Home Colunistas Coluna do Cláudio Humberto “A questão dos militares vai caminhar junto com a reforma”

“A questão dos militares vai caminhar junto com a reforma”

“A questão dos militares vai caminhar junto com a reforma”

Cláudio Humberto

Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente do Senado, e a reforma da Previdência

Vale agora tenta ‘romper a barragem’ do Tesouro
A Vale achou pouco os desastres que provocou em Mariana, com 19 mortos, e cerca de 300 mortes em Brumadinho, e agora pretende produzir prejuízo bilionário ao Tesouro Nacional, com manobras para reduzir a valores aviltantes a concessão por 30 anos de um trecho de 1500 mil quilômetros da Ferrovia Norte/Sul. A Vale quer pagar R$ 1,5 bilhão pela ferrovia que custou R$ 9 bilhões ao contribuinte brasileiro. Em 2007, a Vale pagou bem mais por metade (720 km) da Norte/Sul.

São uns malas
A Vale tentou enganar, informando pela assessoria que não participaria do leilão. Participa, sim, através da coligada VLI Logística. “V” de Vale.

Favorecimento amplo
Para Júlio Marcelo de Oliveira, procurador junto ao TCU, a licitação “favorece amplamente a empresa VLI e não acrescenta nada ao país.”

Boca de siri
A VLI afirmou que não comenta “especulações” e a secretaria de PPI (Programa de Parcerias de Investimentos) não comentou o “atentado”.

Leilão dos 100 dias
É uma “renovação antecipada” porque a Vale já explora esse trecho da Norte/Sul. É o item mais importante dos leilões de infraestrutura.

Decisão do STF
Com a decisão desta quinta-feira (14) por 6×5 votos, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) desconstruíram o entendimento da força-tarefa da Lava Jato, confirmado em dezenas de condenações, de que Caixa Dois em campanha eleitoral é pagamento de propina, antecipada ou não. Dez em cada 10 réus da Lava Jato, a serem julgados ou já condenados, devem ter varado a noite comemorando.

Caixa Dois
Apesar da Lava Jato e de tanta corrupção, Caixa Dois ainda não é crime. Sérgio Moro foi obrigado a retirar esse item do pacote anticrime.

Tudo o que queriam
Remetido à Justiça Eleitoral, o Caixa 2 é retirado do campo penal. E o político pilantra ganha o direito de “retificar” sua prestação de contas.

Nada muda para Lula
A decisão do ão afeta a situação do presidiário Lula, condenado por haver aceitado suborno já na condição de presidente.

Fala, delegado
O próprio delegado Giniton Lages deveria explicar o seu afastamento das investigações do caso Marielle para passar uma temporada na Itália. Mas na primeira pessoa. Não bastam explicações dos superiores.

Inutilidades
A decisão da Anac de “proibir” voos do 737 Max-8 quando a Gol, única que os têm, havia retirado os aviões de circulação 24 horas antes, é tão inútil quando a Boeing ontem “suspender a entrega” dessas porcarias.

Governança em pauta
Jair Bolsonaro e seus 22 ministros assistiram nesta quinta a palestra do ministro Augusto Nardes, do TCU, sobre Governança no setor público. Sua implantação vai começar pela Casa Civil, conforme o ministro Onyx Lorenzoni explicou durante a reunião ministerial.

Mandou bem
O deputado Sergio Souza (MDB-PR) evoluiu muito: de suplente de Gleisi Hoffmann no Senado, entre 2011 e 2014, foi eleito presidente da Comissão de Finanças e Tributação da Câmara, nesta quarta.

Tapete vermelho
O ministro dos Negócios Estrangeiros dos Emirados Árabes Unidos, xeique Abdullah bin Zayed Al Nahyan, será recebido nesta sexta (15) com tapete vermelho, pelo presidente Jair Bolsonaro e o chanceler Ernesto Araújo. Os Emirados investem mais de US$ 3 bilhões no Brasil.

Desinteresse
A Comissão de Legislação Participativa, única sem comando, somente elegerá presidente e os vice no dia 20. Mas a turma não parece muito interessada: não houve reunião nesta quinta por falta de quórum.

PT encolheu
Ex-todo-poderoso do Congresso, o PT conseguiu emplacar apenas duas comissões permanentes na Câmara. Benedita da Silva (PT-RJ) ficou com Cultura e Hélder Salomão (PT-ES) com Direitos Humanos.

A Previdência anda
O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), marcou a primeira reunião da comissão especial responsável por acompanhar a Reforma da Previdência (PEC 6/2019) na Casa para terça-feira (19).

Pensando bem…
…tanto quanto em relação ao caso Marielle, o Brasil precisa saber: quem mandou matar Bolsonaro?

PODER SEM PUDOR
O dia que Iranildo não morreu
Ex-deputado federal cearense Iranildo, conhecido pela coragem pessoal e a língua solta, foi de Juazeiro do Norte e Brejo Santo num carro dirigido por um homem muito valente, da família dos Sampaio de Jardim. Duas horas de conversa, só o chofer falava. Iranildo ouvindo. O homem contou haver matado mais de 30. Disse até que deu fuga ao PC Farias. Já chegando, o motorista abriu o coração: “No dia do seu comício em Missão Velha, onde você lascou a prefeita, fui chamado pra lhe matar. Mas ouvi seu discurso e pensei: ‘Num se mata homem desses. Valente, corajoso, fala bonito.’” A história, claro, é contada por Iranildo, que nunca apresentou o motorista como testemunha.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com