Home Colunistas Pingando nos Is Crianças e selvagens são cruéis!

Crianças e selvagens são cruéis!

– Em comentário recente afirmei “os eleitos, são empossados, apenas, para cuidar dos interesses, da administração dos bens e manutenção da ordem públicas. Os executivos administrando; os parlamentares fiscalizando e aprovando projetos de interesse público, pois estão ali representando, tão somente, os eleitores e jamais os partidos, empresas ou particulares e nunca seus interesses pessoais”.
– Reitero o que disse agora, logo após a ida do ministro Paulo Guedes (Economia) à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara quando ficou claro que os deputados não estavam preparados para questionar a PEC da reforma da Previdência, tampouco para discutir verdades sobre outros assuntos.
– A audiência foi encerrada após mais de seis horas de duração, depois de uma confusão que se formou quando o deputado Zeca Dirceu (PT-PR) afirmou que o ministro age como ‘tigrão’ em relação a aposentados, idosos e pessoas com deficiência, mas como “tchutchuca” em relação à ‘turma mais privilegiada do nosso país’.
– Exatamente há um ano comentei a opinião de um destacado jornal manifestada no artigo intitulado: “Truculentos e pueris”, publicado na seção “O que a Folha pensa”, afirmando que “A deposição de Dilma e o encarceramento do líder petista contaram com o apoio da maioria da população. Se há ampla rejeição ao governo que sucedeu ao impeachment, ainda mais generalizado é o endosso à Lava Jato.”
– E ali, após o relato de “Atos violentos, como de costume, partem de militantes exaltados e agremiações organizadas cujos propósitos, nesses momentos, guardam escassa relação com o significado das siglas. ”
– Conclui: “Não devessem ser chamadas antes de criminosas, algumas de suas ações recentes beiram o pueril. ”
– A vista de tal conclusão manifestei minha opinião de que o comportamento dos seguidores do demiurgo de Caetés (esquerdopatas) se assemelha às malcriações de crianças carentes de educação.
– Agora, em comentário sobre a reunião na Câmara, publicado no mesmo jornal, o Professor Delfim Neto afirma: “A nossa esquerda “infantil”, por outro lado, esmerou-se em manifestar o seu absoluto repúdio ao diálogo civilizado. Preferiu usar suas armas conhecidas: a gritaria organizada, a injúria contra o interlocutor e o completo desprezo pelas evidências empíricas”.
– Exemplos de mau comportamento são sem dúvida as demonstrações de truculência e intolerância totalmente diversas de qualquer manifestação no exercício democrático do direito de protestar e confirmam a ausência de qualquer argumento a ser exposto ao cidadão comum.
– Já que tratamos com crianças oportuna é a observação de Samuel Johnson: “Crianças são sempre cruéis. Selvagens são sempre cruéis. A piedade é adquirida e aperfeiçoada pelo cultivo da razão”.

alvarobrand
Bacharel em Direito, mestre em Ciência Jurídica, na área de concentração em fundamentos do direito positivo, pela Univali.
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com