Home Colunistas Coluna do Cláudio Humberto “Tem um ‘Fica Temer’ 
correndo pela rede”

“Tem um ‘Fica Temer’ 
correndo pela rede”

“Tem um ‘Fica Temer’ 
correndo pela rede”

Cláudio Humberto

Presidente Michel Temer se divertindo com 
a onda #ficaTemer, nas redes sociais

Jogada de Lula é se descolar da derrota
Quando orientou o candidato do PT a presidente ser “mais Haddad” no segundo turno, após a derrota acachapante no primeiro turno, o ex-presidente Lula apenas colocou em prática sua nova jogada: descolar-se de nova derrota para Jair Bolsonaro (PSL). “Lula é esperto, experiente, percebeu logo que Haddad não venceria”, diz um ex-ministro lulista de carteirinha eleito para o Congresso no dia 7.

Relutância foi sinal
A tentativa de Lula de se descolar de eventual derrota explica sua demora e relutância na definição de Haddad como candidato do PT.

Histórico perdedor
Lula ficou “traumatizado” com a derrota de 2016: Haddad teve menos votos que brancos e nulos, mesmo com o ex-presidente a tiracolo.

Culpa do ex-prefeito
O ex-presidente culpa a derrota humilhante de Haddad em 2016, ao tentar a reeleição, pelo derretimento do seu cartaz em São Paulo.

E o óleo de peroba?
Lula cumpre pena de 12 anos por lavagem de dinheiro e corrupção, mas põe a culpa pela derrota do PT em Haddad.

Primeira mulher chanceler
Cresceu no Itamaraty a expectativa da escolha de uma mulher para chefiar a diplomacia. Desde o Barão de Rio Branco, no início dos anos 1900, jamais houve ministra das Relações Exteriores. Uma das mais cotadas é a senadora Ana Amélia (PP-RS), que, vice de Alckmin, se recusou a gravar vídeo contra Bolsonaro. Mas na carreira diplomática há grandes embaixadoras aptas a fazer história no cargo de chanceler.

Viotti é sempre lembrada
A embaixadora Maria Luiza Viotti, hoje cedida à equipe do secretário-geral da ONU Antonio Gutérres, é uma das diplomatas mais admiradas.

A melhor da sua geração
Maria Nazaré Farani de Azevêdo, chefe da missão do Brasil na ONU, na Suíça, é considerada uma das melhores diplomatas da sua geração.

Não faltam opções
Subsecretária Geral de Comunidades Brasileiras, a embaixadora Maria Dulce Silva Barros é um dos quadros mais qualificados do Itamaraty.

Seu nome é polêmica
A procuradora Bia Kicis (PRP), a “deputada federal do Bolsonaro”, 86 mil votos no DF, acha que mulher não precisa de cota para conquistar seu espaço. E abomina a expressão “feminicídio” porque acha que as vítimas dos criminosos são pessoas, homens ou mulheres, sem rótulos.

Opção preferencial
O Barcelona mandou seu porta-voz reclamar do apoio de Ronaldinho Gaúcho a Jair Bolsonaro. O clube que foi dirigido por Josep Bartomeu, réu por fraude e sonegação, deve preferir políticos corruptos.

Ele está adorando isso
O presidente Michel Temer comentou a hashtag “Fica, Temer”, que se espalhou nas redes sociais. “Tinha Fora, Temer”, lembrou ele no Paraná. “Se bem que agora tem um “Fica Temer correndo pela rede”.

Político fora do armário
Fábio Félix (Psol) se apresenta como “primeiro deputado gay assumido” na Câmara Legislativa do DF. Ontem ele disse que entrou na política após sair do armário. “Assumir é um ato político”, diz.

Vanguarda do atraso
O presidente nacional do PSL, Gustavo Bebianno, descarta “espaço” para diálogo com partidos da esquerda, já que, para ele é “a mentalidade mais atrasada da face da Terra”.

Bancada formada
Sem passar pela burocracia de criar partido, o RenovaBR elegeu nove deputados e um senador, no dia 7. Eduardo Mufarej, fundador do movimento, jura que não haverá interferência nos mandatos.

Despesas misteriosas
Durante setembro, mês quase nulo de atividade parlamentar, a Câmara fez ressarcimento de despesas de R$ 2,16 milhões para deputados. Se bem que em setembro de 2014 foram R$ 9,36 milhões.

Saco sem fundo
A Petrobras fechou parceria com a chinesa CNPC para concluir as obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro. Nos governos do PT foram saqueados R$ 12,5 bilhões do Comperj, segundo o TCU.

Pensando bem…
…dia 28 é a vez do eleitor mostrar quem é o babaca.

PODER SEM PUDOR
Maometano dissidente
Após o golpe de 1964 prenderam Cláudio Tavares no Recife, e depois ainda o intimaram a prestar depoimento ao conhecido coronel Ibiapina, que comandou a maioria dos IPMs da Sétima Região Militar:
– Como o senhor se define ideologicamente? – perguntou o milico.
– Sou um comunista maometano dissidente.
Ibiapina nada entendeu. Coçou a cabeça e ordenou ao datilógrafo:
– Cabo, depoimento encerrado. Ele tá de gozação. Depois a gente retoma.
E não se falou mais nisso.

Com André Brito e Tiago Vasconcelos
www.diariodopoder.com.br

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com