da ponte da Nova Brasília foram colocadas várias lombadas e eles [moradores] não têm problema lá”, argumenta.

Faltam vagas

Segundo Alfonso, os moradores e lojistas também apontaram outras deficiências no projeto do binário, como o cabeamento subterrâneo para melhorar o visual da rua, além de mais vagas de estacionamento.
“A obra suprimiu 65% do estacionamento que tínhamos e em alguns pontos colocaram bancos de concreto e ilhas que não tem utilidade,” acredita.
Além disso, os comerciantes querem que haja maior fiscalização por parte do Codetran em relação aos ciclistas, que não respeitam a sinalização e andam nas calçadas ao invés de usar a ciclovia. “A obra vai fazer um ano e até agora não fizeram nenhuma orientação efetiva. Já vimos ciclistas que quase atropelaram pedestres na calçada”, afirma.

Codetran diz que lombadas não são necessárias
A Codetran informou que fez um estudo para verificar a viabilidade da instalação de duas lombadas ao longo da Estefano José Vanolli.
O engenheiro do órgão, Rogério Camargo, explica que a pesquisa concluiu seria ruim a colocação dos redutores de velocidade, já que as melhorias no local teriam reduzido os acidentes. “Antes da instalação do binário, a rua registrou em torno de 70 acidentes em um ano. Depois da obra houve uma redução para aproximadamente 27 acidentes no ano, sendo que somente dois tiveram vítimas”, relata.
Em função do estudo, a Codetran vai dizer não ao pedido dos moradores e comerciantes. De acordo com a Codetran, a reclamação em relação à orientação aos ciclistas não tinha sido registrada, mas os agentes sabem que o problema existe, não só na Estefano, porém é uma questão de conscientização da população.
O pedido dos comerciantes vai ficar em análise por mais um ano e se os dados mudarem, a coordenadoria poderá atender à solicitação.
O cabeamento subterrâneo não estava previsto no projeto do binário do São Viça. Rogério não informou se há alguma previsão para aumentar as vagas de estacinamento na rua.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com