Home Colunistas Coluna do Cláudio Humberto “Uma monstruosidade e 
covardia sem tamanho”

“Uma monstruosidade e 
covardia sem tamanho”

“Uma monstruosidade e 
covardia sem tamanho”

Cláudio Humberto

Presidente Jair Bolsonaro sobre o massacre 
que matou 10 pessoas em Suzano (SP)

Pela lei, matadores de Suzano eram terroristas
Se fossem capturados vivos, os dois assassinos da Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano (SP), seriam enquadrados como terroristas, de acordo com a Lei Antiterrorismo em vigor desde 2016. O especialista em direito criminal Adib Abdouni confirma o entendimento. Segundo ele, a preparação para o crime, a participação de mais de um criminoso e o assassinato de pessoas a esmo caracterizam o ato de terrorismo.

Apenas três anos
O pior é que a legislação brasileira garantiria ao terrorista “dimenor”, Guilherme Taucci Monteiro, 17, apenas três anos de “internação”.

Pense num absurdo
O terrorista “dimenor” ficaria internado por três anos porque não estaria cumprindo sentença de natureza penal. Seria “medida sócio-educativa”.

Investigar é preciso
O criminalista Adib Abdouni também lembra que a investigação policial vai indicar se o crime teve “outros colaboradores”.

Sairia barato
Condenado pelos 10 assassinatos e outros crimes, Luiz Henrique de Castro, 25, o terrorista “dimaior”, ficaria preso no máximo por 30 anos.

China e Rússia condenando Maduro
O ministro Ernesto Araújo (Relações Exteriores) alimenta a esperança de que China e Rússia vão rever a posição de apoio ao ditador Nicolas Maduro, que o Brasil considera um “usurpador”, e disse que não apenas fará iniciativas no campo bilateral como também pretende levar o assunto ao âmbito do Brics, grupo de países que mais crescem no planeta. O Brasil exerce a presidência rotativa do Brics em 2019.

Questão de tempo
Para o chanceler brasileiro, a queda do ditador venezuelano é apenas uma questão de tempo. “Pouco tempo”, torce o ministro.

Na pauta do Brics
Ernesto Araújo defende a condenação da tirania de Maduro na reunião dos vice-ministros dos Brics, que ocorre em Curitiba até sexta (15).

Desde 2006
Brics é um acrônimo dos países integrantes do grupo criado em 2006: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Mandou bem
O presidente Jair Bolsonaro marcou um gol de placa ao extinguir mais de 21 mil cargos em comissão e funções gratificadas. Aqueles que petistas, adoradores de boquinhas, ocuparam por três governos.

Ignorância ampla
O chanceler Ernesto Araújo tem dito a amigos que se sente triste com as críticas dos que resistem ao novo na diplomacia. Até pela ignorância ampla, geral e irrestrita em matéria de política externa.

Foi duro para todos
O secretário de Educação de São Paulo, Rossieli Soares, ficou muito impactado com o massacre. Cuidou da estruturação de assistência psicológica às vitimas e familiares, mas talvez necessite também.

Nó na cabeça
A troca de mensagens dos terroristas de Suzano, nas redes sociais, mostra uma confusão mental que deveria preocupar as autoridades, educadores e até os próprios controladores de Facebook e etc.

Tudo bem, parça
O governo de Israel já sinalizou que compreende as dificuldades do Brasil de transferir imediatamente embaixada do Brasil de Tel Aviv para Jerusalém, conforme prometeu o presidente Jair Bolsonaro.

Pacto federativo
Eduardo Bismarck (PDT-CE) e Sílvio Costa Filho (PRB-PE) lançaram a Frente Parlamentar Mista do novo Pacto Federativo, de olho na partilha do dinheiro de impostos. “É preciso redistribuir”, diz Bismarck.

Passou da hora
O Previdenciômetro da Confederação Nacional da Indústria ultrapassou a marca dos R$ 7,6 bilhões. É o valor que já teria sido poupado se a proposta de reforma da previdência tivesse sido aprovada, em 2017.

Menos do exterior
O volume de capital captado no exterior por empresas brasileiras foi de US$ 1,35 bilhão este ano. O valor é uma queda drástica em relação ao US$ 9,1 bilhões captados durante os 80 primeiros dias de 2018.

Pensando bem…
…se o Boeing 737 Max-8 é mesmo seguro, como diz a empresa, então põe a diretoria dentro e manda pra China. Se a China autorizar, claro.

