Hora da mudança

Campo destruído
Lamentavelmente estão depredando o campo do Marcílio Dias. Tenho observado que as categorias de base do clube (aquele sub-23 montado sem campeonato pra disputar) vêm treinando direto no estádio Dr. Hercílio Luz mesmo com chuvas. Quem conhece um pouco de futebol sabe que o gramado deveria ser usado para treinamentos quando o tempo estivesse bom. Além disso, categorias de base de outros clubes também usam o campo sem o menor critério. O Gigantão das Avenidas é o maior patrimônio do clube e deve ser tratado com respeito.

700 reais
É o que pagam os jogadores do time sub-23 para treinar no Marcílio Dias. A informação é do próprio presidente do clube, José Carlos dos Santos, em entrevista a um portal de notícias. Segundo ele, o valor cobrado mensalmente serve para cobrir os custos de hospedagem e alimentação dos atletas em avaliação. É o sonho de ser jogador de futebol pesando no bolso dos garotos.

Processo inverso
Podem até surgir bons atletas dessas avaliações, mas o Marcílio Dias não é clube para este tipo de arrecadação com atletas jovens. O Rubro-Anil deveria se preocupar com outras medidas mais emergentes no momento. Tenho falado nas últimas colunas que atletas de Itajaí estão despontando em outros clubes por falta de gestão do Marinheiro e de estrutura em suas categorias de base. Enquanto isso, a atual administração foca em cobrar de jogadores de fora para ficarem treinando em Itajaí? Estão fazendo o processo inverso.

Bastidores
Fala-se muito que o Atlético de Ibirama irá se licenciar do futebol profissional em 2016. Muitas pessoas já estão apostando que o Marcílio Dias poderia voltar à Série A na vaga do Ibirama. Primeiro: o Marcílio foi o último colocado do estadual. Ou seja, tem o Guarani, também rebaixado, na frente. Além disso, pela Lei Pelé e o estatuto do torcedor, todo clube rebaixado é obrigado a cumprir o descenso. Pela lei, subiria o terceiro colocado da Série B que é o Tubarão.

Futsal profissional
A Tipso anunciou uma parceria com a Life Sports Business para reativar o seu futsal profissional em 2016, disputando o Catarinense da 1º Divisão. A Life Sports é comandada por José Pereira e Thiago Mansur, que realizam o Jogo das Estrelas. Com mais de 50 anos de tradição, a Tipso faz parte da história do esporte da cidade.

Coluna do Janio
Coordenador de esportes da Rádio Univali na empresa Universidade do Vale do Itajaí.
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com