Home Colunistas Coluna do Janio O verdadeiro Marinheiro

O verdadeiro Marinheiro

O verdadeiro Marinheiro
O torcedor que foi ao Gigantão na tarde de domingo saiu de alma lavada e esperança renovada. Não apenas pelo placar justo de 4 a 1 contra o Avaí, mas pela forma como o Marinheiro jogou. Foi necessária uma péssima atuação contra o mesmo Avaí, na semana passada, na Ressacada, para que o Marcílio mudasse totalmente de postura e mostrasse aquilo que está no DNA centenário do clube: um time aguerrido e que se entrega em campo. Durante todo o campeonato o que vínhamos cobrando era justamente isso. O Marcílio teve uma grande campanha, mas não convenceu na maioria dos jogos. No momento certo, depois de um revés no primeiro jogo da semifinal, parece que o espírito rubro-anil finalmente encarnou nesse elenco.

Parabéns, Foiani!
O técnico Paulo Foiani tem um grande mérito na goleada de domingo. Criticado na terça por não ter feito as mudanças necessárias na equipe antes da partida em Floripa, Foiani teve coragem para mexer no time em Itajaí. As entradas de Guilherme Pitty, Diego Fumaça, Alessandro e Anderson Ligeiro deram outra dinâmica à equipe, que com velocidade e qualidade, mostrou a sua força ofensiva, explorando também o faro de gol de David Batista. As laterais ainda preocupam bastante, porque tanto Gilmar, quanto Lito, seguem muito instáveis, mas o treinador também não tem muitas opções. Com Rodrigo machucado, Luiz Renan precisou entrar em outra função após a lesão de Alessandro, e Samuel Balbino está voltando de contusão, por isso está no banco de reservas.

Caso Giba
Giba não faz um bom campeonato, vive uma má fase, mas está longe de ser um jogador ruim. É compreensível a cobrança do torcedor com ele, mas nesse caso ambos precisam pensar no clube nesse momento. Giba precisa entender o tamanho do Marcílio Dias e que a pressão é natural quando não se está correspondendo em campo. O torcedor precisa entender que nesse momento importante da história do clube, não é hora de crucificar um jogador do elenco e sim de apoiá-lo para que seu rendimento melhore. No domingo, os dois lados se excederam, ao trocarem ofensas durante e após a partida. Até Paulo Foiani, que é muito comedido e educado à beira do campo, se exaltou com um torcedor que xingava o atleta antes mesmo de ele entrar, e pediu desculpas na coletiva.

Marreco entalado
Como já era esperado, a final terá um clássico regional entre Marcílio Dias e Brusque. O Marreco está entalado na garganta do Marinheiro e nada melhor que uma final para acabar de vez com esse jejum. O Brusque, tem um time de muita qualidade, experiente e que vem de uma grande conquista, mas o Marinheiro tem uma torcida que joga junto e um time competitivo, que agora entendeu a importância da Copinha. Independente de quem levar a melhor (que seja o Marcílio), serão dois grandes jogos. As rádios Univali FM (94,9) e Web Catarina transmitem no domingo, às 15h30, o primeiro jogo da decisão, direto de Brusque.

Coluna do Janio
Coordenador de esportes da Rádio Univali na empresa Universidade do Vale do Itajaí.
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com