Home Colunistas Coluna do Cláudio Humberto “Que ninguém nos diga o contrário”

“Que ninguém nos diga o contrário”

“Que ninguém nos diga o contrário”

Cláudio Humberto

Presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, dizendo que “entrou na Venezuela livre”

Lava Jato investiga ProUni
A operação Lava Jato da Educação devassa esquema de corrupção no MEC envolvendo programas como Universidade para Todos (ProUni) e de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), de orçamento bilionário. Criado em 2005, a pretexto de dar bolsas a alunos pobres, o ProUni foi uma boa ideia que se transformou em um novo cartório de transferência de dinheiro público para donos de universidades privadas.

Gatos expressivos
Com renúncia fiscal de mais de R$ 100 milhões e gastos de R$ 1,6 bilhão, o ProUni concedeu mais 417.276 bolsas em 2018.

Pronatec na mira
Outro foco da Lava Jato da Educação é o Pronatec, que em 2018 consumiu R$ 141,2 milhões dos contribuintes.

Meteram a mão
A devassa que a Lava Jato promove no Pronatec alcança também entidades do Sistema S, sobretudo CNI. Meteram a mão para valer.

100 dias
A investigação é uma das principais metas no Ministério da Educação dentro do plano de ações dos 100 primeiros dias do novo governo.

Defesa do Contribuinte
Em um país onde o contribuinte é tratado com desdém e desrespeito, sem contar que o dinheiro dos impostos é consumido nos escândalos de corrupção, o ex-presidente da Associação Brasileira dos Sebraes Estaduais, Antônio Valdir Oliveira, atual superintendente do Sebrae-DF, defende e até faz campanha para a criação de um Código de Defesa dos Contribuintes. Dos seus direitos e também do seu dinheiro.

Inspiração
A ideia é seguir o princípio do Código de Defesa dos Consumidores, uma lei de 1990 que é referência em todo o mundo.

Em favor da sociedade
Antônio Valdir Oliveira faz questão de dizer que a proposta não é contra governos, mas em favor dos direitos dos contribuintes.

Empoderamento
Com regras claras, com direito a informações sobre gastos públicos, o Código de Defesa dos Contribuintes objetiva “empoderar” o cidadão.

Associação perversa
Mais do que pôr ordem na bagunça, a MP de Bolsonaro, que põe uma pá de cal na contribuição sindical obrigatória, liquidou um complô com ativistas da Justiça do Trabalho para obrigar os trabalhadores a continuar sustentando a pelegada por meio da desobediência civil.

Azar o nosso
A Caixa realiza nesta quarta (6) o 21º sorteio da Mega-Sena de 2019, que tem sido ano bem lucrativo. Ao todo foram arrecadados R$ 805,5 milhões com as apostas e pagos apenas R$ 69 milhões em prêmios.

Fantasia militante
Sem fontes no Planalto, parte da imprensa faz opção pela fantasia, ora imaginando que o presidente Jair Bolsonaro é tutelado por generais, ora chamando de “recuos” meras demonstrações de submissão ao papel constitucional do Congresso, de alterar a reforma da Previdência.

Faltou timing
O Ministério Público do Trabalho não parece muito preocupado com o risco de corrupção pela terceirização irrestrita. Nota técnica com o alerta, de 22 de fevereiro, só foi enviada à imprensa 10 dias depois.

De volta ao passado
Um detalhe chamou atenção de foliões que viram o caminhão lilás para vítimas de importunação sexual no carnaval, em São Paulo. O slogan usado pela prefeitura, “Brasil, país rico é país sem pobreza”, é de 2011.

Cigarros falsos
Em 2018, 54% dos cigarros consumidos no Brasil tinham origem ilegal, metade do Paraguai, diz pesquisa Ibope/Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial. Prejuízo de R$11,5 bilhões para os cofres públicos.

Confusão é grande
A nova batalha do site de vídeos YouTube é contra os comentários. O site, que recebe mais de 400h de vídeo por minuto, passou a bloquear comentários em vídeos de crianças, após denúncias de pedofilia.

Tudo começa dia 12
As comissões permanentes da Câmara começam a ser instaladas apenas a partir da próxima semana. O governo queria iniciar a tramitação da reforma da Previdência com a Comissão de Constituição e Justiça, mas a disputa por cargos adiou a instalação das comissões.

Pensando bem…
…o Carnaval acaba e o trabalho recomeça, exceto para o Congresso, que só volta na próxima semana, após 13 dias de folga.

PODER SEM PUDOR
Água enferruja
O presidente Jânio Quadros nunca xingou jornalistas que falavam do seu pendor pelo copo, até porque não o escondia. Certa vez, em campanha para prefeito de São Paulo, aceitou convite de uma eleitora para almoçar. Com a carne assada no ponto, a anfitriã perguntou, gentil: “O senhor toma um copo d’água?” A resposta de Jânio saiu na bucha: “Água, minha senhora, é para radiador de automóvel…”

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com