Home Notícias Quentinhas Árvores são decepadas na praça

Árvores são decepadas na praça

Pelo menos 12 árvores bonitonas foram pro saco na praça central da praia; Fuman diz que corte tem autorização da Fatma

Juvan Neto
geral@diarinho.com.br

Uma ação de corte de árvores em plena orla de Navegantes deixou a comunidade revoltada ontem pela manhã. Moradores e testemunhas do massacre de pelo menos 12 espécies existentes na praça central da praia condenaram a atitude – a cena das árvores decepadas parou inclusive nas redes sociais da internet, após o flagrante do fotógrafo Eduardo Werner.
“Uma cena dessas é de cortar o coração, ainda mais em plena primavera”, disse Eduardo ao DIARINHO.
A fundação do Meio Ambiente de Navegantes (Fuman) destacou também à reportagem que a ação teve autorização por se tratar de vegetação não-nativa – ou seja, plantas estranhas à flora própria da beira-mar.
O fato não convenceu internautas como o também fotógrafo Marcelo Sokal, que destacou que “por não ser nativa não tem de ser derrubada”. Já Ricardo Patrício, internauta, revelou que o corte vem rolando há meses e atinge todas as árvores da orla, e na entrada do farol da barra foram mais de 20 árvores decepadas, algumas com mais de 30 anos, inclusive dois pés de frutíferas com mais de 80 anos.
Natália Fischer Freitas lamentou que a população não foi consultada, pois assim como Sokal, ela não concorda com derrubada de árvores, mesmo que não sejam nativas.
Segundo Paulo Mafra, fiscal da Fuman, o corte das árvores integra o plano de Recuperação de Área Degradada (PRAD), uma compensação ambiental pela instalação do terminal da Portonave.
O projeto tem autorização da fundação do Meio Ambiente do Estado (Fatma), e prevê o corte de cerca de 600 a 700 árvores atualmente existentes, para o replantio de 100 mil mudas, 20 mil delas já plantadas.

Proteção à restinga
Mafra diz que o PRAD fará ainda com que a orla do molhe ao Gravatá tenha novos deques (três quilômetros deles já estão instalados), drenagem, guaritas ecológicas, ciclovia e passarelas que não atinjam a restinga.
Questionado porque a Fuman ou a prefeitura não divulgam ações de corte com um ou dois dias de antecedência, pra comunidade ser avisada, Paulo concordou que o corte específico das árvores não conta com aviso prévio. “As pessoas às vezes não sabem o que acontece; não se informam ou não tem tempo para isso”, comentou o fiscal, confirmando que foram pro pau 12 árvores da praça central – entre elas 10 castanheiras, um pinus americano e uma seringueira exótica. No local serão plantadas mudas nativas de abricós, aroeiras e outras frutíferas.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com