Home Colunistas Coluna Roberto Azevedo O PSL enfrenta uma crise nacional

O PSL enfrenta uma crise nacional

Roberto Azevedo

O presidente Jair Bolsonaro ajudou a por lenha na fogueira das vaidades que atinge em cheio o partido ao qual ele está filiado, o PSL, ao afirmar, diante de uma pequena plateia de apoiadores, em frente ao Palácio da Alvorada, mais especificamente a um eleitor vindo de Pernambuco, que esquecesse a sigla e, mais adiante, que evitasse por seu nome ao lado de Luciano Bivar, deputado federal e presidente nacional da legenda.
Para Bolsonaro, Bivar “está queimado” e por ser da bancada pernambucana não ajudaria o apoiador, que não teve o nome revelado mas que se dizia pré-candidato em Recife e chegou a gravar dois vídeos no celular: um com a citação de Bivar e outro sem, depois de repreendido pelo presidente, cujo grupo questiona a liderança do atual presidente da sigla.
Tanto no plano federal, com disputas internas e a segunda maior bancada na Câmara rachada, quanto no plano estadual, onde o mesmo se observa na bancada de seis parlamentares na Assembleia – com dois rompidos com o governador Carlos Moisés (Ana Carolina Campagnolo e Jessé Lopes) e mais um (Sargento Lima) em vias de fazê-lo, o PSL parece fazer água e precisa estancar suas feridas.

BOLSONARO POR TESTEMUNHA

Coordenador de Políticas Públicas para a Juventude da prefeitura de Florianópolis, Fernando Fernandes recebeu a comenda pelos relevantes serviços prestados à juventude brasileira no período entre 2017 e 2019. A entrega foi feita, em Brasília, pela secretária nacional Jayana Nicaretta, catarinense de União do Oeste, sob o olhar do presidente Jair Bolsonaro, que aparece na foto oficial. O reconhecimento também teve o aval do presidente do Conselho Nacional da Juventude, Edgley Alexandre. Fernando é emedebista e não demorou muito para a turma viralizar uma edição da foto em que o homenageado ficou do lado apenas da foto de Bolsonaro.

Caso crônico
Fortalecido com a candidatura de Bolsonaro à Presidência, o PSL saltou de um partido inexpressivo para o topo da estrutura política, o que o fez queimar etapas e não lhe dar a base necessária para evitar os contratempos da atuação política. A prova está em que muitos de seus filiados, mesmo os com mandato, mantêm-se na trincheira das redes sociais, são críticos pela crítica, e, embora tenham muitos exemplos de exageros ao chegarem ao poder, insistem em que são alternativa ao que rotularam de velha política.

Moisés virou alvo
O governador Carlos Moisés da Silva, como todos que ocuparam e os que virão a ocupar o cargo, provocou a ira dos deputados mais exaltados a defender bandeiras mais plurais na sociedade e também por compor com deputados de outras siglas. E, depois de enfrentar as turbulências da saída de Lucas Esmeraldino da presidência do PSL, o governador recebeu chumbo grosso de Ana Caroline e Jessé ao criticar o gesto da “arminha” em entrevista à Folha de S.Paulo. O resultado: ambos dispararam e não pararam mais contra ele nas redes sociais, quando assumiram uma postura de opositores ao fazer entender que Bolsonaro é a única razão da permanência deles no partido.

Não vem
O presidente Jair Bolsonaro não participará da abertura da Oktoberfest, em Blumenau, nesta quarta. Como a coluna já havia antecipado, a recuperação da cirurgia para a retirada de uma hérnia na região em que Bolsonaro levou uma facada, durante a campanha, pesou na decisão.

Por falar
O presidente do MDB de Florianópolis, vereador Celso Sandrini, e o secretário- da sigla, Pedro Abel, assinaram uma resolução, na semana passada, que impede que ocupantes de cargos comissionados na prefeitura da Capital estejam inscritos à convenção municipal. O motivo, alegado no documento, é a maneira como o prefeito Gean Loureiro desfiliou-se da sigla, sem diálogo com a direção do partido, e o filiado que participar da eleição eliminará a respectiva chapa em que estiver inscrito no evento do próximo dia 19.

De Blumenau
Atual chefe de Gabinete do prefeito Mário Hildebrandt (ainda no PSB), Cesar Botelho, genro do ex-prefeito e deputado federal Renato Vianna, nega qualquer ação dele para evitar ou atrapalhar a ida de quem quer que seja para o MDB, mesmo sendo visto como influente. Botelho lembra que desde 2016 está filiado ao PSDB, tendo atuado na administração de Napoleão Bernardes (hoje no PSD) e depois atendido ao convite de Hildebrandt, e que, embora possua a amizade com muitos emedebistas, não possui qualquer relação política-partidária.

