Home Colunistas Coluna Roberto Azevedo Moisés vive uma semana de decisões

Moisés vive uma semana de decisões

Com a batida de martelo de que a volta ao normal do transporte coletivo não virá tão cedo, o governador Carlos Moisés da Silva terminou uma semana marcada por expectativa de maior flexibilização dos serviços considerados não essenciais com uma incógnita.

O decreto que prorrogou a quarentena no Estado termina na terça-feira (7) e o estudo, a partir das reuniões do grupo de trabalho que reúne governo, empresários e prefeituras, será para abrir, gradualmente, a partir desta segunda-feira, trabalhadores autônomos (barbeiros, manicures e cabeleireiras), profissionais liberais (advogados, contadores, engenheiros), consultórios de saúde (médicos e dentistas) e clínicas.

O momento é o mais esperado pelos setor produtivo e varejista, sem abdicar de seguir as orientações das autoridades da saúde, com o distanciamento dos clientes, higiene e evitar aglomerações.

 

Duas notícias 1

Secretários estaduais da Fazenda pediram e conseguiram do Comitê Gestor que o recolhimento do ICMS embutido no Simples Nacional seja prorrogado, que fará com que os períodos de apuração de março, abril e maio, que venceriam em abril, maio e junho, sejam recolhidos, respectivamente, em julho, agosto e setembro. A medida também prorroga por 90 dias os prazos de recolhimento do Imposto Sobre Serviços (ISS) das empresas do Simples e por 180 dias o diferimento do ICMS e ISS dos microempreendedores individuais (MEIs).

Dias notícias 2

Pois não é que o coronavírus resolveu a polêmica sobre os convênios que autorizam os estados a concederem desconto do ICMS, que venceria em abril, sobre fertilizantes e sementes em 30% e de defensivos agrícolas em até 60%, fopi prorrogado até 30 de dezembro.

Uma em reunião por videoconferência, realizada nesta sexta (3), o Confaz, formado por secretários de Fazenda de todo o país, aprovou por unanimidade a permanência do convênio.

Mais leitos

Governo do Estado fará a aquisição, em forma de aluguel, de leitos de UTIs privados em hospitais e quer chegar ao número de 2500 em Santa Catarina. O governador disse que a suspensão de cirurgias eletivas aumentou a oferta que se juntará aos outros 1500 leitos de hospitais filantrópicos e da rede estadual.

Aliado

Quando confrontado com as provocantes declarações do presidente Jair Bolsonaro sobre o isolamento social, o fato de ser chamado de “o que manda” em Santa Catarina, o governador do Estado usa da diplomacia para neutralizar a guerrilha ideológica que cerca o episódio. Moisés afirma em alto e bom som que é aliado de Bolsonaro, mas não precisa concordar com tudo que o presidente diz ou faz. 

Menos é mais

Prefeito Gean Loureiro (DEM), de Florianópolis, e o presidente da Câmara Fábio Braga (PTB) diminuíram em 30% os salários, e o do vice-prefeito João Batista Nunes (PSDB), do secretários e vereadores em 20%, nos próximos dois meses para repassar os valores para o combate ao coronavírus. A atitude louvável se espalhou e o prefeito de Palhoça, Camilo Martins (PSD), adotou a mesma medida.

 

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com