O Barroso caiu!

O Barroso caiu!
Pois é, eu disse que não caía, mas caiu. Faltou apenas um ponto para salvar o Almirante, e o rebaixamento foi com requintes de crueldade para o torcedor. Uma grande pena, pois o trabalho foi sério. Não faltou salário, não faltou estrutura e nem vontade. Acho que faltou mais qualidade e opções no elenco para o técnico Renê Marques trabalhar, mas dentro do que tinha financeiramente era isso mesmo, lutar contra o rebaixamento. Ao menos não foi saco de pancadas e lutou para ficar. No início do campeonato eu cravei que era necessário fazer 18 pontos para não cair e que o Barroso tinha totais condições de fazer isso. De fato, fez os 18 pontos, mas não foram o suficiente, errei por 1. Agora o Almirante precisa juntar os cacos e se preparar para 2018.

Avaí com time de base
Eu jamais diria que o Avaí é o culpado pelo rebaixamento do Barroso. Mas colocar um time sub 20 pra a última rodada do campeonato sendo que outros times dependiam daquele resultado é no mínimo falta de respeito e desportividade. Podia colocar o reserva, mas profissional. Esta não foi a primeira vez que o Avaí fez isso, três anos atrás o Marcílio Dias sonhava com a Copa do Brasil, precisava vencer o Ibirama em casa e torcer para o Avaí não perder para a Chapecoense, mas o Avaí levou o Sub 20 para Chapecó e perdeu o jogo. Está dentro das regras, mas fora da moral.

Arbitragem
Quando falamos do porque o Barroso caiu, começamos a citar vários jogos em que o time poderia ter saído vitorioso, vários pontos desperdiçados. Mas eu penso que é normal para um time no orçamento que tinha o Barroso cometer tais erros. Mas o que a arbitragem fez com o time verde de Itajaí foi sacanagem. A arbitragem “errou” várias vezes a favor do Figueirense, que sem estes “erros” estaria rebaixado no lugar do Barroso. A lição que fica é que os pequenos precisam se salvar antes das rodadas finais, porque aqui em Santa Catarina grande não cai, ainda mais se disputar contra um pequeno.

Imprensa contra
Eu assisti a todos os jogos do Barroso, eu disse todos, desde a série B. Também acompanhei o trabalho feito fora de campo, e continuo dizendo que o Barroso não merecia cair, falo com a propriedade de quem leva a sério o trabalho que faz e acompanha de perto. Além de não merecer, caiu por um ponto. Quem será que é tão bonzão na crônica esportiva para cravar antes do campeonato que o time será rebaixado com apenas um ponto de diferença? Eu penso que tem uma pequena parte da imprensa que só sabe ver os lados negativos, só sabe agourar e secar. Cá entre nós, contra os grandes a possibilidade de os times de Itajaí não se darem bem é maior. Aí fica fácil, sempre diz que vai dar errado. Quando realmente acontece aparecem pra dizer que estavam certos. É igual dança da chuva: os índios ficam seis meses dançando, quando chove eles acham que foi por causa da dança.

Barroso não cai!
Vou bancar agora, o Barroso não cai! Jogando em casa contra o Tubarão no domingo o Barroso vencerá a partida e em Lages o Avaí vencerá o Colorado Lageano. O lado verde de Itajaí vai festejar o milagre. O clima em Lages não poderia ser melhor para o Barroso, teve presidente do clube dando surra com um taco de sinuca no goleiro Neto Volpi, o rapaz foi parar no hospital. A história tem direito a B.O e Samu. Durante a semana o goleiro reserva depois de se desentender com outro atleta, foi chamado a atenção por um torcedor que pedia calma e união aos jogadores, acredita que o goleiro foi lá e deu uns tabefes no torcedor? O clima esta desse jeito não apenas pela fase do time, mas porque faz tempo que ninguém vê a cor do dinheiro em Lages, jogar sem receber é difícil.
Aqui em Itajaí esta tudo certo, todos os salários em dia, clima bom entre os jogadores. Até aqueles pequenos problemas de falta de estrutura na Série B foram resolvidos. Hoje os atletas moram em um hotel que estava desativado e foi alugado exclusivamente ao Barroso, tem fisioterapeuta a disposição, coach, análise de desempenho, tem tudo. Eu digo com tranquilidade: O Almirante não merece cair. Cometeu erros? Sim, claro que cometeu. Mas esta longe de ser o pior time, deste fraco campeonato da Série A catarinense. Depois de escapar o projeto precisa ter mais atenção para a base, mas eu acredito que estão no caminho certo e tem muito a crescer.
Quanto ao jogo, acredito que o Tubarão já vem pra Itajaí em ritmo de festa e relaxado, a vitória do Barroso é obrigação, depois disso é esperar o que acontece em Lages e comemorar.

Estadual não vale nada
Engraçado como todo mundo fala que estadual não vale nada. Mas basta o clube ser eliminado na Libertadores ou Copa do Brasil para passar a valer. Para São Paulo e Corinthians que foram eliminados no meio de semana na copa do brasil, o estadual passa a ser a salvação do semestre, quem sabe do ano, pois dificilmente esses times serão campeões de algo. O estadual virou a chance de erguer um caneco e manter os técnicos tranquilos no cargo, quem perder dará uma balançada.

Fundação Municipal de Esportes
Durante a semana o Diarinho trouxe uma série de denúncias de atletas e técnicos cobrando salários que foram prometidos e não estão sendo cumpridos. A FMEL sempre foi motivo de orgulho em todos os governos que eu acompanhei aqui em Itajaí. Cheguei na cidade em 2002, vi David Coelho, Álvaro Provesi, Fabrício Marinho e Moacir Sedrez. É óbvio que o Fabinho Rezes terá que conviver com comparações das últimas administrações, será difícil alcançar os feitos dos antecessores. Mas este tipo de denúncia eu nunca tinha visto na FMEL, se for confirmado é inadmissível. Eu já dei esse alerta em outra coluna, camarão que dorme a onda leva. Acorda, Fabinho!

