Home Colunistas Coluna Histórias de Itajaí A arte da fotografia em Itajaí [parte 1]

A arte da fotografia em Itajaí [parte 1]

A arte da fotografia em Itajaí [parte 1]

Os primeiros fotógrafos a registrarem imagens no município de Itajaí foram aqueles que tinham a profissão itinerante, circulando por todo o sul do Brasil. Os jornais de época apresentam alguns anúncios dessas atividades que persistiram por décadas até que fotógrafos profissionais instalassem estúdios em definitivo na cidade. Dessa atividade itinerante ficou muito pouca informação porque as fotos que temos nos acervos públicos e privados não contém qualquer referência escrita sobre seus autores. Temos também os fotógrafos de Blumenau que vinham à Itajaí exercer atividade profissional ou de passatempo. Os Currlins [Eugén e Emmanuel], por exemplo, promoveram séries de cartões postais sobre as cidades do vale do Itajaí a partir de 1904 e, depois, se estabeleceram comercialmente também em Itajaí.
Os primeiros profissionais da fotografia a se fixarem em Itajaí foram José Hindelmeyer, Eugén e Emmanuel Currlin, José Marçal Dutra, Herna e Geraldo von Hacke, Roland Schneider. José Hindelmeyer manteve o ‘Foto Artístico’ instalado junto ao Hotel Lippmann – na confluência das ruas Olímpio Miranda Júnior e Lauro Müller. Os Currlins mantiveram casa comercial na rua Hercílio Luz ao lado da Igreja Immaculada Conceição. Quando Roland Schneider chegou em Itajaí, por volta de 1938, encontrou em atividade o casal Racke – com estúdio na rua Hercílio Luz e José Marçal Dutra – com o ‘Foto Juca’ instalado na Rua Pedro Ferreira.
Roland adquiriu o pequeno estúdio que o casal Racke mantinha na rua Hercílio Luz montando o ‘Foto Schneider’ que funcionou no local por cerca de 42 anos (1938-1980). Ele chegou a exercer a tradicional atividade de ‘lambe-lambe’ na Praça Vidal Ramos usando a máquina dos Racke – com chapas de vidros e flash de magnésio. Ao se aposentar passou o estúdio para seu genro Victor José Brocca – conhecido popularmente por Vitor Schneider.
Os Currlin – Eugen Currlin e seu filho Emmanuel Currlin foram reconhecidos especialmente pelas séries de cartões postais retratando as cidades de Itajaí, Brusque e Blumenau, enquanto José Marçal Dutra – conhecido popularmente por Juca Fotógrafo – ficou na história por suas fotos aéreas da cidade de Itajaí na década de 1950. Os Currlin e os Hacke deram grande contribuição para que muitos itajaienses aderissem ao hobby da fotografia, já que eles vendiam em suas casas comerciais material fotográfico importado da Alemanha e, pouco a pouco, iam criando um clube seleto de fotógrafos amadores. [continua].

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com