Home Colunistas Coluna do Cláudio Humberto “Governar é uma longa maratona de quatro anos”

“Governar é uma longa maratona de quatro anos”

Ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil) lembrando que o governo está apenas no início

Deputados fingem presença e voltam aos estados

Às 16h03 desta quinta (23) o painel eletrô­nico registrava a presença de 439 deputados na Câmara, sendo que impressionantes 434 estariam no plenário. Mas era tudo mentira: na verdade, o plenário estava vazio. Suas ex­celências já tinham ido embora, não sem an­tes registrar a presença graças à malandragem oficial que lhes abre a assinatura do ponto a partir das 6h da manhã. Às favas os projetos, debates, tudo.

Revoada facilitada

Na sessão de ontem, que aprovou a reforma adminis­trativa, a votação simbólica dispensou contagem de vo­tos e verificação de quórum.

Farra garantida

Rodrigo Maia já chegou a obrigar deputados a traba­lhar até 14h, às quintas, mas para ser reeleito voltou a li­berar o ponto 6h da manhã.

Engarrafamento

A debandada parlamentar ocorre toda manhã de quin­ta, no aeroporto de Brasília. Há até engarrafamento de carros oficiais no embarque.

Cooptados

A esperança era de que a renovação de deputados te­ria impacto nessa farra, mas é grande a tentação de ga­nhar sem trabalhar.

Namorada de Lula

A mulher com quem o presidiário Lula diz preten­der se casar após sair da pri­são, Rosângela da Silva, a “Janja”, recebe R$16.769,57 por mês, para atuar na área de “responsabilidade social” da estatal Itaipu Binacional, onde a média salarial é de R$8.779,68. Como prova de que o “padrinho” era forte, ela foi nomeada em 1º de ja­neiro de 2005 para trabalhar em Curitiba e não próxima à hidrelétrica, em Foz do Igua­çu.

Contratada no feriado

A menos que a data tenha sido fraudada, Itaipu abriu as portas para formalizar o contrato de “Janja” em ple­no feriado nacional.

Coisa de poderosa

Relacionando-se com Lula há anos, “Janja” ga­nhou a boquinha em Itaipu sem fazer concurso ou pas­sar por qualquer processo seletivo.

Entre amigos

“Janja” foi contratada por ordem do então presidente de Itaipu, Jorge Samek, pe­tista do Paraná obediente a Lula, que o nomeou.

Ainda este semestre

O ministro Onyx Lorenzo­ni (Casa Civil) é mais otimis­ta que o colega Paulo Gue­des (Economia): acha que a reforma da Previdência ca­minha bem e será votada no plenário da Câmara antes do recesso.

Reforma até o dia 15

O relator da proposta de reforma da Previdência na Comissão Especial da Câma­ra, deputado Samuel Morei­ra (PDSB-SP), afirmou que deve apresentar seu parecer sobre a PEC até o próximo dia 15 de junho.

Liderança na prática

O Planalto ficou satisfeito com o trabalho de articula­ção da Líder no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP). Ela fez o que o major Vi­tor Hugo (PSL-GO), Líder do Governo na Câmara, não consegue.

Perderam a noção

O deputado Sóstenes Ca­valcante (DEM-RJ) defi­ne como “surreal” a tentati­va dos petistas de sabotar a visita de Bolsonaro ao Nor­deste. “A política tem dessas coisas”, ironiza ele, nordesti­no de Alagoas.

Contra a corrupção

O senador Oriovisto Gui­marães (Pode-PR) pretende acabar com “brechas” para prisão em segunda instân­cia: “O STF ora interpreta de uma forma, ora interpreta de outra”. Ele pede mudança na Constituição.

 

 

 Momento sensível

Líder do PSL, o Delegado Waldir (GO) pediu desculpas ao presidente da comissão da reforma da Previdência, Marcelo Ramos (PL-AM), por ataques nas redes so­ciais e pediu aos deputados que “não meçam, por favor, a conduta do partido pela conduta de um ou outro par­lamentar”.

Investimentos bilionários

O chairman do grupo FCA (Fiat Chrysler Automobiles), John Elkann, e o CEO da empresa, Mike Manly, esti­veram no Brasil para anun­ciar que vão investir mais de R$ 8,5 bilhões nos próximos anos, no Brasil. A maior fá­brica da Fiat do mundo é em Betim, Minas Gerais.

Oposição-birra

Mestre em Direitos Fun­damentais, Cássio Faeddo define o clima político atual como “desavergonhado pro­cesso de desgaste delibera­do” do presidente. Para ele, é vez de o PT não aceitar a voz das urnas.

Pensando bem…

…se o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, fizesse artes cênicas, ele ti­raria nota 10 até mesmo em Harvard.

 

PODER SEM PUDOR

Candidatos eleitos

Deputados federais pelo Rio Grande do Norte, Djalma Mari­nho e Vingt Rosado Maia foram ao enterro de um velho amigo. Vingt cochichou: “O morto é um homem da nossa idade… Já somos candidatos também…”

O octogenário Djalma reagiu com graça e veemên­cia: “Que candidatos Vingt, que candidatos! Nós já fomos eleitos. Estamos apenas aguardando o dia da posse.” Marinho morreria em 1988 e Vingt em 1995.

Com André Brito e Tiago Vasconcelos

www.diariodopoder.com.br

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com