Milagre mais perto
A vitória do Barroso contra o Avaí, no último sábado, deixou o Almirante muito próximo do objetivo. Para ficar na série A basta vencer o Tubarão e torcer para o Inter de Lages não vencer o Avaí. Caso o Almirante empate com o Tubarão, ainda pode escapar se o Inter de Lages perder por mais de dois gols de diferença. O grande desafio é motivar o Avaí, que já está na final e certamente poupará seus jogadores na última rodada. Quem sabe uma ligação pra capital pudesse dar um pouco mais de motivação para vencer este jogo.

Schwenck é o cara
Desde a série B que eu pedia a contratação do atacante para o Barroso, pois acreditava que seria muito útil para o time de Itajaí na série A. Talvez de tanto eu falar, contrataram o homem. Mas Schwenck não conseguiu jogar bem, depois teve uma lesão e não rendeu o esperado, chegando a ficar nove rodadas sem fazer gol. Passei a ficar arrependido de ter pedido a contratação. Mas aí, nos últimos jogos, os realmente decisivos, o cara fez três gols que serão cruciais para o resultado almejado, que é escapar do rebaixamento. No domingo ele terá a chance mais uma vez de fazer o gol do “título”. Se fizer, valerá o investimento.

Arbitragem manchou
Se o Barroso não tivesse sido prejudicado contra o Figueirense, quando o árbitro André Luiz Back marcou um pênalti inexistente, hoje dependeria apenas de si para escapar da degola. Seria apenas vencer o Tubarão e garantir sua permanência na primeira divisão sem precisar secar ninguém. Vejam o tamanho da responsabilidade da arbitragem catarinense que, se não tivesse ajudado o Figueirense em três jogos, pelo menos três jogos, estaria hoje com 15 pontos brigando pra não cair. O Catarinense 2017 está manchado, igual o de 2016, 2015, 2014. Infelizmente, todos os anos vemos coisas estranhas em Santa Catarina. Antes colocavam a culpa no Delfim, agora ele não está mais no comando… De quem é a culpa? O diretor de arbitragem, que tira 6,5 na prova, poderia me responder.

Rodrigo Caio
No clássico entre São Paulo e Corinthians, no domingo, o zagueiro Rodrigo Caio avisou o árbitro que o atacante Jô não fez falta no goleiro, portanto, não merecia o cartão amarelo. A advertência tiraria o corintiano do próximo jogo. O árbitro voltou atrás e retirou o cartão de Jô. Atitude louvável de Rodrigo. Como não era uma questão mais séri, como um pênalti ou expulsão, a torcida do São Paulo não reclamou. Infelizmente, o que a imprensa paulista comentou é que o vestiário do São Paulo não foi muito amistoso depois do jogo. Os jogadores e comissão técnica do clube não gostaram da atitude do zagueiro. Deste jeito, jamais teremos um país melhor. Vamos pra rua protestar contra corrupção, a favor da Lava Jato e etc, mas em um simples lance de futebol queremos levar vantagem. Como diz o alemão: ‘’pode abandonar…’’

Até logo
Por hoje era isso, pessoal. Volto na sexta-feira, dando minha visão sobre o final de semana que pode ser de glórias para o Barroso. Confira mais informações do esporte local em www.esportecampeao.com

Chegou a hora, Barroso
O jogo de sábado do Barroso contra o Avaí já é o mais importante da sua breve história de retorno aos gramados. Uma vitória contra o Avaí deixará o Almirante próximo da série A de 2018. A equipe, treinada por Renê Marques, perdeu várias chances de fazer os pontos que precisava, deixou pra cima da hora, mas quem nunca fez isso? É a cultura de brasileiro. O fato é que o caixão pode ser reaberto, a vitória contra o Avaí deixará ao menos a decisão para a última partida que será contra o Tubarão em Itajaí. Eu acredito na vitória do Barroso. A equipe vem ganhando moral nas últimas semanas e deve responder em campo, no sábado. Se escapará do rebaixamento não posso afirmar, mas que ao menos cairá brigando sem ser saco de pancadas, isso é certo. Ser rebaixado com três ou quatro rodadas de antecedência seria humilhante.

Novo Presidente
Como todos sabem, o Almirante Barroso é um clube empresa e agora tem novos sócios e presidente. A chegada de Hudson e Gener já aconteceu no início do ano, mas agora Hudson assume a presidência da equipe e promete seguir o projeto firme e forte. Em conversas que tive com o novo president, ele se mostrou esperançoso em firmar o Barroso na elite catarinense e tornar o clube grande no futebol nacional. Os dois novos sócios que agora são majoritários do clube, são grandes empresários de São Paulo e já atuam no meio do futebol. Também conversei com Gener e ele disse que já investiu muito dinheiro em clubes que não eram de sua propriedade, agora ele poderá investir no seu patrimônio, e promete grandes quantias. Boa sorte aos novos comandantes. Os antigos, Adriano Cipriano e Neto Custódio, que trouxeram o clube da terceira até a primeira divisão seguem na sociedade.
Jogos no mesmo horário
Todos os jogos serão no mesmo horário na tarde de sábado para evitar vantagens indevidas para qualquer time, já que metade da tabela ainda corre riscos de rebaixamento, esta decisão foi bem acertada. Em um primeiro momento a FCF deixou a partida entre Tubarão e Figueirense para domingo. As duas equipes entrariam em campo sabendo dos resultados de seus adversários, sem falar que mesmo jogando no sábado um simples empate salva as duas equipes, aposto com vocês que esse jogo não terá vencedor.

