Home Notícias Quentinhas Bolinha suspende facada do Conasa na conta de água

Bolinha suspende facada do Conasa na conta de água

Grana a mais, cobrada só no verão, deixava a conta d’água 25% mais cara

A partir desta semana os moradores de Itapema não receberão mais a fatura de água com a taxa de 25% a mais em cima do consumo total. A chamada ‘taxa sazonal’ que provocou a revolta do povão foi suspensa pela Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento (Aris), depois de um pedido do prefeito Rodrigo Bolinha (PSDB).
A taxa foi implantada pela Companhia de Águas de Itapema (Conasa) em dezembro, mas o povão só sentiu o drama no começo de janeiro, quando recebeu as faturas de água com os valores elevados. Na sexta-feira da semana passada os moradores saíram às ruas para protestar. Cerca de 100 pessoas berraram contra o aumento.
Diante da revolta, o prefeito de Itapema foi até Florianópolis, na Aris, pedir a suspensão da taxa. Em entrevista à imprensa, Bolinha admitiu que o aumento tava “exorbitante”. “Analisamos e concordamos com os valores altos que chegaram aos consumidores. Por isso, determinamos que a Aris suspendesse a cobrança sazonal”, disse.
Desde ontem, todas as leituras dos medidores de água não poderão ter o acréscimo de 25% quando o consumo passar de 10 metros cúbicos. Mas quem já recebeu a fatura ou já fez o pagamento, terá que esperar um parecer da agência reguladora para ver como vai ser o ressarcimento. “Agora vamos esperar a Aris fazer a revisão tarifária e analisar quais serão os procedimentos tomados, se será reembolso ou outra medida”, explica o prefeito.

Entenda o porquê da taxa
De acordo com o plano municipal de saneamento básico da cidade, a concessionária Companhia de Águas de Itapema (Conasa), que cuida do abastecimento de água e tratamento de esgoto, deveria investir R$ 600 milhões em obras para a melhoria dos serviços até o fim do seu contrato. A Conasa conseguiu, com aprovação da Aris, baixar esse valor para R$ 500 milhões.
Mesmo assim, a empresa alegou que não teria dinheiro para bancar as obras em tempo hábil e solicitou a criação de uma ‘taxa sazonal’ para equilibrar as contas internas.
A taxa de 25% a mais em cima do consumo total foi aplicada para quem gastasse acima de 10 metros cúbicos por mês e teria validade durante a temporada de verão.
O prefeito informou que a Aris fez um estudo que comprovou que 75% dos moradores de Itapema consumiam 10 metros cúbicos de água ou menos na baixa temporada. Só que na alta temporada, esse número cai pra 35%, pois nessa época do ano, os moradores recebem a parentada e o consumo aumenta.
O DIARINHO entrou em contato com a Conasa, mas a assessora de imprensa, Cláudia Romariz, informou que “a empresa não irá se pronunciar por enquanto”.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com