Home Colunistas Coluna do Janio Empates no Gigantão

Empates no Gigantão

Empates no Gigantão
O Marcílio Dias teve a grande chance de sacramentar a sua classificação para as semifinais com duas partidas seguidas em casa, mas acabou ficando no 0 a 0. Pela pontuação, pelo menos um dos resultados deveria ser uma vitória, o que colocaria o Marcílio seis pontos a frente do Brusque, principal concorrente pela quarta posição. Do ponto de vista técnico, dois resultados injustos, tendo em vista que a atuação do Marinheiro foi muito superior a dos adversários, não por menos, os goleiros Denis, do Figueira, e Belliato, do Tubarão, saíram de campo com os melhores jogadores da partida. O duelo contra o Tubarão nesse domingo foi atípico. A expulsão (injusta, escrevo mais abaixo) de Luanderson aos 20 minutos de bola rolando deixou o Marinheiro com um a menos em campo. Ainda assim o time foi melhor nos 70 minutos restantes, teve bola na trave e grandes defesas do goleiro do Peixe.

Muita calma nessa hora
É natural que o torcedor comece a ficar preocupado, afinal só boa atuação, mas sem vitória, não vai garantir a pontuação necessária para ficar no G4 até o fim do returno. São 10 jogos invictos até aqui, mas já são três partidas sem vencer. Para isso é preciso fazer gols. Ainda falta aos atacantes do Marinheiro mais tranquilidade e precisão na hora de finalizar. Não apenas do camisa 9, mas de todos os jogadores que chegam em condição de arremate, inclusive o camisa 10. O torcedor começar a cobrar a vitória é normal, mas é preciso entender que do outro lado existem adversários que estão enfrentando o Marcílio de outra forma nesse returno, especialmente em Itajaí. A campanha rubro-anil supera a expectativa até agora e as chances de chegar nas semifinais continuam grandes. O próximo passo precisa ser dado em Brusque e a hora é de jogar junto com o time, que também precisa caprichar mais quando estiver frente a frente com o goleiro. Que domingo, na festa do centenário, possamos comemorar uma vitória histórica contra o rival da cidade vizinha e brindar a classificação cada vez mais próxima do Marinheiro.

Acabou a paciência
Se o torcedor marcilista e a imprensa precisam ter paciência com o time, o mesmo não dá pra dizer da arbitragem nos jogos do Marcílio Dias. A atuação de Diego da Costa Cidral (que considero um dos melhores do Estado, diga-se de passagem) foi a gota d´água. Além da expulsão de Luanderson em um lance para cartão amarelo – uma dividida sem intenção de machucar ou atingir o adversário – Cidral relevou várias faltas para cartão do Tubarão. No Gigantão, essa tem sido a tônica: na dúvida, apita-se a favor do visitante. Faltas, cartões, pênaltis claros não marcados pro Marcílio, impedimentos absurdos como o anotado de Anderson Ligeiro nesse domingo. Até os acréscimos dependem de como está o placar do jogo. Não queremos favorecimento, mas sim critérios iguais pros dois lados.

Coluna do Janio
Coordenador de esportes da Rádio Univali na empresa Universidade do Vale do Itajaí.
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com