Chefão da arbitragem precisa estudar
Imagine você que um belo dia o diretor do colégio em que você estuda resolve fazer uma prova de conhecimentos gerais a todos os professores e alunos. Pois me parece óbvio que os professores devem tirar boas notas e o diretor da escola a nota máxima. Concorda? Pois bem, a arbitragem de Santa Catarina fez um teste da CBF e o diretor da arbitragem de Santa Catarina o Sr Sandro Matos tirou a nota 6,5 e nem ao menos alcançou a média de 7,0. É uma vergonha para Santa Catarina um episódio desses, acho que o chefe precisa ler um pouco mais. Os árbitros de Itajaí tiraram todos notas acima de 9,0 e o conhecido Marcão tirou nota 10, parabéns rapaziada.

Até logo
Por hoje era isso pessoal, convido a todos para na segunda-feira acompanhar o Esporte Campeão Debate ao vivo pelo facebook na próxima segunda-feira. Boa páscoa.

Os resultados do campeonato catarinense têm sido positivos nas últimas rodadas para o Almirante Barroso, só faltava o próprio fazer a sua parte. Neste domingo a vitória em cima do Brusque manteve o Barroso vivo. Metropolitano e Inter de Lages perderam os seus jogos dando um pouco mais de ânimo para o time de Itajaí. Por isso eu tomei o maior cuidado ao não cravar o rebaixamento da equipe. Muita gente já tratava o Barroso como rebaixado, o que deu até discussão nas redes sociais quando disseram que o caixão já estava fechado. Agora, o milagre passa a ser possível: na próxima rodada o Barroso precisa vencer o Avaí, torcer para o Inter perder para o Brusque e para o Metropolitano perder para o Criciúma. São resultados absolutamente normais, então o velho Almirante segue vivo.

Coach no Barroso
Depois da piada do parapsicólogo que deixou alguns jogadores constrangidos, o Barroso acertou a mão ao contratar os serviços de um coach profissional. Pela segunda vez depois de uma vitória o técnico Renê Marques cita o trabalho do coach Sérgio Clemente. O Barroso tem investido em uma comissão técnica bem completa e os serviços de coach completaram a lista. É visível o ganho de confiança da equipe. É lógico que o coach não fará gols, mas parece ter ajudado a equipe a lidar com a pressão da luta contra o rebaixamento.

Investir na base
Tive o prazer de acompanhar de perto a molecada participando e se divertindo no 12º Festival de atletismo na Escola Elias Adaime, em Itajaí, na última semana. O convite partiu do idealizador do projeto: o vereador Acácio da Rocha. Eu fico muito satisfeito em ver milhares de crianças envolvidas. Penso que é pra isso que serve o esporte: contribuir na educação das crianças. Se acharmos um esportista no meio será legal, mas a formação do ser humano é o que vale. Por anos investimos demais no esporte de rendimento. Acho que chegou a hora de valorizar a molecada de Itajaí. Quando conversei com o novo superintendente da FMEL, Fabinho Rezes, ele me garantiu que a nova política de Itajaí para o esporte será o investimento na base. Disse que tentaria continuar investindo no rendiment, mas com mais atenção à base, mas ainda não vi nada sobre isso acontecendo. Já vimos alguns nomes do rendimento saindo. José Iran e Zamboneti são bons exemplos e tomara que quem entrar no lugar dê conta do trabalho, pois os resultados sempre foram os melhores. Agora é preciso mostrar impacto na base. Quem sabe contribuir com as escolas em tempo integral, que devem ser implantadas, colocando o esporte como parte integrante. O esporte de Itajaí está muito silencioso. Acorda, Fabinho!

Fórmula 1
Comentei na última coluna que depois de ter visto o GP da Austrália, acreditava em poucas ultrapassagens nesta temporada, pelo menos era o que mostrava a primeira corrida. Pois e não é que o GP da China surpreendeu? Muitas ultrapassagens durante a corrida, disputas apertadas e uma corrida bem legal de assistir. Semana que vem já tem corrida novamente, desta vez é no Bahrein, uma pista com grandes retas seguidas de fortes curvas. Tomara que se repita a emoção do GP da China! Falando rapidamente sobre a classificação temos Hamilton e Vettel empatados na ponta com 43 pontos cada. Enfim, temos um campeonato!

Chegou a hora
O Barroso tem a sensação do Peru na véspera de natal. Provavelmente chegou a hora de voltar para a segunda divisão. A missão de vencer os três jogos restantes e os seus adversários perderem as três partidas é praticamente impossível. O jogo domingo, às 10 horas da manhã, e como a fase não é boa até isso vira piada. Um post do jornalista Rodrigo Santos falando que o jogo era na parte da manhã em virtude do baile da terceira idade que acontece no período da tarde, viralizou e tomou projeção nacional no site e humor esportivo Cenas Lamentáveis.
Mas em relação ao jogo contra o Brusque em casa, o Barroso precisa vencer pra seguir respirando. Caso perca o jogo estará matematicamente rebaixado. Uma ou duas vitórias seriam importantes para não deixar a campanha tão ruim, ao menos para terminar honrando a camisa. A verdade é que, sendo rebaixado, o Barroso não passa vergonha alguma. É um projeto em início e que precisa seguir tentando crescer. Mas como é um clube empresa eu só espero que o Barroso siga no futebol e em Itajaí.

Fórmula 1 – 2017
Você gosta de Fórmula 1? Eu pergunto porque percebo que as pessoas não acompanham mais o esporte. Na minha adolescência acompanhávamos as corridas, cada um torcia para uma equipe, tinham as piadas com o Rubinho e era assunto nas rodas de amigos. Infelizmente, o automobilismo brasileiro não conseguiu fazer mais pilotos para chegarem até lá, o que fatalmente faz com que o interesse diminuísse.
Mas falando da atual temporada que iniciou há 10 dias, acho que teremos um ano diferente dos últimos. Primeiro porque, visivelmente, a Ferrari tem um carro capaz de brigar com a Mercedes e possivelmente veremos um carro da Red Bull brigando por vitórias e vez por outra uma Willians, Hass ou Force Índia no pódio. Mas o ponto negativo esta nos carros, sou do tempo que os motores berravam alto, tinham mais de 1000 cavalos e pouca tecnologia. Para 2017 os carros voltaram a ter mais de 1000 cavalos de potência, mas o som continua parecendo uma máquina de lavar. Eu tenho uma Brastemp aqui em casa que quando está centrifugando berra mais que a Ferrari do Vettel.
Além disso, a alta potência dos carros e alta carga aerodinâmica fará com que tenhamos pouquíssimas ultrapassagens nas corridas. Será muito difícil de encostar, pegar o vácuo e passar. Se insistir em ficar perto os pneus vão desgastar rápido e o piloto precisará parar. Tomara que eu esteja errado, mas se estiver certo as corridas serão decididas quase sempre nas paradas no boxe e não na pista.