Roberto Azevedo

O presidente Jair Bolsonaro ajudou a por lenha na fogueira das vaidades que atinge em cheio o partido ao qual ele está filiado, o PSL, ao afirmar, diante de uma pequena plateia de apoiadores, em frente ao Palácio da Alvorada, mais especificamente a um eleitor vindo de Pernambuco, que esquecesse a sigla e, mais adiante, que evitasse por seu nome ao lado de Luciano Bivar, deputado federal e presidente nacional da legenda.
Para Bolsonaro, Bivar “está queimado” e por ser da bancada pernambucana não ajudaria o apoiador, que não teve o nome revelado mas que se dizia pré-candidato em Recife e chegou a gravar dois vídeos no celular: um com a citação de Bivar e outro sem, depois de repreendido pelo presidente, cujo grupo questiona a liderança do atual presidente da sigla.
Tanto no plano federal, com disputas internas e a segunda maior bancada na Câmara rachada, quanto no plano estadual, onde o mesmo se observa na bancada de seis parlamentares na Assembleia – com dois rompidos com o governador Carlos Moisés (Ana Carolina Campagnolo e Jessé Lopes) e mais um (Sargento Lima) em vias de fazê-lo, o PSL parece fazer água e precisa estancar suas feridas.

BOLSONARO POR TESTEMUNHA

Coordenador de Políticas Públicas para a Juventude da prefeitura de Florianópolis, Fernando Fernandes recebeu a comenda pelos relevantes serviços prestados à juventude brasileira no período entre 2017 e 2019. A entrega foi feita, em Brasília, pela secretária nacional Jayana Nicaretta, catarinense de União do Oeste, sob o olhar do presidente Jair Bolsonaro, que aparece na foto oficial. O reconhecimento também teve o aval do presidente do Conselho Nacional da Juventude, Edgley Alexandre. Fernando é emedebista e não demorou muito para a turma viralizar uma edição da foto em que o homenageado ficou do lado apenas da foto de Bolsonaro.

Caso crônico
Fortalecido com a candidatura de Bolsonaro à Presidência, o PSL saltou de um partido inexpressivo para o topo da estrutura política, o que o fez queimar etapas e não lhe dar a base necessária para evitar os contratempos da atuação política. A prova está em que muitos de seus filiados, mesmo os com mandato, mantêm-se na trincheira das redes sociais, são críticos pela crítica, e, embora tenham muitos exemplos de exageros ao chegarem ao poder, insistem em que são alternativa ao que rotularam de velha política.

Moisés virou alvo
O governador Carlos Moisés da Silva, como todos que ocuparam e os que virão a ocupar o cargo, provocou a ira dos deputados mais exaltados a defender bandeiras mais plurais na sociedade e também por compor com deputados de outras siglas. E, depois de enfrentar as turbulências da saída de Lucas Esmeraldino da presidência do PSL, o governador recebeu chumbo grosso de Ana Caroline e Jessé ao criticar o gesto da “arminha” em entrevista à Folha de S.Paulo. O resultado: ambos dispararam e não pararam mais contra ele nas redes sociais, quando assumiram uma postura de opositores ao fazer entender que Bolsonaro é a única razão da permanência deles no partido.

Não vem
O presidente Jair Bolsonaro não participará da abertura da Oktoberfest, em Blumenau, nesta quarta. Como a coluna já havia antecipado, a recuperação da cirurgia para a retirada de uma hérnia na região em que Bolsonaro levou uma facada, durante a campanha, pesou na decisão.

Por falar
O presidente do MDB de Florianópolis, vereador Celso Sandrini, e o secretário- da sigla, Pedro Abel, assinaram uma resolução, na semana passada, que impede que ocupantes de cargos comissionados na prefeitura da Capital estejam inscritos à convenção municipal. O motivo, alegado no documento, é a maneira como o prefeito Gean Loureiro desfiliou-se da sigla, sem diálogo com a direção do partido, e o filiado que participar da eleição eliminará a respectiva chapa em que estiver inscrito no evento do próximo dia 19.

De Blumenau
Atual chefe de Gabinete do prefeito Mário Hildebrandt (ainda no PSB), Cesar Botelho, genro do ex-prefeito e deputado federal Renato Vianna, nega qualquer ação dele para evitar ou atrapalhar a ida de quem quer que seja para o MDB, mesmo sendo visto como influente. Botelho lembra que desde 2016 está filiado ao PSDB, tendo atuado na administração de Napoleão Bernardes (hoje no PSD) e depois atendido ao convite de Hildebrandt, e que, embora possua a amizade com muitos emedebistas, não possui qualquer relação política-partidária.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com