Home Colunistas Coluna do Cláudio Humberto “Qualquer pessoa pública tem que esclarecer aquilo que for duvidoso”

“Qualquer pessoa pública tem que esclarecer aquilo que for duvidoso”

Qualquer pessoa pública tem que esclarecer aquilo que for duvidoso”

Cláudio Humberto

Futuro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, sobre a entrevista de Fabrício Queiroz

Decepção: mordomias e regalias serão mantidas
A Agenda de Governo, assinada pelo futuro chefe da Casa Civil Onyx Lorenzoni e divulgada nesta quinta, não parece ter passado pelo crivo do presidente eleito Jair Bolsonaro. Marcado por obviedades, o documento mantém o que já se faz, e preserva mordomias e regalias que o eleitor de Bolsonaro esperava ver extintas. De carro oficial a auxílio-moradia e ajuda de custo de mudanças, tudo fica como está.

Jatinho e carro
Em vez de extingui-las, o novo governo manterá regalias tipo uso jatos da FAB “em serviço”, como é hoje, e a mordomia do carro oficial.

‘Direito’ de castas
Ministro ganha bem, o suficiente para pagar o próprio aluguel, mas continuarão a ter “direito” a imóvel funcional ou a “auxílio-moradia”.

Abuso vai continuar
Continuarão a ter “direito” a carro oficial, além do ministro, todos os que eles nomearem, ou sejam, ocupantes de “cargos de natureza especial.

Cartão persiste
Outra aberração preservada é o cartão de crédito corporativo, a mais moderna forma de desperdiçar dinheiro público impunemente.

Battisti
Fontes policiais desconfiam que o terrorista italiano Cesare Battisti estaria escondido em território nacional, e em São Paulo. Com prisão decretada pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), o criminoso condenado duas vezes à prisão perpétua em seu país é considerado um foragido. Uma das pistas investigadas dá conta de que importante político do PT paulista estaria escondendo o terrorista.

Turma do comitê
O político petista que estaria escondendo o Battisti teria ajudado a criar no Congresso, anos atrás, um comitê de solidariedade ao terrorista.

Tudo estava armado
A suspeita é que Cesare Battisti já tinha plano de fuga e esconderijo determinado, para o caso de sua prisão ser decretada.

Vazamento
Battisti e até mesmo a Polícia Federal souberam da ordem de prisão pela TV, na noite do dia 22. Ao amanhecer ele já havia sumido.

Mudar?
A pretexto de regulamentar a mordomia do carro oficial, a decepcionante Agenda do Governo Bolsonaro veda seu uso aos sábados, domingos e feriados. Exatamente como o é há anos.

Bolsonaro segue Lula
Ao detalhar questões administrativas, a agenda do futuro governo trata do Sistema de Concessão de Diárias e Passagens, que nada tem de novo. Na verdade, foi criado no segundo governo Lula.

Avianca com Azul
O mercado aguarda a incorporação à Azul da empresa aérea Avianca, atualmente em recuperação judicial. O acordo é difícil, mas possível. Os colombianos querem R$ 180 milhões no bolso para sair do negócio.

Equipe só no dia 2
O futuro ministro da Educação, Ricardo Velez Rodriguez, já escolheu quase toda a sua equipe, mas irá anunciá-la apenas no próximo dia 2, após a cerimônia de transmissão de cargo.

Rei da simpatia
O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, vem à posse de Bolsonaro e aproveitará para rever familiares que vivem no Brasil. Sua comitiva ocupará 30 apartamentos no Hotel B, em Brasília.

Lógica de bandido
Na ânsia de criticar Michel Temer pela “demora” do indulto, a turma dos direitos humanos reclama que presos de bom comportamento podem perder o benefício. Como se bom comportamento não fosse obrigação.

Realidade aumentada
O noticiário fez parecer que a bomba desarmada pela polícia Militar do DF estava no Palácio do Planalto. Na verdade, a bomba foi achada em Brazlândia, a mais de 50 km da Esplanada dos Ministérios.

Que país é este?
Em outra ideia brilhante, que só aparece por lá, a Câmara analisa projeto proibindo pessoas condenadas por estupro de vulnerável ou pornografia infantil de trabalharem com crianças e adolescentes.

Pensando bem…
…a Agenda do futuro governo, divulgada ontem, mais parece um cardápio de regalias.

PODER SEM PUDOR
Pagadora de promessa
Albertina Krumel Maciel, de São José (SC), escreveu a Jânio Quadros pedindo a contribuição de um tijolo para o Hospital Santo Antônio, que construía em pagamento de promessa por sua vitória para presidente. “Agradeço sua carta e os votos que fez pela minha eleição”, respondeu Jânio. Depois, o presidente eleito mostrou seu estilo peculiar: “O fardo é tão pesado que hesitei, não sabendo, por alguns minutos, se deveria agradecer ou zangar-me. Junto 500 cruzeiros para o Hospital de Santo Antônio. Não sou mais rico do que o grande padroeiro o foi.”

Com André Brito e Tiago Vasconcelos
www.diariodopoder.com.br

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com