Cláudio Humberto

Presidente Jair Bolsonaro sobre o massacre 
que matou 10 pessoas em Suzano (SP)

Pela lei, matadores de Suzano eram terroristas
Se fossem capturados vivos, os dois assassinos da Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano (SP), seriam enquadrados como terroristas, de acordo com a Lei Antiterrorismo em vigor desde 2016. O especialista em direito criminal Adib Abdouni confirma o entendimento. Segundo ele, a preparação para o crime, a participação de mais de um criminoso e o assassinato de pessoas a esmo caracterizam o ato de terrorismo.

Apenas três anos
O pior é que a legislação brasileira garantiria ao terrorista “dimenor”, Guilherme Taucci Monteiro, 17, apenas três anos de “internação”.

Pense num absurdo
O terrorista “dimenor” ficaria internado por três anos porque não estaria cumprindo sentença de natureza penal. Seria “medida sócio-educativa”.

Investigar é preciso
O criminalista Adib Abdouni também lembra que a investigação policial vai indicar se o crime teve “outros colaboradores”.

Sairia barato
Condenado pelos 10 assassinatos e outros crimes, Luiz Henrique de Castro, 25, o terrorista “dimaior”, ficaria preso no máximo por 30 anos.

China e Rússia condenando Maduro
O ministro Ernesto Araújo (Relações Exteriores) alimenta a esperança de que China e Rússia vão rever a posição de apoio ao ditador Nicolas Maduro, que o Brasil considera um “usurpador”, e disse que não apenas fará iniciativas no campo bilateral como também pretende levar o assunto ao âmbito do Brics, grupo de países que mais crescem no planeta. O Brasil exerce a presidência rotativa do Brics em 2019.

Questão de tempo
Para o chanceler brasileiro, a queda do ditador venezuelano é apenas uma questão de tempo. “Pouco tempo”, torce o ministro.

Na pauta do Brics
Ernesto Araújo defende a condenação da tirania de Maduro na reunião dos vice-ministros dos Brics, que ocorre em Curitiba até sexta (15).

Desde 2006
Brics é um acrônimo dos países integrantes do grupo criado em 2006: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Mandou bem
O presidente Jair Bolsonaro marcou um gol de placa ao extinguir mais de 21 mil cargos em comissão e funções gratificadas. Aqueles que petistas, adoradores de boquinhas, ocuparam por três governos.

Ignorância ampla
O chanceler Ernesto Araújo tem dito a amigos que se sente triste com as críticas dos que resistem ao novo na diplomacia. Até pela ignorância ampla, geral e irrestrita em matéria de política externa.

Foi duro para todos
O secretário de Educação de São Paulo, Rossieli Soares, ficou muito impactado com o massacre. Cuidou da estruturação de assistência psicológica às vitimas e familiares, mas talvez necessite também.

Nó na cabeça
A troca de mensagens dos terroristas de Suzano, nas redes sociais, mostra uma confusão mental que deveria preocupar as autoridades, educadores e até os próprios controladores de Facebook e etc.

Tudo bem, parça
O governo de Israel já sinalizou que compreende as dificuldades do Brasil de transferir imediatamente embaixada do Brasil de Tel Aviv para Jerusalém, conforme prometeu o presidente Jair Bolsonaro.

Pacto federativo
Eduardo Bismarck (PDT-CE) e Sílvio Costa Filho (PRB-PE) lançaram a Frente Parlamentar Mista do novo Pacto Federativo, de olho na partilha do dinheiro de impostos. “É preciso redistribuir”, diz Bismarck.

Passou da hora
O Previdenciômetro da Confederação Nacional da Indústria ultrapassou a marca dos R$ 7,6 bilhões. É o valor que já teria sido poupado se a proposta de reforma da previdência tivesse sido aprovada, em 2017.

Menos do exterior
O volume de capital captado no exterior por empresas brasileiras foi de US$ 1,35 bilhão este ano. O valor é uma queda drástica em relação ao US$ 9,1 bilhões captados durante os 80 primeiros dias de 2018.

Pensando bem…
…se o Boeing 737 Max-8 é mesmo seguro, como diz a empresa, então põe a diretoria dentro e manda pra China. Se a China autorizar, claro.

PODER SEM PUDOR
Na Palma
Coreaú, no interior do Ceará, é terra de gente valente. O vereador Zé Galvão amarrava a carga de um caminhão, quando um desafeto político chegou de revólver na mão. “Desce daí pra morrer, Zé Galvão.” E Galvão na maior calma: “Diabo de revolver é esse teu que a bala num bota aqui em cima?”

Com André Brito e Tiago Vasconcelos
www.diariodopoder.com.br

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com