Home Colunistas Coluna do Cláudio Humberto “Pelo que tudo indica a intenção é sempre atingir a Lava Jato”

“Pelo que tudo indica a intenção é sempre atingir a Lava Jato”

“Pelo que tudo indica a intenção é sempre atingir a Lava Jato”

Cláudio Humberto

Presidente Jair Bolsonaro, sobre o caso dos hackers e dos vazamentos de mensagens

Só 27% não querem privatizar empresas públicas
Levantamento exclusivo do Paraná Pesquisa para esta coluna e para o site Diário do Poder mostra que existe amplo apoio aos planos de privatização de empresas públicas; apenas 27% dos entrevistados disseram que nenhuma das estatais deve ser vendida. No DF, o Metrô é a preferida para ser privatizada, com 40% de menções. Depois vem a Cia. Elétrica de Brasília e Companhia de Saneamento da capital.

Elétrica
A Companhia Elétrica de Brasília (CEB) deve ser privatizada, segundo 27,6% dos entrevistados. São 11% aqueles que dizem não saber.

Saneamento
A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) seria alvo de desestatização para 23,1% dos entrevistados.

Banco regional
Para 22,2% dos entrevistados, o Banco Regional de Brasília (BRB) deve ser a prioridade nas privatizações.

Dados
O Paraná Pesquisa entrevistou 1565 moradores do DF entre 21 e 25 de julho. A margem de erro é de 2,5% para os resultados.

Bolsonaro e Santa Cruz geram crise
Os ataques do presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, provocam incômodo e até engulho em advogados e presidentes estaduais da entidade. Demonstrando ligações a setores de oposição, ele tem atacado, até no campo pessoal, Sérgio Moro (Justiça) e o presidente Bolsonaro. Os presidentes da OAB/MS e OAB/RS declararam repúdio a recentes declarações de Cruz, mas ambos também repudiaram as declarações de Bolsonaro sobre o pai do presidente da acional.

Pensamento exclusivo
Presidente da OAB/MS, Mansour Karmouche diz que Santa Cruz critica Moro sozinho. Mas críticas de Bolsonaro ao pai dele são “inaceitáveis”.

Tom insensível
O presidente da OAB/RS, Ricardo Breier, se opôs às críticas a Moro. Mas sobre o pai de Santa Cruz, ele diz que Bolsonaro foi “insensível”.

Oposição frontal
Tanto Breier, quanto Karmouche, dizem que suas seccionais “se opõem frontalmente às declarações” de Santa Cruz sobre Sérgio Moro.

O que mudou?
O hacker Walter Delgatti, vulgo “Vermelho”, disse precisar de Manuela D’Ávilla para intermediar contato com Glenn Greenwald. Mas os outros contatos, incluindo Sérgio Moro, ele conseguiu através de invasões.

#PresoPolítico
Faz sucesso nas redes sociais a hashtag “Cunha Preso Político”, que ganhou até perfil próprio no Twitter. A piada compara os casos do ex-presidente da Câmara preso com o também presidiário petista Lula.

Recorde histórico
As vendas dos títulos do Tesouro Direto bateram recorde nos primeiros meses deste ano: R$ 18,6 bilhões investidos. É o maior resultado para um primeiro semestre desde 2002, quando o programa foi criado.

Indústria cacaueira
O Brasil produz hoje 250 mil toneladas de cacau, mas o Ministério da Agricultura pretende impulsionar o setor para elevar a produção a 400 mil toneladas/ano, patamar que já foi atingido em anos anteriores.

Infra à brasileira
No Parque de Exposições da Granja do Torto, em Brasília, onde o presidente da República tem residência, celulares não funcionavam em todos os dias do encontro de motos Brasília Capital Moto Week.

Ingressos gringos
Brasileiros que querem ir aos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020 vão poder comprar ingressos a partir do próximo dia 5. Mas em ienes japoneses. E a revendedora oficial é uma empresa com sede na Suíça.

Migração
A Conferência de Estimativa Demográfica da Florida, nos EUA, diz que o estado norte-americano recebe 300 mil novos residentes por ano. É o mesmo número estimado de brasileiros que vivem no estado.

Frentes e mais frentes
A frente parlamentar em Defesa do Nordeste protocolou ação contra Bolsonaro na PGR. São 203 parlamentares que integram a frente. E são 224 frentes parlamentares no Congresso, todas criadas em 2019.

Pergunta na Democracia
A invasão de hackers aos celulares de autoridades cancela o direito à privacidade das vítimas?

PODER SEM PUDOR
Gazeteiros históricos
Não é de hoje a falta de disposição dos deputados para o trabalho. Campos Salles, que presidiu o Brasil entre 1898 e 1902, enviou uma carta ao então presidente da Câmara, deputado Xavier da Silveira, em que solicita sua “intervenção” para “obter o comparecimento dos deputados na sessão da Câmara”.
Campos Salles se queixa em sua carta de 8 de abril de 1901 que “até hoje não temos um Orçamento sequer votado pela Câmara”. E adverte: “Nada pode ser mais grave do que isto”. Vai mais além: “É preciso não só que (os deputados) compareçam, mas que permaneçam durante a sessão, pois a praga é: entrar por uma porta e sair pela outra”.

Com André Brito e Tiago Vasconcelos
www.diariodopoder.com.br

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com