Home Colunistas Coluna do Janio Empate em Criciúma

Empate em Criciúma

Empate em Criciúma
Somar um ponto em Criciúma nunca será um resultado ruim para o Marcílio Dias tendo em vista o tamanho e a tradição do Tigre no futebol catarinense, mas o sentimento na volta para casa é o de que o Marinheiro deixou dois pontos no sul do Estado. Diante de um Criciúma pouco inspirado, o Marcílio teve as melhores chances do jogo e pecou demais na finalização. Não fosse também a grande atuação do goleiro Luís Carlos, o Marcílio poderia ter saído do Heriberto Hülse com uma vitória tranquila, até por mais de um gol de diferença. Ainda assim, após Roni marcar seu primeiro gol com a camisa rubro-anil, um vacilo defensivo em um escanteio acabou deixando o Tigre igualar o placar, caso contrário, dificilmente o time do Criciúma conseguiria furar a sólida defesa marcilista.

Semifinal mais perto
Apesar de ter perdido uma grande chance de se distanciar ainda mais do Brusque e do próprio Criciúma no G4, o resultado e a atuação de sábado dão a certeza de que o Marcílio é sim o favorito a pegar a quarta vaga nas semifinais. O principal concorrente passa a ser o Brusque, que com um jogo a mais, encurtou para dois pontos a diferença para o rubro-anil. Lembrando que as duas equipes terão em breve um confronto direto no estádio Augusto Bauer. Antes, o Marcílio tem dois jogos em casa contra Figueirense e Atlético Tubarão e, se vencer ambos, chega no duelo em Brusque em uma situação muito boa para encaminhar a classificação já na quarta rodada do returno. Com as derrotas de Hercílio Luz, Tubarão e Metropolitano nesse carnaval, a vaga na Série D do Brasileiro de 2020 também já é uma realidade. Os próximos passos são: confirmar a classificação para a semifinal e brigar pela vaga na Copa do Brasil.

Parada dura
A empolgação e a confiança do torcedor é cada vez maior, com razão, e nessa quarta-feira teremos o Gigantão das Avenidas lotado novamente. Porém, é preciso ter consciência de que o Figueirense, mesmo jogando em Itajaí, será uma parada duríssima. Único invicto na Série A do Catarinense, o time é muito bem armado por Hemerson Maria e mesmo sem ter muitos jogadores renomados, tem feito um campeonato muito eficiente, pontuando em todas as rodadas. A vitória é fundamental para o Marcílio, mas somar um ponto contra o Figueira não chega a ser um resultado ruim ou fora da curva.

Dança dos técnicos
O Catarinense chegou nessa terça-feira de carnaval a incrível marca de sete técnicos demitidos em seis equipes diferentes. Apenas os times do G4 continuam com os mesmos técnicos, mas Claudinei Oliveira balança no cargo a algumas semanas na Chape. Após o empate contra o Marcílio, Doriva foi dispensado do Criciúma. Já Zé Teodoro, que tomou 3 a 0 do Avaí no domingo, deixou o comando do JEC em comum acordo com a diretoria. Ele teria proposta de um clube do nordeste.

Coluna do Janio
Coordenador de esportes da Rádio Univali na empresa Universidade do Vale do Itajaí.
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com