Home Colunistas Coluna do Cláudio Humberto “Eu não sou politicamente correto e ponto final”

“Eu não sou politicamente correto e ponto final”

“Eu não sou politicamente correto e ponto final”

Cláudio Humberto

Presidente Jair Bolsonaro comentando outra vez sobre demarcação de terras

Lei contra abuso protege cidadão
A Constituição é estatuto dos direitos dos brasileiros, mas o projeto de abuso de autoridade, aprovado pelo Congresso, ajudará na proteção desses direitos. Para o criminalista Fernando Parente, o texto atualiza a legislação para representar eventuais abusos cometidos e “protege o cidadão contra os excessos e má fé do agente público”. Apesar disso, e ao contrário do que muita gente imagina, inclusive o presidente Jair Bolsonaro, o projeto aprovado não prevê penas duras como de prisão.

Hipótese remota
Prisão em regime fechado só em caso abusos reiterados da mesma autoridade, mas essa hipótese é remota, segundo Fernando Parente.

Livres, leves e soltos
Nota técnica do Ministério da Justiça advertiu ontem que a nova lei pode inviabilizar a atuação do Ministério Público e da Polícia Federal.

Prática comum
“O abuso é prática perniciosa e comum na administração pública”, diz o advogado Willer Tomaz, que foi alvo de operação policial no caso JBS.

Anulação e punição
Tomaz diz que o STJ já invalidou provas em caso de invasão policial ilegal em domicílio. O projeto prevê punição dos agentes, explica.

Jefferson leva para o PTB político que o investigou
O ex-senador Delcídio Amaral mostra que na política o mundo também dá voltas. Líder do governo Dilma Rousseff que acabaria preso, ele assinou ficha de filiação ao PTB. Delcídio virou personagem nacional na presidência da CPI dos Correios, que investigou o mensalão criado pelo governo Lula para subornar políticos. Entre os investigados pela CPI estava o deputado Roberto Jefferson… atual presidente do PTB.

Prestígio pessoal
A filiação de Delcídio ao PTB foi prestigiada pelo próprio Roberto Jefferson, que cumpriu pena de prisão no processo do mensalão.

Elogios derramados
Jefferson elogiou muito o comandante da CPI dos Correios, que o pegou: “determinado, experiente, preparado, que agrega e constrói”.

Retomando a carreira
Após derrotas e vitórias na Lava Jato, Delcídio Amaral tenta retomar sua carreira política interrompida com sua prisão, em 2017.

Fã-clube no governo
Pós-doutor pelo Inpe, Alfredo José Barreto Luiz ganhou admiradores no Planalto com o artigo que, já em 2016, apontava “falácia” no discurso sobre desmatamento brasileiro, até por ofuscar “outros grandes e mais urgentes problemas ambientais”, como falta de saneamento básico.

Boquinhas ameaçadas
ONGs estão inconformadas com a perda dos milhões de abestados da Alemanha e Noruega em troca de suas mentiras sobre a Amazônia. Agora dizem que “fiscalizações” (sic) do Ibama estão ameaçadas.

Mandou mal
Ficou ruim para o presidente do Senado Davi Alcolumbre, ceder à pressão de senadores que se recusam a trabalhar às segundas e sextas, em um país cujos trabalhadores ralam tanto para ganhar a vida.

Esquerda, volver
O comando do PSL de Jair Bolsonaro em Sergipe foi entregue a um deputado, Rodrigo Valadares, de conhecidas ligações a setores de esquerda, incluindo o PT. Bolsonaristas-raiz estão inconformados.

Arma para todos
O projeto de lei que altera o Estatuto do Desarmamento prevê porte de armas para auditores da Receita Federal, auditores e fiscais do Trabalho, auditores fiscais e analistas tributários.

Um holofote para cada
Em menos de um ano, deputados federais da atual legislatura criaram 243 frentes parlamentares entre fevereiro e agosto. Tem até frente que defende “apoio ao protagonismo infanto-juvenil”.

Diplomatas mundo afora
O presidente Bolsonaro fez 21 indicações de diplomatas para postos no exterior, até agora. Foram 18 titulares de embaixadas e três de representações junto a organismos internacionais como CPLP e ONU.

Surto de sarampo
Segundo o Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde do dia 13, são 53 os municípios brasileiros “em situação de surto de sarampo”; 49 deles estão do estado de São Paulo, incluindo a capital e Santos.

Pensando bem…
…pode não parecer, mas nem todos os males começam em Brasília.

PODER SEM PUDOR
Decoro desnudo
No Carnaval do Rio, em 1994, criaram um factoide para fazer o então presidente Itamar Franco passar por “garanhão”: fizeram a modelo Lílian Ramos posar a seu lado sem calcinha. As fotos causaram espanto. Em Montes Claros (MG), o vereador Benedito Said (PTB) criticou a atitude de Itamar, mas foi repreendido pelo presidente da sessão, que considerou “falta de decoro” citar a palavra “calcinha” naquela sacrossanta casa. Retomando a palavra, o vereador Said ironizou: “Então, sr. presidente, retiremos as calcinhas e fiquemos com o decoro!”

Com André Brito e Tiago Vasconcelos
www.diariodopoder.com.br

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com