Memória

Com méritos – Finalmente os vereadores deram uma bola dentro quando o assunto é homenagem. Com um histórico de “fazer média” para pessoas que nada contribuíram para a cidade, saber que o hoteleiro, e um dos legítimos pioneiros da cidade, Klaus Fischer, dará nome do molhe da Barra Sul, nos enche de esperança. O projeto, de autoria da vereadora Juliete Nitz, foi aprovado e aguarda que o prefeito sancione. O busto do veio Klaus foi esculpido pelo artista plástico paulista Luciano Almeida. Quem sabe ele orne o nosso molhe. Vamos aguardar.

Memória
Há de se ter muito cuidado quando alguém é homenageado, porque estará nos anais da história da cidade para sempre. Por isso que fazer média por qualquer motivo (emocional, de amizade ou pecuniário) só faz mal à cidade. O homenageado morto, então, só agrada mesmo ao defunto. Quando lá na frente alguém for perguntado que contribuição o tal do homenageado deixou para a cidade, não é nada legal ter que responder que ele foi um bicheiro, um dono de casa noturna ou que prestou relevantes serviços na sua área de atuação. Mas que relevantes serviços? Nenhum…

Pois é…
… a prefeitura, com mão de ferro, vem exigindo os pisos táteis dos proprietários. É um serviço caro, quando feito como a prefa sugere. Mais barato se colocar os pisos táteis somente. Acontece que é o tipo faça o que digo… A nossa avenida Atlântica, o chamado calçadão da Atlântica, não conta com uma lajota sequer de tátil. Eita nóixxx!!

Tartaruguets
Na semana passada descobriram que um posto de combustível estava sendo construído na Vila Real. Acontece que antes precisava ser aprovado pela Câmara e o projeto sequer entrou em pauta. O proprietário justificou-se dizendo que está esperando a papelada da prefeitura há dois anos e nada de agilizarem. Então tomou a iniciativa de construir. A lista de empreendimentos aguardando que a Comissão do EIV se coce tem uns 20 dias. Eita nóixxx!

A reforma I
Finalmente foi encaminhada para a Câmara a reforma administrativa tão falada desde antes da eleição. Fui informado que a reorganização, como eles dizem, tem a assinatura de Douglas e Karine, os faz tudo do Fabrício. O projeto foi iniciado sob o comando de João Luis Demantova, ex-Compur, que já vazou do governo. Fiquei de cara com o que foi informado a respeito da reorganização no release oficial. O número de cargos comissionados cai de 327 para 86. E as funções gratificadas a serem ocupadas só por efetivos pulou de 25 para 145. A previsão de economia é de 1,1 milhão/ano (não muito, né?).

A reforma II
Em tempo, em entrevista à rádio Menina, Douglas Beber fala em economia de em torno de 1,5 milhões e que o número de cargos não era de 327 e sim 330. Alinhem os discursos, rapaziada!

A reforma III
Depois de aprovada a reforma administrativa, quem enfrentará grandes problemas será o prefeito Fabrício de Oliveira. Ele terá que dispensar um monte de nomeados políticos. O pau pega. Sugiro que essa lei entre em vigor a partir do próximo governo… hehehe.

É, não é…
Recebi convite para a reinauguração da mini-cidade, um projeto das antigas de educação no trânsito para crianças que o governo ERD tratou de acabar. Respondi ao convite com um ‘sem comentários’. Perguntaram se sou contra o time de vôlei. Respondi as duas questões: sou a favor dos dois desde que o essencial do Fumtran e da secretaria de Esporte esteja redondinho. Como não vejo o dedo do Fumtran na cidade e o esporte está com sérios problemas, considero as duas iniciativas cosméticas.

Não entendo…
As prioridades. Tem dinheiro para reformar a mini-cidade e não tem para a sinalização vertical e horizontal da cidade que continua confusa ou inexistente.

Socialista hehehe…
O PSB é uma grande piada partidária nacional. Sem qualquer identidade e comando (não se sabe ao certo se é de direita, centro ou esquerda), o partido decidiu liberar seus filiados para o que bem entenderem na eleição para presidente. Livre, leves e soltos, os partidários do novas ideias decidiram aderir ao candidato de Jair Bolsonaro (?!). Mozara Paris faz campanha; os jovens do partido fazem campanha e os orientadores espirituais (Michel e Charles) do grupo que comanda a cidade estão com Bolsonaro.

Finalmente os vereadores deram uma bola dentro quando o assunto é homenagem. Com um histórico de “fazer média” para pessoas que nada contribuíram para a cidade, saber que o hoteleiro, e um dos legítimos pioneiros da cidade, Klaus Fischer, dará nome do molhe da Barra Sul, nos enche de esperança. O projeto, de autoria da vereadora Juliete Nitz, foi aprovado e aguarda que o prefeito sancione. O busto do veio Klaus foi esculpido pelo artista plástico paulista Luciano Almeida. Quem sabe ele orne o nosso molhe. Vamos aguardar.

Coluna do Bola
É editor da revista Photos e Imagens e já assinou a coluna Canard, do jornal Página 3.
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com