Marcílio Dias quase
O clima no Marinheiro não poderia ser melhor para o início de um campeonato. A comissão técnica, formada com bastante antecedência, já trabalha atrás de jogadores. As informações dão conta de que o time do Marinheiro já tem boa parte do elenco definido. No estádio Dr. Hercílio Luz as reformas já começaram, e nesta semana o clube anunciou um diretor de esportes olímpicos. Além disso, a parte financeira do clube não parece ser problema. O patrocínio Master já estaria apalavrado. Nas próximas semanas devemos ter novidades. Em cerca de um mês o grupo de jogadores deve ser apresentado.

Até logo
Por hoje era isso, acompanhem mais informações do esporte local no site www.esportecampeao.com e na segunda-feira teremos uma live falando do Barroso e do Marcílio Dias. Abraço.

Palmeiras sem Mundial
Novamente uma das discussões da semana foi o “Mundial” de 1951. O Palmeiras é um dos maiores times do mundo, tem uma história fantástica com milhares de títulos e feitos para contar, também tem uma torcida gigante e uma grande estrutura. Mas não tem mundial… A discussão vira flauta entre os torcedores, mas vamos falar sério. Pegar um torneio de verão de 1951 e considerar mundial é forçar a minha inteligência. Se for aceitar isso como mundial, o Santos de Pelé é campeão do mundo inúmeras vezes. Naquela época era normal os clubes realizarem excursões por outros países fazendo jogos amistosos e divulgando a sua marca.
Se o ‘’Mundial’’ foi conquistado em 1951 porque diabos nunca comemoraram isso? Essa história só surgiu depois que o Corinthians foi campeão do mundo, de verdade, em 2012. A FIFA, na época, respondeu dizendo que seria mundial, depois de tanta insistência do Palmeiras, com a ajuda da CBF. De forma política, a entidade máxima do futebol aceitou como mundial, mas nem colocou no seu site a informação. Mudada a direção da FIFA, recuaram. Tenho o maior respeito pelo Palmeiras e acho que o clube não precisa mendigar mundial ou qualquer título por fax. Conquistará todos eles no campo nos próximos anos.

Neymar será o melhor
Neymar fez neste final de semana o seu 100º gol pelo Barcelona. O número é expressivo e já o coloca entre os grandes. Penso que ele já tem nível pare ser comparado com Messi e Cristiano Ronaldo. Pelo menos no futebol que os gringos jogam hoje. O problema é que quem vota para esta escolha esta condicionado a decidir apenas entre os dois e acabam deixando o Neymar de lado. Mas neste momento o Neymar está jogando mais que Messi e Cr7.

Almirante não caiu
Faltando três rodadas para o fim do campeonato, o Barroso precisa vencer as três partidas e torcer para o Metropolitano e o Inter de Lages perderem as suas três. É lógico que é quase impossível, mas o Barroso tem o dever de acreditar e honrar a camisa até o final. Os três adversários do Barroso, (Brusque, Avaí e Tubarão) estarão brigando por alguma coisa no campeonato, e serão jogos duros. Encerrar o campeonato sendo rebaixado é normal. O que não pode é ser saco de pancadas nesses últimos jogos e ser goleado. É necessário cair brigando.

Barroso nas redes sociais
O time verde de Itajaí experimenta o lado ruim do futebol. As críticas e as piadas pelos resultados ruins. Até uma postagem oficial reprovando o comentário do vereador Fabrício Marinho aconteceu. Para o vereador, o Caixão do Barroso já está fechado. O vice-presidente Neto Custódio não gostou e retrucou. O que tem sido corriqueiro na fan page do clube, invadida por torcedores do Marcílio Dias. Nesse momento o mais correto seria o Barroso focar no final do campeonato. A postagem falando da declaração do vereador não pegou bem, principalmente por não ter colocar a resposta que Fabrício deu na discussão.

Barroso já caiu?

Barroso já caiu?
Depois da derrota para o Metropolitano só um milagre tira o Almirante Barroso da segunda divisão. Mas milagres acontecem, principalmente no futebol. O milagre do Barroso será fazer em quatro jogos mais pontos do que fez em 15. Será necessário vencer todos os jogos, na melhor das hipóteses poderia perder uma das partidas e contar com uma combinação de resultados. A verdade é que é quase impossível, mas no futebol, às vezes, acontecem coisas inexplicáveis. Domingo enfrenta o Criciúma em casa e precisa vencer para continuar respirando. Eu, sinceramente, não acredito que escape do rebaixamento, mas não duvido. Uma coisa é certa, Almirante Barroso ou Metropolitano serão rebaixados, ou seja, o torcedor do Marinheiro vai comemorar.

Internacional acusado de falsificação
Segue a novela do rebaixamento do Internacional de Porto Alegre. O clube gaúcho reclama da escalação irregular do zagueiro Victor Ramos, inclusive acionou a FIFA. O STJD divulgou que uma perícia teria comprovado a fraude nos documentos apresentados como prova pelo Inter. Se isso for comprovado, o Internacional poderá sofrer severas punições. Porém, a maior punição já é a antipatia do torcedor brasileiro. Incrível como a administração do presidente Vitório Piffero conseguiu aumentar tanto a rejeição do Internacional com os torcedores dos outros clubes. Eu tive o prazer de fazer o meu trabalho de conclusão de curso em 2009 no Internacional, estudei as estratégias de comunicação e marketing esportivo utilizadas pelo Inter. O clube tinha como slogan ‘’Internacional, o clube do povo’’. Era um clube simpático, sinônimo de organização e comemoração de grandes títulos. O ex-presidente fez parte disso, mas conseguiu jogar a sua biografia no lixo rebaixando o clube e ainda deixando o Inter com a marca do tapetão. Sobre a questão do Victor Ramos, pra mim fica claro que se alguém estiver errado é a CBF, pois o Vitória não tem culpa.

