Jogos decisivos

O Marcílio Dias encerrou o primeiro turno no G4 do seu grupo e isso é um passo importante para a classificação, principalmente porque na volta o Marinheiro terá quatro partidas em casa e três fora. Na quarta posição com 10 pontos, o rubro-anil consolida a sua classificação se fizer o dever de casa no Gigantão.

O primeiro desafio – e o mais difícil deles – será contra o São Luiz nessa quinta-feira, às 17h. As duas equipes fizeram um jogo equilibrado no último domingo em Ijuí (RS) e o Marcílio pecou em não conseguir segurar a vantagem de 1 a 0 até o apito final. Por outro lado, Belliato foi um dos nomes do jogo, fazendo pelo menos quatro defesas importantes, o que demonstra que o adversário também tem motivos para lamentar o 1 a 1.

O São Luiz já mostrou que é um time perigoso fora de casa, vencendo duas partidas, mas é a hora do Marcílio se impor e encarar cada jogo como uma decisão. Se repetir a atuação que teve contra o Caxias, quando não deixou o time gaúcho jogar, apertando na marcação e chegando com perigo em algumas oportunidades, o Marcílio tem tudo para ganhar a partida e dar mais um passo rumo à segunda fase.

O que preocupa

Apesar do empate no domingo não ter sido um resultado ruim, o que continua preocupando o torcedor marcilista é a inconsistência das atuações do Marcílio na competição. Se contra o Caxias o Marinheiro teve controle total da partida, contra o São Luiz, que é um adversário tecnicamente inferior, o Marcílio demorou a encaixar o seu jogo e correu mais riscos do que deveria. Ainda assim, o rubro-anil saiu na frente com um gol de Weriton e, se tivesse mais tranquilidade com a bola nos pés e caprichado nas finalizações, poderia ter feito o segundo e matado a partida. Cada vitória desperdiçada, como foi contra São Luiz, Joinville e principalmente o São Caetano, são pontos que podem fazer falta lá na frente.

Insistência

Mesmo que autores dos gols nas duas últimas partidas, o atacante Zé Vitor e o lateral improvisado de ponta Weriton continuam não justificando a titularidade. Com um nível abaixo dos demais jogadores, eles acabam prejudicando o jogo coletivo da equipe. Zé Vitor ganha poucas disputas individuais com a defesa, não consegue prender a bola na frente, e ainda desperdiçou uma grande chance contra o São Luiz. Já Weriton continua muito inseguro, errando passes e desistindo fácil das jogadas. Com a suspensão de Luiz Renan por três amarelos, ele terá a oportunidade de jogar na sua posição de origem, e a expectativa é que Medina dê outra movimentação ao ataque. Com Nathan Ferreira e Marllon melhorando a cada partida, se o Marcílio tiver mais jogadores efetivos no ataque, a chance dos gols saírem será maior.

Coluna do Janio
Coordenador de esportes da Rádio Univali na empresa Universidade do Vale do Itajaí.
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com