Home Colunistas Coluna Roberto Azevedo Moro faz prestação de contas à sociedade

Moro faz prestação de contas à sociedade

CARONA AÉREA

Sinal de prestígio na visita de autoridades federais ao Estado, o estreante na Câmara dos Deputados Daniel Freitas (PSL) veio e voltou no jatinho da Força Aérea Brasileira que trouxe Moro a Florianópolis. Daniel é do partido do presidente Jair Bolsonaro e já articulou uma outra visita do ministro da Justiça e Segurança Pública a Santa Catarina, que não saiu do papel e se consolidou agora pelas mãos do presidente da RIC no Paraná, empresário Leonardo Petrelli. Mas Moro já garantiu a Freitas que virá a Criciúma e Tubarão em data a ser confirmada. Está em alta na Esplanada dos Ministérios e no Planalto.

Moro faz prestação de contas à sociedade

Sem entrar em temas polêmicos, como a Lei de Abuso da Autoridade ou a decisão quase certa do Supremo para que o denunciado em delação premiada tenha a palavra final no processo criminal, o que pode ter consequências para sentenças da Operação Lava Jato, o ministro Sérgio Moro fez um balanço de sua gestão à frente do Ministério da Justiça e Segurança Pública, na passagem por Florianópolis.

Convidado da Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e TV, Moro explicou que o trabalho da pasta está centrado em três pontos: os combates à corrupção, ao crime organizado e criminalidade violenta.

O ministro foi enfático ao afirmar que a integração de forças de segurança, federais, estaduais e municipais, impedirá o progresso de ações das organizações criminosas, um projeto-piloto em cinco grandes cidades, com altos níveis de violência e assassinatos, já está em curso, e que, uma operação semelhante, na fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai, tendo como sede Foz do Iguaçú (PR), pretende atingir o tráfico de drogas, o contrabando de armas e o terrorismo.

Moro é um dos fiéis garantidores da administração de Jair Bolsonaro ao lado do ministro Paulo Guedes (Economia), cumpre um papel-chave e usa a popularidade para reforçar pontos importantes na área nevrálgica que atua, mas tem sido atropelado por derrotas como a derrubada dos vetos à Lei de Abuso da Autoridade, objeto de um ação direta de inconstitucionalidade movida pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) Junto ao Supremo.

Também lá

Foi no plenário do Supremo Tribunal Federal que já se construiu a maioria para que o réu denunciado por delação premiada (Colaboração Premiada no jargão jurídico) seja o último a falar no processo é que Moro encontrou uma das maiores de seus revezes. Consolidado o resultado, resta saber se os ministros determinarão que a decisão só vale a partir de agora, o que deve ferir o princípio de que a lei só retroage para beneficiar os indivíduos, ou terá reflexos em 32 sentenças da Operação Lava Jato.

Impressionante

Se você lê o DIARINHO sentado, ao celular, no tablet, publicado no papel, que bom! Pois Sérgio Moro disse que, até março deste ano, não havia uma estatística nacional oficial sobre crimes no Brasil, principalmente assassinatos, que foram mais de 60 mil no ano passado, daí a relevância do investimento em dados e inteligência. Um absurdo.

Elogios

O ministro elogiou os senadores Jorginho Mello (PL) e Esperidião Amin (PP) pela ajuda no combate à corrupção com as atuações no Congresso.Junto com eles, lembrou os nomes dos deputados federais Darci de Matos (PSD), Daniel Freitas (PSL) e Hélio Costa (Republicanos). Os prefeitos Gean Loureiro (sem partido), de Florianópolis; Luciano Buligon (DEM), de Chapecó, e Antídio Lunelli (MDB), de Jaraguá do Sul, também marcaram presença no evento da Acaert.

Impressionado

Sérgio Moro conheceu de perto alguns dos projetos do Colegiado Superior de Segurança Pública, comandado pelo coronel Araújo Gomes, responsáveis pela redução de 23% dos homicídios em Santa Catarina, o que impressionou o ministro que já fez rasgado elogios ao sistema prisional catarinense quando ressocializa os detentos pelo trabalho em fábricas montadas nas penitenciárias. A ação da polícia Civil que faz o depoimento eletrônico na prisão do indivíduo, o que evita versões desencontradas no registro por escrito e o Banco de Dados do Perfil Genético dos criminosos no Instituto Geral de Perícias igualmente fizeram Morro arregalar os olhos.

Previsão

Para o presidente municipal do Republicanos, o vereador Claudinei Marques, o governador Carlos Moisés da Silva, com quem já conversou sobre o assunto, deverá fazer com que o coronel Araújo Gomes, na prática o secretário de Segurança do Estado, concorra à prefeitura de Florianópolis pelo PSL. O partido, ex-PRB, está com vários planos na próxima eleição e a conversa com o prefeito Gean Loureiro, atualmente sem partido, está adiantada para uma filiação.

 Cenários

Se Gean vier para o Republicanos, Claudinei admite que estará com o prefeito candidato à reeleição. Porém, não vingando, pois há a possibilidade de filiação ao Podemos, Araújo Gomes no páreo pelo PSL deverá significar que o Republicanos indicará o vice na chapa.

Que clima!

Executiva e Diretório Estadual do MDB, reunidos em Florianópolis, no início da noite desta segunda, avaliaram a adesão da bancada na Assembleia ao governo de Carlos Moisés da Silva, sem a devida bênção da direção partidária. Na verdade, os deputados da maior bancada no Legislativo chegaram a assinar uma nota, na semana passada, para dizer que não indicaram cargos, até porque Moisés não quer, e que votam “nos bons projetos” do Executivo.

Não dá

Com 101 prefeitos no Estado, esta tem sido a justificativa para os deputados emedebistas não se afastarem do governo de Moisés devido às demandas e cobranças. O que o presidente Celso Maldaner insiste é que o partido terá candidato ao governo em 2022, uma história que é muito cedo para decidir.

 

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com