Seleção brasileira
Incrível a mudança da seleção brasileira na mão do técnico Tite. Não lembro da torcida brasileira cantando o nome de um técnico como tem acontecido com Tite. Com a imprensa internacional comentado tanto sobre o trabalho do técnico, que já tem um currículo invejável. Acho que poderemos ter um técnico brasileiro trabalhando na Europa, em um grande clube, depois da Copa. Se conseguir o título da Copa e trabalhar em um grande clube europeu, Tite será o maior técnico brasileiro da história.

Até logo
Por hoje era isso pessoal, logo eu volto com mais informações. Vocês podem acessar owww.esportecampeão.com e acompanhar todos os dias as informações do esporte de Itajaí.

Assalto em Florianópolis
Poderia ser manchete da editoria de polícia aqui do DIARINHO. Assalto em plena luz do dia. Foi esse o sentimento do torcedor do Barroso no último sábado. O árbitro André Luiz Back deu um pênalti escandaloso ao Figueirense.
A partir disso, vamos para as coincidências: o time da capital estava tão mal quanto o Barroso na tabela e caso perdesse a partida corria sérios riscos de rebaixamento, já que a sua sequência era muito difícil. O mesmo árbitro não validou um gol legítimo e tão bizarro quanto na partida contra o Metropolitano em Itajaí. Anulou um gol por impedimento tendo dois zagueiros na linha do gol.
Além disso, o Almirante reclama de outros dois pênaltis: um a seu favor, diante do Tubarão, e o outro marcado contra, frente ao Criciúma.
Apesar de ter sido o auxiliar quem anulou o gol, o árbitro poderia ter consertado o erro. Já que, se o estádio inteiro viu, ele também deveria ter visto. Ou será que viu? Eu não posso escrever exatamente o que eu penso sobre a arbitragem aqui em Santa Catarina, pois certamente sofrerei represálias. Mas com este tipo de coincidência não há como evitar que o torcedor desconfie do caráter do árbitro ou de quem comanda o futebol Catarinense.
Na medida que a Federação escala um árbitro sem nenhuma condição para apitar um jogo de um time da capital na sua casa, ela assume o risco do “erro’’. Não pense você, torcedor, que seria necessário alguém do comando ligar e pedir para o árbitro favorecer este ou aquele time, a própria natureza do árbitro fará o serviço.
Um árbitro de baixo nível técnico sempre será caseiro, principalmente quando o time grande está em casa e precisando da vitória. O resultado você viu sábado. E dito isso, entro em outra questão: onde estava o presidente do Figueirense que ano passado fez coletiva para reclamar da arbitragem no campeonato brasileiro? Por que ele não foi para a coletiva dizer que realmente não foi pênalti e estava envergonhado de salvar o seu time daquela maneira? A verdade é que ninguém pensa no bem do futebol, pensa apenas no seu umbigo.
Tomara que o dia em que o Barroso seja beneficiado não entre na onda de times que reclamam da arbitragem e depois fazem pouco caso quando são beneficiados. Nesta segunda-feira o Barroso entrará com uma representação contra o árbitro André Luiz Back, mas agora o estrago já está feito e o Barroso só escapa do rebaixamento por um milagre.
Neste momento os marci- listas devem estar dizendo que o Barroso não caiu por casa da arbitragem e etc. E não caiu mesmo! Mas quando o pequeno esta à beira do precipício a arbitragem dá como se fosse um assoprão, o suficiente para derrubar.
Marcilista, seja solidário! Você mais do que ninguém sabe o que é ser prejudicado pela arbitragem. Quantos títulos catarinenses o Marinheiro já poderia ter se não tivesse sido garfado várias vezes?
Hoje é o Barroso, mas ano que vem será o Marcílio e isso nunca mudará. E aí eu me pergunto: Por que mesmo acompanhamos esse esporte?

Até logo
Por hoje era isso pessoal, logo eu volto com mais informações. Sexta-feira comento a chegada do novo técnico do Marinheiro. Vocês podem acessar o www.esportecampeão.com e acompanhar todos os dias as informações do esporte de Itajaí em tempo real.

O roteiro do filme estava perfeito demais para ser verdade: 2 x 0, jogando muito bem e os adversários diretos na luta contra o rebaixamento perderam as suas partidas. Mas aos 33 minutos do segundo tempo o goleiro Rodolfo falhou feio. Um frango clássico, entre as pernas. Penso que este gol deu o gás a mais que a Chapecoense precisava.
Mas eu vou tentar defender o goleiro Rodolfo, que por muitas vezes salvou o Almirante Barroso em jogos decisivos, por exemplo na final do campeonato da segunda divisão. O título tem muito da atuação de Rodolfo na final, mas vamos ao que interessa, o campo foi o culpado. E isto só saberá quem andar no campo depois de uma forte chuva como tem acontecido nos últimos dias. A base do gramado ainda tem problemas e quando chove o sintético do Camilo Mussi fica muito mais fofo que o normal, quando a bola quica no chão, ela não quica, o solo amortece a bola e engana o goleiro. Por ironia do destino o gol que deu o acesso ao Barroso em 2016 usou do mesmo artifício. O volante Buru alçou a bola na área e o goleiro Dida do Juventus fez um movimento parecido com o que fez Rodolfo, e o frango também aconteceu naquela ocasião.

