Home Colunistas Coluna Histórias de Itajaí Aprendendo a viver com mais tecnologia

Aprendendo a viver com mais tecnologia

Retroprojetor já foi o top da tecnologia usada por professores em salas de aula


Na condição de aluno do curso de mestrado da Furb tive oportunidade de participar de uma das primeiras experiências educacionais à distância em nível internacional aqui no Vale do Itajaí, utilizando a internet. Tratava-se de um seminário promovido pela Universidade Virtual Latinoamericana – mantida pela Lund University [Suécia] – em convênio com a própria Furb.
O seminário foi realizado no ano de 1998 versando sobre o tema ‘New Technologies and pedagogical Challeges’. Em seguida, o Curso de Jornalismo da Univali promoveu uma aula técnica com o sugestivo título ‘As perspectivas da comunicação na nova era digital’. Estava estabelecida, em definitivo, a Era Digital entre os nossos comunicadores e educadores.
Enquanto professor da Fepevi/Univali fui testemunha dessa revolução tecnológica dentro da sala de aula. Comecei dando aula utilizando quadro e giz – esporadicamente utilizava o projetor de slides e o retroprojetor. Na medida que o setor de ‘xerox’ se firmava na universidade, o projetor de slides ia sendo abandonado em detrimento do retroprojetor – que utilizava películas transparentes xerografadas e desenhadas enquanto o slide utilizava um sofisticado e caro sistema de fotografias.
Além do mais o projetor de slides tinha uma lâmpada caríssima que insistia em estragar durante seu transporte e as lâminas ‘encavalavam’ e travavam dentro do mecanismo automático. Nesse mesmo período, as cópias do material didático que eram feitas em mimeógrafos [álcool, tinta, elétrico …] foram substituídas por cópias xerografadas. Passamos um tempo que poderíamos intitular de ‘A era do xerox’ ou ‘A era da reprodução instantânea’.
No ano de 1992 fiz um curso oferecido pelo Instituto Vicentino de Filosofia intitulado ‘VIII Curso de filmagem em videocassete a serviço da igreja’ porque já estava utilizando com certa regularidade o vídeo-cassette e o cinema nas aulas de Sociologia e Filosofia. Em 2000 ofereci diversas oficinas com o título ‘O vídeo em sala de aula’ no processo de formação continuada dos professores da Univali.
Em 2001 mergulhei intensamente no projeto ‘Ver cinema. Ler cinema’ com livro, palestras, oficinas, grupo de estudo, formação continuada de professores, mostrando um método que desenvolvi para a utilização do cinema como recurso didático. A partir de 2000 comecei a intensificar o processo de disponibilizar todo o material didático que produzia no computador aos meus alunos. Inicialmente através de disquetes, depois CDS, DVDs, Pen-drives e, por fim, através de e-mail e outros mecanismos oferecidos pela internet.
Essa é a história do meu relacionamento com a tecnologia em sala de aula. Você lembra da sua história? [continua]

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com