Home Colunistas Coluna do Cláudio Humberto “Eles se apossaram do ambiente escolar para doutrinar”

“Eles se apossaram do ambiente escolar para doutrinar”

“Eles se apossaram do ambiente escolar para doutrinar”Cláudio Humberto

Deputado Flavinho (PSC-SP) sobre ativistas 
de esquerda fazendo da escola palanque

Prédio da Petrobras em Vitória é outro escândalo
Outro edifício-sede da Petrobras vai gerar a qualquer momento mais um escândalo. Há dias, o edifício de R$ 680 milhões da estatal em Salvador resultou na operação Sem Fundos, da Polícia Federal. Mas há outro construído em Vitória (ES), cujo custo inicial era de R$ 90 milhões, na licitação subiu para R$436,6 milhões, no contrato foi a R$486,1 milhões e, após aditivos, totalizou mais de meio bilhão de reais, ou sejam, R$567,4 milhões. Os valores foram aferidos em investigação do Tribunal de Contas da União (TCU).

Lava Jato de olho
O TCU começou a investigar em setembro de 2015 a treta no edifício da Petrobras em Vitória. O caso é investigado também na Lava Jato.

Treta anunciada
Não tinha perigo de dar certo: duas das três empresas do consórcio contratado estão envolvidas na Lava Jato até o pescoço.

Terceirização ampla
O consórcio vencedor contratado (Odebrecht, Camargo Corrêa e Hochtief) realizou apenas 16,5% da obra e terceirizou todo o restante.

Meteram a mão
Em relatório, o TCU identificou “indícios robustos de sobrepreço” e acusou “falta transparência e confiabilidade nas cotações”.

Lobby
A participação de Lula no esquema que garantiu contrato na Guiné Equatorial à empresa mineira ARG foi a “cartada final” usada pela empreiteira para conquistar o negócio. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), o lobby rendeu propina de R$ 1 milhão para o ex-presidente, disfarçada de “doação ao Instituto Lula”. A informação é de alto funcionário do governo que acompanhou as negociações.

O Estado sou eu
Na Guiné Equatorial não há órgãos de controle, tampouco leis sobre licitações: é o presidente quem decide a empreiteira a ser contratada.

Hiperfaturamento
“Obras não são superfaturadas na Guiné; são hiperfaturadas, isso sim”, ironiza o experiente funcionário brasileiro que atuou no país.

Estranha coincidência
O pai dos três irmãos donos do grupo ARG morreu em acidente aéreo ontem, mesmo dia em que foram denunciados com Lula à Justiça.

Batom na cueca
Ao denunciar Lula por outro crime, agora de tráfico internacional de influência na Guiné Equatorial, o MPF incluiu entre as provas uma carta tipo batom na cueca do atual presidiário ao ditador Teodoro Obiang.

Lorota esfarrapada
Desistir do indecoroso auxílio-moradia, que custa R$1 bilhão por ano a um país quebrado, não compensa os R$ 6 bilhões do aumento da casta de servidores federais cujo teto agora ultrapassa os R$ 39 mil.

Pegando no susto
Após a promessa do presidente eleito Jair Bolsonaro de acabar com sigilo das operações, a direção do BNDES ficou subitamente humilde e acertou com o Tribunal de Contas da União “ações de transparência”.

Comício
Relator do projeto Escola Sem Partido, o deputado Flavinho (PSC-SP) tem enfrentado a oposição estridente de colegas esquerdistas, que não querem perder a sala de aula como espaço de doutrinação política.

Medo que faz bem
Tem político em Brasília sem dormir com os planos do futuro ministro Sergio Moro (Justiça) de criar a Secretaria Nacional de Combate à Corrupção. Via Twitter, dizem “ver com preocupação” a ideia. Pudera.

Seria querer demais
Os pagadores de impostos esperavam da Justiça a atitude digna de revogar a vinculação dos vencimentos do Supremo Tribunal Federal (STF) a inúmeras outras castas do serviço público federal. Em vão.

Faltou assunto
Contando os dias para o recesso e a troca de governo, a Câmara inventou debate sobre o “legado” dos Jogos Olímpicos. A resposta todo mundo sabe: corrupção e dívidas, um ou outro ginásio fechado.

Ricas viagens
O governo federal gastou R$ 875 milhões em viagens “a serviço”, este ano. No total o pagador de impostos bancou 710.940 viagens. Foram R$ 140,3 milhões gastos somente em deslocamentos internacionais.

Pensando bem…
…aumento de 16,3% em inflação de 3% que é como os ministros do STF gritarem lá do Olimpo para o brasileiro obrigado a se esfolar para pagar essa conta: “Te vira, malandro”.

PODER SEM PUDOR
Bilu, muito prazer
Conta o folclore político que, apressado, o ilustre deputado potiguar desceu no Aeroporto Santos Dumont, no Rio, e disse logo o destino ao taxista: “Por favor, Hotel Zero Quilômetro.” O motorista estranhou: “Não tem esse hotel, aqui, senhor”. O passageiro insistiu: “Tem, sim. Fica em frente ao Hotel Ambassador”. Só aí é que o taxista entendeu: “Ah, na Senador Dantas?”. O passageiro desfez o que imaginava ser um mal-entendido: “Não, senhor, eu sou deputado Antônio Bilu, de Natal. Muito prazer.”

Com André Brito e Tiago Vasconcelos
www.diariodopoder.com.br

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com