Home Colunistas Coluna Roberto Azevedo A votação foi virtual, a vitória real

A votação foi virtual, a vitória real

A votação foi virtual, a vitória real

Roberto Azevedo

Na primeira utilização do aplicativo Zoom, com os mesmos parâmetros da votação no Senado, a Assembleia aprovou em votação virtual, por 31 votos a 9, a autorização para o governo do Estado contrair um empréstimo de US$ 344,8 milhões de dólares (aproximadamente R$ 1,378 bilhão) junto ao Banco Mundial, que dará um alívio às contas públicas.
O assunto virou cavalo de batalha da oposição, entendida pelas posições contrárias dos deputados Ana Caroline Campagnolo (PSL), Felipe Estevão (PSL), Ivan Naatz (PL), Jessé Lopes (PSL), João Amin (PP), Marcius Machado (PL), Maurício Eskudlark (PL), Nilson Berlanda (PL) e Sargento Lima (líder do PSL), porém nem mesmo a bancada do PT (Luciane Carminatti, Neodi Saretta, Padre Pedro Baldissera e líder Fabiano da Luz) votou contra.
Na tramitação do projeto, que chegou a ser barrado por Ana Caroline, o tratamento era uma forma de pressionar o governador Carlos Moisés, que propôs o projeto no ano passado para fugir de uma alta de juros de 109,36% na variação cambial, agravada pelos juros de 4%, o que transformou a operação feita junto ao Bank of America (feita em 2012, no governo de Raimundo Colombo) em uma bomba relógio, bem longe dos 3,12% da taxa da nova operação.

CAUSO DO CORONAVÍRUS

Corria a videoconferência dos governadores do Sul com o presidente Jair Bolsonaro, quando o governador Carlos Moisés da Silva fez uma observação deveras interessante. Moisés pediu que o governo federal, não só neste momento de crise da pandemia, tivesse um canal para comunicar, com antecedência, as ações que realiza em Santa Catarina, para o Estado ter um controle sobre a chegada de estrangeiros. E tascou o exemplo: “Na semana passada, durante a quarentena, recebemos uma ligação de um general de que estaria pousando um avião com imigrantes!”

Não era o momento
Aumentar a tensão sobre as contas da administração estadual em meio ao combate ao Coronavírus transformou o ato da oposição em atitude irresponsável. Uma revolta dissociada da realidade, que não é virtual, é viral. Antes, a maioria dos deputados derrubou um substitutivo apresentado pelo deputado Bruno Souza (NOVO).

Comemorou
A deputada Paulinha Silva (PDT) comemorou o primeiro êxito como líder do governo. E foi interessante ver o encaminhamento do voto pelo sistema virtual.

Aprendizado
Os deputados baixaram o aplicativo no computador, no tablet ou no smartphone, que ganhou uma adaptação para usar o painel do plenário, com os respectivos votos. Do presidente Julio Garcia (PSD) aos demais 39 deputados todos estão no processo de aprendizagem.

No ar
O governador Carlos Moisés soube da aprovação da autorização da contratação do empréstimo enquanto estava na coletiva sobre os números do Coronavírus no Estado, ao vivo, para emissoras de rádio e TV e portais de internet. Foi a deputada Paulinha de Silva quem avisou sobre a decisão da maioria dos deputados.

Sobre a videoconferência
Dois destaques foram dados pelo governador na videoconferência com o presidente Jair Bolsonaro: a possibilidade dos governadores assegurarem recursos, via financiamento, para obras, que evitam a utilização de recursos próprios; e a garantia do ministro Paulo Guedes (Economia), de que não faltará recurso para a saúde. Para Moisés, a injeção de dinheiro novo também é de ânimo, necessário para olhar para frente, depois do turbilhão do Covid-19 passar.

E agora?
Preocupado com o coronavírus e seus efeitos mundiais, pois saiba que a febre amarela, que tem vacina e deveria ser aplicada em qualquer pessoa com mais de nove meses de idade, é mais letal. A doença, que já provocou uma morte em Santa Catarina, pode ser medida pela mortandade de macacos, já morreram 36, portadores da endemia como o ser humano e não responsáveis pela transmissão. Segundo a Divisão Epidemiológica, há 163 outras mortes que aguardam resultado dos exames.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com