Ponto positivo
Acredito que o Barroso fez a melhor partida do ano nesta quarta-feira contra a Chape. Dominou o adversário boa parte do tempo, assim como fez com o Inter de Lages. É óbvio que é difícil manter aquele ritmo de marcação e pressão os 90 minutos do jogo, em algum momento o outro time será melhor. Se o Barroso conseguisse manter a Chapecoense dominada durante 90 minutos, nós teríamos aqui um time de série A. O próximo confronto é neste sábado contra o Figueirense, em crise, fora de casa. A derrota pode significar um virtual rebaixamento, mas o que vale agora é não perder o Tubarão de vista. São apenas três pontos de diferença. Lembrando que na última rodada os dois times se enfrentam em Itajaí. Poderemos ter uma final valendo vaga na elite de 2018.

Marcílio Dias
O time anuncia novo técnico para essa temporada na próxima segunda-feira. Eu cheguei a pensar que o Marinheiro fosse tentar a contratação do técnico Renê Marques, mas, como a apresentação é segunda, então teremos outro nome no comando do Marcílio Dias. Não faço ideia de quem será o técnico. Mas não me surpreenderia se tivéssemos a apresentação de Fernando Gil, filho do superintendente de Futebol do Marcílio Dias. É um técnico jovem e provavelmente de baixo custo, com experiência na terceira divisão como técnico e de auxiliar na segunda divisão. Acho que seria um bom nome. Entrosamento com o superintendente de Futebol não faltaria.

Até logo
Na próxima coluna poderemos falar do futuro do Almirante Barroso com mais clareza. O jogo do final de semana vale muito. Sigam acompanhando informações do nosso esporte no www.esportecampeao. Neste sábado participo da transmissão do jogo do Almirante.

Barroso renasce
A vitória do Barroso contra o Inter de Lages foi marcante. O time jogou com outra postura. O técnico Renê Marques adiantou as linhas de marcação, sufocando a equipe visitante. Quando o Inter acordou já estava 2×0 para o Barroso. Provavelmente foi o melhor primeiro tempo da equipe de Itajaí. Mesmo que na segunda etapa o nível tenha caído um pouco, os três pontos foram garantidos. Acho que o Técnico Renê Marques encontrou a equipe ideal. Esses 11 devem ser mantidos para a partida contra a Chapecoense. Além da escalação, a postura é a principal mudança na equipe: a marcação começada pelos atacantes dificultou a subida do Inter de Lages.
Contra a Chapecoense, a equipe precisa repetir a marcação e a vontade demonstradas no domingo.

De olho na elite
A partir de agora o torcedor Barrosista passa a fazer contas. Eu acredito que 18 pontos seja o suficiente para se manter na Série A. Mantendo a média de 1 ponto por rodada o Barroso escapa do rebaixamento. Mas para essa conta fechar é necessário vencer os confrontos diretos. De nada adiantará vencer a Chapecoense em casa e perder para o Metropolitano em Blumenau. Acredito que agora a briga fica entre Inter de Lages, Tubarão, Metropolitano e Barroso. Quem vencer os confrontos diretos deverá permanecer. Se tivesse que apostar nos dois times rebaixados eu colocaria o meu dinheiro em Inter de Lages e Tubarão. Acredito que Metropolitano e Barroso escapam raspando.

Emoção na coletiva
Ao final da vitória do Barroso em cima do Inter de Lages, o técnico Renê Marques não segurou a emoção. O técnico passa por problemas particulares, tem o pai e a mãe internados na UTI e ainda a pressão pelo rebaixamento. Em entrevistas durante a semana, o vice-presidente do Clube, Neto Custódio, deixou claro que se a vitória não viesse contra o Inter de Lages o técnico perderia o cargo. A pressão era grande, tudo parecia conspirar contra, mas caso vença a Chapecoense na quarta-feira, Renê pode encerrar a rodada fora da zona de rebaixamento.

Marcílio Dias
É incrível como mesmo sem calendário o torcedor não abandona o Marinheiro. Muitas pessoas acompanharam a festa de aniversário que teve jogo entre sócios, festival de food trucks e múusica ao vivo. O prefeito Volnei Morastoni esteve presente. Desde a primeira vez que foi prefeito, todos sabem que Volnei é um entusiasta do futebol. Faz tempo que a prefeitura não coloca dinheiro vivo no Marinheiro (e o momento não permite isso), mas se a prefeitura ajudar com a influência que tem já será importante.

Até logo
Por hoje era isso pessoal, vamos torcer para o Almirante vencer a Chapecoense e embalar no segundo turno. Mais informações do nosso esporte você confere no www.esportecampeao.com um abraço

Segunda Divisão sub-23
Era só o que faltava! Os clubes decidiram que o campeonato da Segunda Divisão Catarinense 2017 será com atletas sub-23, com a possibilidade de cinco atletas adultos jogarem. A proposta foi do Barra, de Balneário Camboriú. Como essa equipe tem altos investimentos e um trabalho forte de base, é altamente vantajosa para eles a determinação de atletas mais jovens.
O que me espantou foi ver os outros times concordarem com essa proposta maluca. Apenas Marcílio Dias, Hercílio Luz e Atlético Itajaí votaram contra.
Todo o restante dos times acreditou que será mais barato disputar a competição desta maneira. O Camboriú, do competente Henrique Coppi, votou a favor mesmo dizendo em entrevista ao jornalista Marcelo Nunes que era contra a proposta. Não entendi, presidente! Maria vai com as outras? Ou tem medo de alguma represália? Foi visível o trabalho feito pelo Barra nos bastidores convencendo todos a votarem a favor desta proposta ridícula. Apesar de eu achar um amadorismo sem tamanho, o Barra trabalhou para fazer o que achava melhor pra si. O Marinheiro foi inocente, faltou ser político e visitar clube a clube antes da reunião final. Reflexo da inexperiência de seus comandantes, mas isso serve de lição.
Faltando pouco mais de dois meses para a competição, as novas regras dificultarão a vida do Marcílio Dias na formação deste elenco, já que o time não possui trabalho de base e terá que buscar parcerias com outros clubes para conseguir bons jogadores a preços acessíveis. Como o vice-presidente do Marinheiro tem contatos em mais de 50 clubes pelo Brasil, acredito que não terá dificuldades em montar a equipe. Diferente do Atlético Itajaí que já estava com o time praticamente completo.
Quando achei que a federação mudaria, parece que mudou para pior…

