Home Colunistas Coluna do Cláudio Humberto “Faça dos nossos filhos e netos, melhores que seus pais e avós”

“Faça dos nossos filhos e netos, melhores que seus pais e avós”

“Faça dos nossos filhos e netos, melhores que seus pais e avós”

Cláudio Humberto

Presidente Jair Bolsonaro, ao empossar o ministro da Educação, Abraham Weintraub

Outros dois diretores da Apex serão demitidos
Além do presidente, outros dois diretores da Apex Brasil (Agência de Promoção de Exportações), Letícia Catelani e Márcio Coimbra, também devem ser mandados embora. Eles ambicionavam o comando da agência e travavam uma batalha com o embaixador Mário Vilalva, exonerado ontem. Ambos têm sido criticados no Planalto por serem capazes até de parar o trabalho na tentativa de assumir a presidência.

Planalto ignorado
Emparedado, Vilalva pediu ajuda do Planalto, que destacou um general para pôr ordem na casa. Mas ele também acabou emparedado.

Assim não dava
Vendo-se inviabilizado no cargo, Vilalva passou a insultar de “desleal” e “ardiloso” o chanceler Ernesto Araújo, que o nomeara. Foi demitido.

Trombada com vítima
O primeiro presidente da Apex, Alex Carreiro, durou 6 dias no cargo: ele trombou com Letícia Catelani, que pretendia ser a presidente.

Estão 90% fora
Sobre chances de Catelani e Coimbra serem demitidos, autoridade com gabinete no Palácio do Planalto cravou sem hesitações: “90%”.

7400 obras paradas
A Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) divulgará nesta quarta-feira o resultado de pesquisa indicando que há 7400 obras inacabadas no Brasil. Todas essas obras representam um montante de R$ 140 bilhões que deixam de ser aplicados na geração de empregos e renda. O estudo será divulgado no evento “Paralisação e retomada de obras de infraestrutura no Brasil”, das 8h às 13h na CNI, em Brasília.

Painéis de debate
O evento será marcado por dois painéis de debate, com a presença de especialistas e autoridades como o ministro Santos Cruz (Governo).

Razões da paralisia
A pesquisa da CBIC indicará que as obras foram paralisadas por falta de recursos ou em razão de escândalos de corrupção, por exemplo.

Setor produtivo
O levantamento das obras paralisadas e o evento que divulgará o estudo têm apoio de entidades como Asbraco, Ademi e Sinduscon-DF.

Ratinho bem na foto
Os paranaenses estão de bem com os governantes. Levantamento do Paraná Pesquisa revela que 78,4% aprovam o governo de Ratinho Júnior e 64% aprovam o de Jair Bolsonaro. Foram entrevistados 2508 eleitores em 91 municípios do Paraná entre os dias 3 e 7 de abril.

Classificados
Sede do maior escândalo de corrupção da História, a Petrobras tenta se capitalizar vendendo ativos. A bola da vez é a distribuidora Liquigás. Tá feia a coisa: ontem estatal voltou a pregar aviso sobre a venda.

Pegou mal
A Braskem, cuja extração de sal-gema do subsolo em região com falha geológica ameaça afundar bairros com 30 mil moradores, em Maceió, contratou Sérgio Bermudes, o mesmo advogado da Vale, cuja barragem rompeu e matou quase 300 pessoas em Brumadinho.

Dedo na ferida
Gerou pânico o pedido da procuradora-geral, Raquel Dodge, para o STF priorizar ação que acaba com honorários de advogados públicos. Sindicalistas dizem que a PGR “ataca” advogados públicos após o MPF ter o fundo bilionário com dinheiro da Lava Jato linchado publicamente.

Sabotagem em curso
A oposição, que age segundo os interesses dos privilegiados do setor público, faz tudo para sabotar ou protelar a reforma da Previdência. Até pediu vistas do relatório sobre a PEC antes mesmo de ser lido.

Que ambiente…
Relator da PEC da Previdência, Marcelo Freitas (PSL-MG), começava a ler seu parecer na CCJ, quando delegado Waldir (GO) se posicionou para protege-lo da aproximação de deputadas do PT. “Não deixa roubar o relatório!” gritaram da plateia. Seguro morreu de velho.

Bolsonaro, 100 dias
O governo completa 100 dias hoje. Entre as 35 promessas da “Agenda de 100 Dias do Governo” muitas foram cumpridas, como a extinção de 21 mil comissionados, privatização de aeroportos, o pacote anticrime e 13º do Bolsa Família. Já ações como a volta do Brasão da República à capa do passaporte e “promoção da ética” nas escolas, foram adiadas.

Pensando bem…
…demissão não é crise, é gestão de pessoas.

PODER SEM PUDOR
Suplicy e a corda
Há alguns anos, o ex-senador Eduardo Suplicy (PT-SP) foi conhecer o Círio de Nazaré, em Belém (PA). Com pose de atleta, ele se meteu a puxar a corda, ao lado de milhares de fiéis, e se deu mal, muito mal. O ex-deputado paraense Babá (PSOL) relatou com graça a cena a que assistiu: “Suplicy foi ejetado em 15 minutos. A força na corda é descomunal.” Não por acaso, quando soube que a colega Heloísa Helena iria ao Círio, Suplicy advertiu: “Cuidado com a corda…”

Com André Brito e Tiago Vasconcelos
www.diariodopoder.com.br

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com