Home Colunistas Coluna do Cláudio Humberto “Cansei de tomar bola nas costas”

“Cansei de tomar bola nas costas”

“Cansei de tomar bola nas costas”

Cláudio Humberto

Sergio Moro explicando por que trocou o Judiciário pelo Executivo

Amigos tentam ‘saída honrosa’ para Magno Malta
Amigos e aliados tentam uma “saída honrosa” para o senador Magno Malta (PR-ES), que não foi reeleito e ainda aguarda convite para o ministério de Jair Bolsonaro, cuja candidatura ele apoiou solitariamente no Senado desde o primeiro momento. O senador capixaba adoraria ser embaixador do Brasil em Israel, mas o presidente está decidido a enviar diplomata de carreira comprometido com a nova política externa.

EBC como opção
Se não for possível acomodar Magno Malta no comando de ministério, ele poderá ser convidado a presidir a estatal de Comunicação EBC.

Pasta descartada
Magno era “pule de dez” para o primeiro escalão, cotado para eventual Ministério da Família, afinal descartado. Mas ainda tem esperança.

Frituras e dossiê
Magno Malta foi “fritado” pelo entorno de Bolsonaro, enciumado com sua proximidade. Teve até dossiê da área militar contra o senador.

Sem compromisso
O senador capixaba apoia Bolsonaro desde 2011. Mas o presidente eleito já explicou que não assumiu compromisso “com ninguém”.

Netas de deputado preso
Três netas do ex-deputado Pedro Corrêa (PP) pediram demissão nesta segunda (3) da estatal Porto de Suape, do governo de Pernambuco, um dia após esta coluna revelar a que tinham sido nomeadas, com os respectivos namorados, para cargos de confiança. Corrêa foi condenado e preso nos escândalos de corrupção do Mensalão e do Petrolão, os maiores da história. O governador Paulo Câmara se finge de morto. A alegação da sua assessoria beira o deboche: “Suape tem autonomia”.

Tutti buona gente
Presidente de Suape, Carlos Villar foi indicado pelo enrolado deputado Eduardo da Fonte (PP-PE), muito influente no governo de Pernambuco.

Faltou contar
Em nota, Suape garantiu que nomeações têm “critérios técnicos”, mas não elucidou a assombrosa qualificação das netas de Pedro Corrêa.

Um recordista
Pedro Corrêa foi condenado à prisão em dois dos maiores escândalos de corrupção da história: o Mensalão e o Petrolão da Lava Jato.

Vice não tem cargo
Hamilton Mourão parece haver entendido que o melhor vice é discreto, não opina, exceto para cumprir missão do titular. Sua proposta de um “centro de governo” pegou muito mal no entorno e filhos do presidente Jair Bolsonaro. Soou como tentativa de tutela do capitão pelo general.

Dois séculos em cana
Se reencarnação existe mesmo, haveria uma grande chance de o ex-governador Sérgio Cabral reencarnar no xilindró várias vezes. Após a condenação de ontem a 14 anos, já totaliza quase 198 anos na prisão.

Já vão tarde
Impressionantes 70.8% da população aprovam a saída dos médicos cubanos, segundo levantamento do Paraná Pesquisas junto a 2.138 pessoas no País. Para 56,7%, os médicos brasileiros são melhores.

Latam, melhor evitar
A Latam extraviou as malas de um leitor da coluna, que desembarcou em Paris, entre 9 e 12 graus, sem roupas para trocar. E o pior é que a empresa aérea não localiza as malas, nem dá satisfação.

Enrolado no mensalão
No processo do superfaturamento na obra do aeroporto Jaguaruna, na justiça de Porto Alegre, há documentos relativos a 1800 saques em dinheiro da A.R.G., de Rodolfo Geo, preso pela PF semana passada.

Mais médicos
O futuro Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, assiste nesta quarta-feira à formatura de mais um médico na família: seu filho Pedro cola grau em Campo Grande (MS).

Estado gigantesco
Estudo da associação dos distribuidores revela que o Brasil tem a maior carga tributária sobre as tarifas residenciais, em 33 países: 41%. Maior só mesmo Dinamarca (64%) Alemanha (55%) e Portugal (52%).

Demissão voluntária
Até o dia 30 de novembro, 1685 empregados da Caixa se inscreveram no programa de demissão voluntária do banco. A estimativa do próprio banco é que o programa economize cerca de R$ 314 milhões ao ano.

PODER SEM PUDOR
Primeiro os meus
O deputado gaúcho Alceu Collares (PDT) discursava contra mais um aumento para os deputados quando ouviu o aparte de Philemon Rodrigues (PTB-PB):
– Se não quer o aumento, faça doação para entidades de idosos da Paraíba.
– Isto é jeito de fazer aparte, deputado? – estraçalhou Collares – Se é de dar para os seus velhinhos, dou antes para os meus.
O plenário foi às gargalhadas.

Com André Brito e Tiago Vasconcelos
www.diariodopoder.com.br

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com