Home Colunistas Coluna do Cláudio Humberto “É do Congresso Nacional, não é do Judiciário”

“É do Congresso Nacional, não é do Judiciário”

“É do Congresso Nacional, não é do Judiciário”

Cláudio Humberto

Ministra Damares Alves (Diretos Humanos) sobre a discussão acerca do aborto

Combustível: distribuidoras na mira de Bolsonaro
O súbito aumento da gasolina em Brasília, que saltou de R$ 3,80 para R$ 4,23 de quarta para quinta (21), chamou a atenção do governo para as distribuidoras como atravessadoras no mercado de combustíveis no País. A expectativa é que o presidente Jair Bolsonaro aprove a proposta para que usinas de etanol e refinarias forneçam os seus produtos diretamente aos postos, sem intermediários e atravessadores.

PODER SEM PUDOR
Um hábil auxiliar
José Sarney guarda com carinho uma carta que recebeu de Jânio Quadros em 1989, quando era presidente da República. Na carta, o ex-presidente o cumprimentava pela nomeação de um antigo auxiliar seu, Augusto Marzagão. A carta define Marzagão: “Ele foi dos mais hábeis auxiliares que já tive. É tal a sua habilidade que não tenho a menor dúvida de que, se um dia ele encontrar a morte, vai olhá-la da cabeça aos pés e dizer:
– Nunca imaginei que a senhora fosse tão magrinha e elegante.”

Com André Brito e Tiago Vasconcelos
www.diariodopoder.com.br

Cartório do mal
Distribuidoras conseguiram resolução da “agência reguladora” ANP, em 2009, que lhes dá exclusividade na venda de combustíveis aos postos.

Adulteração é crime
Distribuidoras são responsáveis pela crescente criminalização do setor. São investigadas pela polícia Federal e polícias civis de vários estados.

Maiores e piores
O Ministério Público Federal já requereu à Justiça o cancelamento do registro das gigantes do setor, acusadas de adulterar combustíveis.

Óleo de peroba neles
As distribuidoras investem no lobby junto a autoridades e na campanha publicitária de puro caradurismo, sob o lema “Combustível Legal”.

Tesouro já vende título a juros menores
Foi tão positiva a receptividade do projeto de reforma da Previdência, levado ao Congresso pelo presidente Jair Bolsonaro, que o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, registrou um feito histórico. É que o Tesouro colocou no mercado um título de 10 anos oferecendo rendimento de “apenas” 9,5%. Isso impressiona porque há três meses, para o mesmo produto e o mesmo prazo, o Tesouro teve de garantir ao mercado rendimento de 13,5% para conseguir atrair interessados.

Otimismo em alta
A oferta de um título de 10 anos a 9,5% representa um sinal importante da confiança do mercado. E a tendência é redução desse rendimento.

O homem da grana
Mansueto exalava otimismo, nesta quinta (21), durante a assembleia anual da Abrace, a associação de consumidores industriais de energia.

Confiança crescente
O mercado reage com otimismo ao projeto de reforma da Previdência desde quando começaram a vazar alguns detalhes.

Conta da Previdência
O governo Bolsonaro avalia que a reforma da Previdência foi bem recepcionada no Congresso. O vice Hamilton Mourão acredita que são 250 votos favoráveis. Na Câmara, a conta se aproxima de 300, apesar de só o PSL, partido do presidente, apoiar oficialmente o governo.

Denúncia
O ministro do Tribunal de Contas da União Bruno Dantas determinou investigação sobre os defensores públicos brasileiros que ganham para trabalhar no exterior. A denúncia foi feita por esta coluna em novembro sobre defensores no Canadá (e Barbados), Suíça e Timor Leste.

Assim é, se lhe parece
Esta coluna denunciou em novembro que defensores públicos ganham para viver no exterior, trabalhando “à distância”. O Globo publicou matéria domingo, três meses depois, mas assume paternidade do “furo”.

Lucro certo
Após pedir apoio da Confederação Nacional dos Municípios à Frente por um novo pacto federativo, Eduardo Bismarck (PDT-CE) previu lucro para todos: “Teremos municípios mais fortes e um país mais justo”, diz.

Nos braços do povo
À frente da prefeitura de Salvador desde janeiro de 2013, ACM Neto continua só sorrisos. Pesquisa Paraná feita na capital baiana revelou que a aprovação da administração do democrata é de 73%.

Bilhões a perder
CEO da Volkswagen, Herbert Diess mostrou preocupação com ameaça de alta em taxas de importação dos EUA para União Europeia. As perdas apenas da montadora, diz ele, devem ser de bilhões de euros.

Visita pós-folia
O chanceler Ernesto Araújo irá à Argentina, logo após o carnaval, para encontro marcado com o ministro argentino Jorge Fauric. O objetivo é preparar terreno para a visita do presidente Jair Bolsonaro ao país.

Mudar para melhor
Em protesto contra as mudanças no currículo, alunos da Universidade Católica de Brasília tentam se mudar de mala e cuia para o IDP, a mais bem avaliada faculdade de Direito da capital.

Pensando bem…
…pela primeira vez no início de um governo, o clima é de aprovação da reforma da Previdência.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com