Home Colunistas Coluna do Cláudio Humberto “Rio de Janeiro e São Paulo podem ter dois grandes prêmios”

“Rio de Janeiro e São Paulo podem ter dois grandes prêmios”

Cláudio Humberto

Wilson Witzel, governador 
fluminense, sobre a disputa para 
sediar o GP de Fórmula 1

Planalto quer um Senador do a Casa Civil
A área política do Palácio do Planalto considera que um senador “ficha limpa” do MDB seria o nome ideal para ocupar o cargo de ministro-chefe da Casa Civil, em substituição a Onyx Lorenzoni, cuja saída é dada como iminente. Entre as qualidades mais adequadas estariam a experiência e o relacionamento com políticos e partidos. Um senador que se encaixa no perfil já foi identificado: Eduardo Gomes (MDB-TO).

Já tem ajudado
Amigo e eleitor do presidente Jair Bolsonaro, Eduardo Gomes já tem ajudado o governo no Congresso como um apoio de qualidade.

Não agrada
Bolsonaro deixou claro que não lhe agrada o nome do líder do governo Fernando Bezerra (MDB-PE), que se tem insinuado para o cargo.

Diálogo fácil
Eduardo Gomes tem diálogo fácil com todas as tendências, até mesmo de oposição, e seu jeito afável facilita a articulação do governo.

Político influente
O senador do Tocantins foi citado seis vezes pelo Diap (entidade ligada a sindicatos) entre os 100 políticos mais influentes do Congresso.

Endurecimento nas prisões fez reduzir o crime
Especialistas em segurança pública reconhecem que houve redução no número de mortes violentas em 2019. O especialista Aloisio Lira, um dos responsáveis pela ações que reduziram os homicídios no Ceará, concorda. Para ele, o endurecimento carcerário foi o maior responsável por essa redução. Mas pode também haver efeito “vacina” com a facilitação ao acesso a armas, mas ainda é cedo para avaliar isso.

Redução confirmada
“Houve redução, sim”, atesta outro especialista, o professor Antônio Flávio Testa sobre na violência e o número de mortes em 2019.

Polícias melhoraram
Testa também acha que investimentos nas polícias (R$1 bilhão a mais, em 2018) também ajudaram a derrubar a criminalidade.

Tempo para avaliar
Aloisio Lira acha que somente em dois ou três anos será possível avaliar os efeitos da facilitação da posse de armas de fogo.

Mudanças à vista
Na avaliação de políticos mais experientes do Congresso, o governo Bolsonaro encontrou um ponto de partida para uma “ação pragmática”, já que o governador paulista Doria entrou de vez no calendário 2022.

Raridade
A aprovação unânime do fim da pecúnia no serviço público do Distrito Federal, na Câmara Legislativa, mostrou a capacidade de articulação do governador Ibaneis Rocha (MDB). O privilégio infame rendia boladas de até R$600 mil para servidores que se aposentam.

Inverteram a lógica
O senador Álvaro Dias (Pode-PR) é um dos mais indignados com o monstrengo em que se transformou o projeto de dez medidas contra corrupção: “O povo quer punir o corrupto e não quem investiga”.

MP fundamental
A Federação das Indústrias do Rio (Firjan) defende a MP 873, determinando que a contribuição sindical só pode ser cobrada com “autorização prévia, voluntária e individual do empregado”.

Pensando bem…
…hoje tem Brasil em campo e Previdência na pauta.

PODER SEM PUDOR
Ah, bom
Candidato ao Senado pelo PMDB-PR em 1990, Waldyr Pugliesi convocou coletiva para explicar que era injusta sua fama de “pavio curto”. Na coletiva, um militante do PMDB puxou uma conversa cabulosa e ele a encerrou com um soco na mesa. Refeito, contou que só perdeu a cabeça uma vez, em Arapongas, quando esmurrou um vereador que o criticara. Mas observou: “Aquele soco foi com o braço democrático…”
Com André Brito e Tiago Vasconcelos
www.diariodopoder.com.br

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com