Home Colunistas Direto de Brasília Agronegócio: lobby tenta inviabili­zar pequenos

Agronegócio: lobby tenta inviabili­zar pequenos

“Não sou mais pontífice, mas um peregrino”
Papa Bento XVI se despedindo do Vaticano

Grandes frigoríficos e gigantes do agronegócio, que monopolizam o comércio de produtos de origem animal, fazem lobby poderoso, em Brasília, para impedir mudanças no Sisbi, sistema de inspeção oficial. O objetivo das mudanças é ampliar a adesão de pequenas e médias agroindústrias ao sistema de inspe­ção, nas esferas federal, estadual ou municipal. Com seus produtos certi­ficados, pequenas empresas podem vendê-los em todo o país e não ape­nas localmente, como hoje é feito.

Nem pensar
Com as mudanças, será possível inspecionar e fiscalizar produtos de origem animal com mais abrangên­cia. Os gigantes detestam a ideia.

Experiência piloto
Em Santa Catarina, a adesão de um consórcio de municípios ao Sis­bi/Suasa gerou incremento de 200% na venda de produtos.

Mais segurança
Outro objetivo das mudanças no sistema é garantir mais segurança na qualidade do que é consumido, além de democratizar o mercado.

Comitê gestor
Membros dos ministérios da Agri­cultura e Desenvolvimento Agrário e Anvisa compõem o comitê gestor a ser criado. Os grandes não querem.

Manobra
Deputados suspeitam que a elei­ção de cabo Patrício para corregedor da Câmara Distrital do DF foi uma manobra para se blindar de eventual cassação do mandato, caso tenham desdobramentos o escândalo das notas fiscais extraviadas e uso de R$ 4,5 milhões do Orçamento 2013.

PT é muy amigo
O êxito da intervenção em empre­sas de ônibus gera ciúmes. Entrevis­ta ao “Bom Dia DF” do vice Tadeu Filippelli (PMDB), chefe da opera­ção, foi cancelada porque a asses­soria de Agnelo Queiroz (PT) disse à emissora que só o secretário dos Transportes falaria “pelo governo”.

Para desafogar
O presidente do Superior Tribu­nal de Justiça, Felix Fischer, pediu ao presidente da Câmara, Henrique Alves (RN), prioridade para a cria­ção de Tribunal Regional Federal em Minas, Bahia, Paraná e Ama­zonas.

É do Peru
Munido do passaporte diplomá­tico brasileiro, o milongueiro “Luiz Favre” tenta salvar no Peru a ree­leição da prefeita de Lima, Susana Villarán. Sua nova missão lhe ren­deu US$ 1 milhão, diz a imprensa local.


Não vá ao teatro
A nova “boutade” de Lula na CUT, nova tentativa de manter o “Rosegate” fora do foco, gerou um apelo pândego no Twitter: “Procu­ra-se John Wilkes Booth urgente­mente”. Booth foi o assassino de Lincoln.

Efeito 2014
Conhecida por sua aversão à po­lítica, a presidenta Dilma surpreen­deu em jantar na quarta no Palácio do Jaburu. Conversou individual­mente com parlamentares, posou para fotos e até fez elogios.

Rasgação de seda
Em jantar de homenagem a José Sarney, o vice Michel Temer lembrou que foi tratado como o “homem mais importante do mun­do”, quando era deputado, em sua primeira audiência com o cacique peemedebista. Sarney retribuiu: “Hoje, você é o mais importante que conheço”.

Rodopios
Questionado se a indicação de Gabriel Chalita a ministro dançou, Valdir Raupp (PMDB-RO) descon­versa: “Ele não dança, ele é quase padre”.

PODER SEM PUDOR
Gado vacum, só um

Os adversários de Benedicto Va­ladares, em Minas, eram cruéis e implacáveis, criando variadas ver­sões sobre sua burrice. Termina­ram construindo estrofes de indis­cutível mau gosto, mas de muito efeito político:
O Brasil tem muitos muares,
E muito gado vacum.
Mas Benedicto Valladares
Só tem um.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com