Home Colunistas Coluna Roberto Azevedo O NOVO mostra sua cara para 2020

O NOVO mostra sua cara para 2020

Processo seletivo do NOVO, divulgado no site do partido, confirmou os nomes de Orlando Silva Neto, de Florianópolis; Leandro Schmockel, de Jaraguá do Sul; Thiago Paulo, de São José; Ney Emilio Clivati, de Balneário Camboriú; Dante Arend, de Blumenau; Adriano Bornschein Silva, de Joinville, para concorrer a prefeito este ano.

A sigla tem posições interessantes, como não usar os fundos Partidário e Eleitoral, e um componente interessante que obriga o filiado eleito a não concorrer ao mesmo cargo por mais de uma eleição consecutiva, ou seja, uma reeleição e deu.

O NOVO exige que seus filiados passem por uma maratona de testes, avaliação do perfil e formação política antes de estarem aptos para pedir o voto, no mínimo uma chance de se livrar de aventureiros e alpinistas eleitorais

NOVA ATRAÇÃO

 Turistas e moradores, curiosos e interessados, fazem fila no Terminal Cidade de Florianópolis, o mais antigo da Capital, para embarcar nas linhas executivas do Viva Ponte, micro-ônibus que faz um verdadeiro tour pelo Centro e atravessa a Ponte Hercílio Luz. A empolgação faz parte de uma estratégia, pois a viagem é gratuita, por enquanto, para incentivar que os moradores e visitantes utilizem o transporte coletivo. Quem passeia, com ar condicionado e wi- -fi a bordo, aprova e deveria transformar em hábito para melhorar a mobilidade na cidade.

Perspectiva

Visto como uma alternativa na política brasileira, com posição liberal e a favor do desenvolvimento econômico, uma das poucas barreiras impostas é quanto as coligações, mais difícil quando o assunto é o NOVO, que ainda procura um parceiro que “defenda valores e princípios convergentes”, como está descrito em seus posicionamentos estatutários. O partido elegeu um deputado federal por Santa Catarina, Gilson Marques, advogado e empresário, nascido em Rio do Sul, com vida profissional em Pomerode, pelo efeito “rolha de champanha”, com 27.443 votos, uma façanha, pois, neste caso, houve uma movimentação pela renovação e não pela onda Bolsonaro, já que João Amoêdo, um engenheiro carioca bem sucedido, concorreu à Presidência.

E cresceu

O deputado estadual Bruno Souza passou a integrar o NOVO, desde novembro do ano passado, e tem seu nome posto como um dos à disputa pela prefeitura de Florianópolis. Orlando Silva Neto poderia ser um vice em potencial ou a aposta para trazer sangue novo na eleição municipal.

Da Maravilha do Atlântico 1

Se Ney Clivati é um nome para a eleição em Balneário Camboriú, a eleição na Maravilha do Atlântico promete. Ex-prefeito por outras três vezes, além de ter sido vereador, deputado estadual e federal, senador, vice-governador e governador, Leonel Pavan (PSDB) parece estar empolgado para disputar mais uma eleição contra o forte Fabrício Oliveira (PSB), que concorrerá à reeleição com um pacote de obras, entre elas o engordamento da faixa de areia da Praia Central.

Da Maravilha do Atlântico 2

A lista é grande e dela constam, também, o ex-prefeito, por dois mandatos, Edson Piriquito (MDB), o coronel PM Evaldo Hoffmann (PSL), o vereador Marcelo Achutti ou Fábio Flôr pelo PP, e o engenheiro Auri Pavoni, que definirá uma filiação, entre outros. A situação financeira favorável da prefeitura, uma das maiores arrecadadoras de IPTU, ISS e ITBI, atrai e impõe desafios aos postulantes, que devem centrar o planejamento na necessidade de manutenção da qualidade de vida local.

Disposto a complicar

O defensor público Ralf Zimmer Júnior quer incluir, no pedido de crime de responsabilidade e de impeachment, a procuradora-geral do Estado, Célia Iraci da Cunha, a quem acusa de ter agido no que qualifica de fraude da equiparação dos salários dos procuradores do Estado com os da Assembleia. Zimmer Junior afirma que protocolará o acréscimo da procuradora-geral na Assembleia, junto com o governador Carlos Moisés, a vice Daniela Reinehr e o secretário Jorge Eduardo Tasca (Administração), porque possui documentos em que fica provado que houve o pagamento administrativo da equiparação e não por decisão transitada em julgado do Tribunal de Justiça como alega o governo em sua defesa, pois a matéria já estaria prescrita. No estado de direito, o ônus da prova cabe a quem acusa.

Agiu bem

O presidente Jair Bolsonaro está correto em mandar para a casa, com passagem só de ida, o secretário-executivo da Casa Civil, Vicente Santini, pelo exagero do moço em viajar à Suíça (Fórum de Davos) e Índia (viagem oficial da Presidência) com avião da FAB, que ainda ficou à disposição dele no tour com dinheiro público, com gasto calculado, extraoficialmente, em R$ 740 mil. Santini era o número 2 do ministro Onyx Lorenzoni e, à época da gastança, substituía o titular, enquanto outros ministros viajaram de avião comercial para economizar. O exemplo começa em casa, no Palácio do Planalto.

Poço sem fundo

Alguém deveria, um dia, vir a público para explicar o porquê de tantos problemas no Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem, uma verdadeira sequência de trapalhadas que põem em xeque a credibilidade do sistema, desde que foi criado em 1998. A ideia era, com o tempo, que a nota substituiria o vestibular, além de propiciar espaço em universidades públicas e privadas para estudantes de baixa renda, nada comparável aos absurdos que envolveram denúncias de irregularidades e erros de execução inomináveis.

Ridículo

Os problemas que envolvem o Enem, todos os anos, nunca disfarçaram os grandes equívocos, que mexem com a vida dos estudantes e futuras carreiras, em última instância. A maioria remonta quando era ministro o petista Fernando Haddad, e agora o desastroso Abraham Weintraub, que parecem não ter dado a devida atenção ao assunto nem cobrar do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), responsável pela realização das provas, que, no mínimo, contrate empresas habilitadas o suficiente para tocar os exames.

Aliás

Weintraub acabou advertido pela Comissão de Ética Pública da Presidência por seus comentários, muitas vezes sem noção, nas redes sociais, algo considerado incompatível com os deveres do cargo. A comissão entendeu que o ministro da Educação, no ano passado, passou do plausível ao afirmar, nas redes sociais, que o PT e seus simpatizantes tinham uma “exclusividade em ser amigos dos traficantes das Farc (Colômbia)”, no episódio em que os adversários dispararam contra o governo por terem sido encontrados 40 quilos de cocaína na bagagem de um militar, que estava em um avião auxiliar, durante uma viagem oficial de Bolsonaro à Espanha.

Na trincheira

Aprasc prepara para esta quinta (30), na Associação Catarinense de Medicina, em Florianópolis, um grande protesto onde pretende reunir mais de militares da Polícia Militar e do Bombeiro Militar de todas as regiões do Estado para reclamar da demora do governo em apresentar uma proposta de reposição salarial. A localização, próxima ao Centro Administrativo, mesmo que a reforma do prédio onde fica o gabinete do governador Carlos Moisés não esteja pronta, é um dos muitos recados na cobrança de uma proposta de pagamento da inflação, calculada pela associação em 37% de perdas nos últimos seis anos.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com