Richarlyson no Barroso
A contratação de Richarlyson quase foi concretizada. Só não foi efetivada pelo Barroso porque o jogador precisava de 20 dias para entrar em forma. O que me chamou atenção foi o alvoroço nas redes sociais depois que publiquei a negociação. Me surpreendeu o fato do jogador ainda ter o seu futebol reconhecido pelos torcedores e, apesar das brincadeiras, também surpreende o quanto as pessoas ainda são preconceituosas. O futebol é machista ao extremo. Tenho certeza que as cobranças por um padrão de masculinidade por parte do atleta atrapalharam a carreira dele que, certamente, seria maior do que foi.

Barroso x Inter de Lages
Esse é o jogo da vida para o Barroso. Eu sei que já escrevi isso em outras colunas, mas agora é a última vida do gato. Se perder, morreu. Caso vença, o time ficará a apenas 3 pontos do Inter de Lages e pode ganhar confiança para enfrentar a Chapecoense em casa. O técnico Renê trabalha forte durante a semana e a diretoria faz promoção de ingressos. O cenário do jogo de domingo pode ser de velório pelo rebaixamento ou de redenção ao time. Tendo em vista que o Almirante usa a imagem da Fênix em algumas bandeiras, vale o torcedor ir ao estádio e ajudar o time ressurgir das cinzas.

Até logo
Por hoje era isso pessoal, vamos torcer para o Almirante se recuperar em cima do Inter. Mais informações do nosso esporte você confere no www.esportecampeao.com.Um abraço!

Situação complica pro Barroso
Depois da derrota do último sábado do Almirante Barroso para o Joinville, só um milagre salva a equipe de Itajaí do rebaixamento. A questão é que no futebol milagres acontecem. Para esse milagre será necessário vencer ao menos quatro das oito partidas restantes. A missão não é fácil, mas o Almirante não tem tempo de pensar se é ou não possível, pois no próximo domingo enfrenta o Inter de Lages em casa e precisa desesperadamente da vitória. Caso vença, o time segue respirando. Se perder, o barco afunda de vez e o rebaixamento se torna uma realidade. A nota importante a fazer é a manutenção do técnico Renê Marques no cargo, com o barco afundando não é hora de trocar o comandante, tem que deixar o homem trabalhar.

O que falta?
Assistindo ao jogo sábado não gostei da escalação do meia Rodolfo Ferreira, mas não achei que ele tenha comprometido. Acho que o meia Safira está devendo mais rendimento. É um bom jogador, mas também merece críticas e banco de reservas. Se a bola não chega no ataque, algo tem de errado no meio de campo. No primeiro tempo o time jogou com duas linhas de quatro marcando bem atrás. Acho que o técnico Renê deveria adiantar um pouco essas linhas e marcar mais à frente, pra manter o adversário mais longe do gol. Porém, pelo menos no primeiro tempo deu tudo certo: o Almirante conseguiu controlar o adversário. O problema é que no segundo tempo o Jec mexeu no seu esquema e o Barroso não conseguiu encaixar a marcação no novo esquema do adversário. E aí entram as falhas individuais. Eu não gosto de violência no futebol, mas o futebol é um jogo de contato e o “fazer falta” faz parte. Os zagueiros precisam usar deste artifício. O zagueiro Téssio é um grande jogador, mas se preocupa demais em jogar de forma elegante e não pára a jogada com faltas quando necessário. Eu pego o exemplo do volante Buru, não é violento e também não faz um número de faltas absurdo, porém chega duro em todas as jogadas, sempre na bola, mas muito firme e impondo respeito. No primeiro gol do JEC, o zagueiro Téssio perdeu o tempo da bola e deixou o adversário passar ileso. Os atletas do Barroso reclamaram que Robenval estava caído e a bola precisava ser colocada pra fora. Eles pediram o Fair Play. Ou o Barroso engrossa o caldo e joga com mais vontade e virilidade ou será o time mais disciplinado, com direito a troféu Fair Play, mas rebaixado. Acho que o técnico Renê Marques precisa dar pimenta para os jogadores comerem antes do jogo. Dizem que lá não falta nada: salário tá em dia, tudo certo! O que falta então pra darem o sangue em campo? O comentarista Nilton Bleichvel usou uma expressão na transmissão da rádio Univali que fui obrigado a dar risada: ‘’Os zagueiros do Barroso parecem que estão em um baile, ninguém pode pisar no pé do outro’’

Marcílio Dias começa os trabalhos na base
Como é bom ver o Marinheiro em atividade novamente nas suas categorias de base. No último sábado aconteceram os primeiros amistosos. A molecada mostrou muita qualidade. Mas o destaque pra mim está no banco de reservas.
O técnico Marcelo Silva, que já fez parte da nossa imprensa, representa a renovação também na parte de treinadores. Trabalhou bastante, buscou conhecimento e agora tem a oportunidade de iniciar a sua carreira. Estreou perdendo de 1 x 0 mas o resultado pouco importa, tenho certeza que será vitorioso na carreira de técnico.

Hora da verdade no Almirante Barroso
O confronto deste sábado contra a equipe do Joinville abre o segundo turno. Pode significar a volta por cima do Barroso, mas em caso de derrota agrava a crise. Apesar da pressão em cima do Barroso é precisa lembrar que o JEC também está na zona de rebaixamento. A estratégia do técnico Renê Marques certamente vai aproveitar este momento ruim do adversário. Fazer um gol em Joinville deixará o time da casa com os nervos a flor da pele. É isso que o Barroso precisa fazer, não pode esperar, precisa ir pra cima do JEC e seja o que Deus quiser. Depois terá dois jogos em casa contra Inter de Lages e Chapecoense, a recuperação é agora ou nunca.

