Home Colunistas Coluna do Cláudio Humberto “Aprendemos a navegar 
na tempestade”

“Aprendemos a navegar 
na tempestade”

“Aprendemos a navegar 
na tempestade”

Cláudio Humberto

Ministro Carlos Marun (Governo) definindo a trajetória do governo Michel Temer

Petista ganha sinecura 
sob governo Bolsonaro
O governo Jair Bolsonaro vai estrear, em janeiro, com um petista ilustre em uma das mais secretas sinecuras do Brasil no exterior: diretor da Casa do Brasil… em Paris. O presidente eleito nem sabe disso, mas a partir de janeiro, assumirá a benesse o professor da UFRGS Lívio Amaral, conhecido por suas ligações ao PT e tido no MEC como um dos mentores do aparelhamento da Fundação Capes, nos governos do PT, e da “esquerdização” da pesquisa científica com dinheiro público.

Goela abaixo
O conselho da fundação é que escolhe o diretor da sinecura em Paris, que é presidido pelo embaixador brasileiro. Pior que isso, tem mandato.

Quem preside
Embaixador em Paris desde o poder, Paulo Oliveira Campos foi auxiliar de Lula. E tem relações quase familiares com o ex-presidente.

‘Exílio’ dourado
O futuro diretor da Casa do Brasil em Paris continuará receber seu salário na UFRGS e mais 3200 euros (R$ 14,1 mil). E casa montada.

Claque lulista
Colecionador de medalhas do governo Lula, Lívio Amaral era assíduo em reuniões da “comunidade científica” petista com o então presidente.

Mil dias de tormento
O ex-ministro Antônio Palocci teria tentado se matar quatro vezes no cárcere, segundo os amigos que lhe restam. Até retiraram meias de sua cela, para evitar tentativa de enforcamento. Indagada, a assessoria da Polícia Federal em Curitiba diz não ter informações sobre isso.

Kit obstrução
O depoimento de Palocci à Justiça, ontem, mais parecia debate no Congresso. Entre a autorização para Palocci falar e o início do depoimento, foram 20 minutos de “obstrução” da defesa mala de Lula.

Apex no Itamaraty
O futuro chanceler Ernesto Araújo venceu a disputa com Paulo Guedes (Economia): manteve no Itamaraty a Apex (Agência de Promoção de Exportações). Seu presidente será o gestor público Alexandro Carreiro.

Já deu, astronauta
Já passou da hora de o futuro ministro de Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, aposentar o macacão usado na reunião ministerial. Sua loja de lembranças da proeza se incumbirá de lembrar que ele foi astronauta.

Bom exemplo
Após ouvir a empresa pública Terracap, o secretário de Comunicação do governo do DF, Paulo Fona, agiu rápido e suspendeu licitação de publicidade de R$ 12 milhões. Atendeu a pedido da equipe de Ibaneis Rocha, contrariando interesses de antecessores dele na Secom.

Últimos suspiros
As centrais farão protesto dia 11, em São Paulo, contra a extinção do Ministério do Trabalho, fonte de suas receitas milionárias com a criação de lojas sindicais, também conhecidos como sindicatos.

Sem ‘toma lá’, não tem ‘cá’
Líder da Câmara dos Deputados, José Rocha (BA) deixou claro que o partido apoiará o governo Bolsonaro, mas não vai obrigar que os parlamentares votem a favor. “Vamos dançar conforme a música”, diz.

PODER SEM PUDOR
Oligarquia nos trinques
Os maranhenses têm diferentes maneiras de mostrar admiração pelo senador José Sarney (PMDB-MA). Certo dia, o chefe político acabara de desembarcar em São Luís quando um carregador de malas o saudou com o polegar para cima, sem saber o significado da expressão que usava:
– Meu senador! Nossa oligarquia tá assim, ó, ó, ó!…

Com André Brito e Tiago Vasconcelos
www.diariodopoder.com.br

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
"
"
"
"