Home Colunistas Coluna do Cláudio Humberto “Sérgio Moro faz mais um gol de bicicleta do meio do campo”

“Sérgio Moro faz mais um gol de bicicleta do meio do campo”

“Sérgio Moro faz mais um gol de bicicleta do meio do campo”

Cláudio Humberto

Presidente Jair Bolsonaro sobre a MP que prevê 
a apreensão de bens dos traficantes

Maia critica custos da Câmara, mas não os reduz
O deputado Rodrigo Maia fala mal dos gastos absurdos da Câmara dos Deputados, que ele preside, mas não se conhece qualquer iniciativa dele para interromper, por exemplo, a sangria de R$ 200 milhões na manutenção da TV Câmara. O pagador de impostos sustenta naquela emissora, de utilidade questionada, 38 servidores concursados e outros 227 terceirizados, que poderiam ser dispensados sem demora.

Média indecente
Maia contou que a média salarial na Câmara é de R$ 30 mil mensais. Também não são conhecidas iniciativas dele para enfrentar isso.

Sucesso de público
Os custos com a TV e a média salarial na Câmara foram revelados por Maia durante evento da rádio BandNews em São Paulo, ontem (17).

Sem custo/benefício
Não faz, como nunca fez, o menor sentido criar e manter a TV Câmara, cuja audiência próxima de zero não justifica a operação milionária.

Custo das boquinhas
Além dos salários elevados, a TV Câmara compra programas, contrata suporte técnico, locação de satélite, contratos de terceirização etc.

Covardia derrubou Levy
O ex-presidente do BNDES, Joaquim Levy foi convertido em “donzela maculada”, após sua demissão. O presidente da Câmara disse até que sua saída do governo “foi de uma covardia sem precedentes”, mas nem Rodrigo Maia se lembra da covardia do próprio Levy de não abrir a caixa preta do BNDES, um dos maiores instrumentos de corrupção dos governos do PT, tampouco de enfrentar a corporação aparelhada e muito bem paga: chegam a receber salários de R$ 100 mil mensais.

Catatonia conveniente
Levy nem se mexeu quando os petistas do BNDES recusaram acesso ao Ministério do Meio Ambiente a contratos com ONGs ambientalistas.

Picaretagem escondida
Dos R$ 25 milhões recebidos para projetos ambientais, ONGs picaretas gastaram R$ 14 milhões em “consultoria” e salários para eles próprios.

Mãos leves nas doações
Mais de R$ 800 milhões de um total de R$ 1,5 bilhão doados ao Brasil por meio do Fundo Amazônia, acabaram nos bolsos dos ongueiros.

ão confia na Receita
Em relatório de auditoria, o Tribunal de Contas da União não atestou a confiabilidade dos dados da Receita Federal por falta de transparência. O ão teve acesso aos dados de 37% dos ativos (R$1,2 trilhão) e 48% da receita (R$888,45 bilhões). O relatório foi enviado ao Senado.

Guedes com os produtores
O ministro Paulo Guedes recebeu por 1 hora os representantes dos nordestinos que ralam para produzir etanol. Respondem por 7% da produção total, mas empregam 30% da força de trabalho do setor.

Cliente tem sempre razão
Guedes disse que defenderá sempre o interesse do consumidor e que em 30 dias decidirá sobre a venda direta de etanol aos postos, como quer o presidente Bolsonaro, com a evidente redução do preço final.

O louvável é ignorado
A cobertura do assassinato do marido da deputada Flordelis (PSD-RJ) não deu grande bola a um lado da vida do pastor Anderson Souza: era pai de 51 filhos adotados, 37 deles após sobreviverem a chacinas.

Erro histórico
O senador Marcos Rogério (DEM-RO) foi dos poucos com a coragem de criticar o STF pela equiparação da homofobia a racismo. Para ele, um “erro histórico de interpretação e aplicação da Constituição”.

Afasta de mim….
Impressiona a indisposição do PT ao trabalho. Nesta segunda, às 16h45, a atendente do partido avisou que não tinha ninguém na assessoria. Mas o fundo partidário paga ótimo salários para todos.

Leitura petista
O PT é alvo no TSE de novo pedido de extinção do partido, acusado de se enrolar com grupos estrangeiros internacionais. O PT alega que documentos do partido foram alvo de “leitura obtusa”. Hahahaha…

Disputa local
Uma briga paulista resultou na primeira representação no Conselho de Ética da Câmara. O PSDB acusa o deputado Coronel Tadeu (PSL) de quebra de decoro por afirmar que o ex-governador Geraldo Alckmin virou “assassino de policiais” já que “em 2006, fez acordo com o PCC”.

Pergunta no exílio dourado
Agora que também se diz “ameaçado”, o suplente David Miranda (Psol-RJ) também vai se juntar a Jean Wilis no circuito Helena Rubinstein?

PODER SEM PUDOR
Prioridade de governo
O tucano Geraldo Alckmin sempre conta a história que certa vez aconteceu em Pindamonhangaba (SP), onde nasceu. Um vereador chamou o prefeito de “desleixado” por não reformar o muro do cemitério, que desabara. Um vereador situacionista discordou, encerrando a discussão:
– Consertar o muro do cemitério não deve mesmo ser prioridade. Por dois motivos: quem está fora não quer entrar e quem está dentro não quer sair!

Com André Brito e Tiago Vasconcelos
www.diariodopoder.com.br

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com