Bastidores agitados no Barroso
Não é só no futebol profissional que as coisas estão atribuladas no Almirante Barroso. Nas eleições da executiva, a chapa derrotada já cobrava o cumprimento do contrato, que teria vários pontos descumpridos, o que causaria até o rompimento da parceria. Questões como pagamento de energia elétrica, água, verba de patrocinadores, bilheteria e as obras que nunca terminam. No lado oposto das arquibancadas era prevista uma lanchonete que seria utilizada pelos locatários do campo, mas até hoje esta estrutura não está pronta. A chapa derrotada segue recorrendo do resultado. Mas o atual conselho do clube deve cobrar todas estas questões da parceria.
Sempre que questionados, os sócios do Litoral negam que tenham algo pendente, porém não é o que dizem os integrantes do conselho do clube, que reclamam de mais coisas. A parceria fez um site com o domínio ‘’www.clubealmirantebarroso.com.br’’ muito similar ao site do clube social, lá ainda diz que este é o site oficial do clube e que o presidente é Adriano Cipriano e não Lilo Orsi. A parceira ainda negocia a possibilidade de junto com o Jaraguá Futsal disputar a liga nacional de futsal, mas tudo isso sem consultar o conselho do clube, que em breve chamará o litoral para discutir estes pontos.
Quem está certo eu não sei, o fato é que depois do campeonato catarinense as duas partes precisam sentar, conversar e resolver a vida. A parceria pode ser benéfica para os dois lados, se cumprida 100% por todo mundo.

Marcílio Dias calmo demais
Gostei muito da nova camisa que já esta à venda, manteve um visual mais tradicional e o escudo novo ficou muito bonito. Os valores na média de R$ 100 também são justos. Outra coisa que me agradou foi a loja virtual, pois facilitará a vida do torcedor. Parece que o Marcílio Dias está andando em um bom caminho, só peço pra que não demorem com a montagem do time. A segunda divisão começa logo depois do término da série A. Penso que o Marcílio Dias já deveria estar atrás de comissão técnica, jogadores, patrocinadores e etc. Tomara que a nova diretoria esteja esperando acabar o campeonato da série A para fazer os anúncios, mas que esteja trabalhando. O Marinheiro tem obrigação de subir e não pode deixar o futebol pra cima da hora.
Até logo
Por hoje era isso, pessoal. Vamos torcer para o Almirante se recuperar em cima do JEC e inicar bem o returno. Mais informações você confere no www.esportecampeao.

Barroso joga a vida contra o Tubarão
Por incrível que pareça o Tubarão, que não mordia ninguém até a 5ª rodada, renasceu na competição. Depois de uma boa sequência, recebe o Almirante Barroso em casa neste final de semana e em caso de vitória chegará aos 11 pontos, quase o dobro dos seis do Barroso. A equipe de Itajaí não pode nem sonhar em perder esse jogo, e passa a considerar o empate em Tubarão um bom resultado.
Despois de enfrentar o Barroso a equipe do Tubarão recebe o Metropolitano. São dois jogos em casa contra adversários diretos. As coisas mudaram bastante lá no sul do estado. Ao Barroso resta saber o nível de controle emocional do time de Renê Marques, que sempre jogou sendo o líder e vencendo muitos jogos, e agora joga pressionado. Também vamos ver como chegam os reforços contratados na semana. Agora vamos separar os homens dos meninos.

Brusque fez história
Foi por muito pouco que o Brusque não eliminou o Corinthians na Copa do Brasil. Um pênalti na trave mudou a história. Mas levar o jogo para os pênaltis já foi um grande feito. Fazendo um comparativo, o salário de Jadson, camisa 10 do Timão que gira em torno de R$ 600 mil, paga quase duas folhas salariais do Brusque. Apenas um jogador do clube paulista é o dobro do investimento. Existe um abismo entre as duas equipes, e é por isso que o futebol é tão apaixonante. Em nenhum outro esporte um adversário tão menor que o outro teria chances de vencer.
Quanto ao feito histórico, a partir de hoje o Brusque está no mapa do futebol brasileiro. Ganhou exposição nacional uma semana, acredito que dará ainda mais confiança para lutar no estadual. Quem sabe consiga lutar pelo título no segundo turno. No momento o Brusque tem 15 pontos na classificação, ou seja, já não será rebaixado, garantirá vaga na série D do Campeonato Brasileiro de 2018 e tem tudo para conquistar novamente a vaga para a Copa do Brasil. Aos poucos o Brusque se firma como o maior dos pequenos em Santa Catarina. O JEC que se cuide, pois se a Havan decide derramar mais dinheiro o Bruscão pode se tornar a quinta força do estado.

A graça do futebol é a flauta
Todos que acompanham meu trabalho sabem que torço para o Corinthians, eu acho mais justo e honesto com quem me acompanha saber disso, desta forma você pode me cobrar se estou sendo clubista ou parcial. Durante a partida do Brusque muitos torcedores de outros times torciam contra o Corinthians.
Depois da vitória do timão, publiquei um vídeo devolvendo a flauta e dando risada com o resultado do jogo, em que os secadores do Timão não puderam comemorar. Pois nesse momento começam a surgir os comentários e mensagens. O que quero dizer é que o futebol precisa ser um momento de alegria e diversão para as pessoas. Na rede social, hoje em dia, todo mundo xinga todo mundo, manda pra aquele lugar e isso não tem graça…
No futebol já não se pode usar bandeiras no estádio, caras pintadas, sinalizadores e nem o pó de arroz da torcida do Fluminense. Então pessoal, não acabem com a flauta na rede social, caso contrário o nosso futebol perderá o resto de graça que tem.

Por hoje é isso
Me acompanhe no www.esportecampeao.com com notícias do esporte local. Na próxima segunda, às 20 horas, temos programa ao vivo na fan page do site. Te espero lá.