Home Colunistas Pingando nos Is Gentalha, gentalha…

Gentalha, gentalha…

– Não estivesse a grande mídia tão envolvida em desacreditar o governo do “Capitão”, empreitada de momentoso sucesso, conforme revela recente pesquisa insistentemente repetida nos principais veículos de divulgação, Folha de São Paulo e Jornal Nacional inclusive, talvez tivesse prestado atenção aos efeitos desastrosos de sua campanha.
– Senão, vejamos: “Este é o nível… As cobranças do ministro Sergio Moro sobre a lenta tramitação do projeto de lei anticrime e a reação irritada do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) – para quem “o funcionário do presidente Bolsonaro estava confundindo as bolas” – revelam o mundo real da política e a que ponto pode chegar a falta de diálogo entre os Poderes na atual conjuntura. Conforme reportagem na Folha de São Paulo de ontem, “na noite de quarta-feira, Maia também desqualificou o projeto anticrime apresentado por Moro, dizendo que o texto é um ‘cópia e cola’ de proposta sobre o mesmo tema que foi apresentada no passado pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF”. (fonte: www espacovital.com.br).
– Escrevendo sobre a “Lava-jato”, registrou Fernando Gabeira: “Mas na semana do aniversário sofreu uma derrota: por 6 votos a 5, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que crimes conexos ao caixa 2 vão para a Justiça Eleitoral. Os políticos acusados de corrupção terão um alívio. A Justiça Eleitoral não está aparelhada para investigar, dificilmente colherá provas. Alívio maior ainda é saber que, mesmo com excesso de provas, como no julgamento da chapa Dilma-Temer, ela decide absolver”.
– Também, aproveitando o tropeço dos procuradores com a história da fundação que usaria R$ 2,5 bilhões para combater a corrupção, o ministro Gilmar Mendes chegou a afirmar que havia intenções eleitorais na decisão dos procuradores de usar o dinheiro contra a corrupção. E levou o nível da tarde ao de um programa do Chaves, chamando os procuradores de “gentalha”.
– Verificando a reação nas redes e na rua, e o aumento do nível de agressividade, Dias Toffoli deu uma carteirada, determinou um inquérito. Até que ponto procuradores e parlamentares que preparam uma CPI da Lava Toga não podem interpretar isso como uma tentativa de intimidação?
– Constatou Gabeira: “Quem anda pelas ruas não ouve críticas ao STF apenas de seguidores de Bolsonaro. Há algo mais amplo e potencialmente agressivo. Penso que transcende um grupo determinado”. –
– “E se a reação for essa que Toffoli lançou, as coisas podem ficar muito piores. Em vez de as pessoas lutarem contra juízes que veem apenas como cúmplices dos políticos, eles vão ser vistos também como autoritários e antidemocráticos”.
– O caminho escolhido por Dias Toffoli agrava a situação. Abre-se uma perspectiva para uma luta mais áspera ainda.
– E o nível será: gentalha, gentalha.

alvarobrand
Bacharel em Direito, mestre em Ciência Jurídica, na área de concentração em fundamentos do direito positivo, pela Univali.
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com