Home Colunistas Coluna do Cláudio Humberto “A Lava Jato não 
pode ser Hitler”

“A Lava Jato não 
pode ser Hitler”

“A Lava Jato não 
pode ser Hitler”

Cláudio Humberto

Senador Romero Jucá (MDB-RR) procurando culpados para sua 
derrota nas urnas

Pesquisas desmentem simulações
Pesquisas divulgadas durante todo o primeiro turno previam, em simulações de segundo turno, que qualquer adversário derrotaria Jair Bolsonaro (PSL). A única exceção era a fraquíssima Marina Silva. Ibope e Datafolha de 4 de outubro apostavam que Haddad (PT) empataria com Bolsonaro (“42% cada”). Mas já na primeiro pesquisa após o primeiro turno, o próprio Datafolha se desmentiu: 58% a 42%.

Vexame no 1º turno
Os institutos de pesquisa foram os grandes derrotados no primeiro turno das eleições. Erraram feio, passaram vexame, e silenciaram.

Foi só incapacidade?
A disputa pelos governos estaduais do Rio de Janeiro e Minas Gerais expôs os erros ou a incapacidade dos institutos de acertar resultados.

Não foi só incapacidade
No 1º turno, o candidato “que qualquer um derrotaria”, Jair Bolsonaro, somou mais de 46%, equivalentes a quase 50 milhões de votos.

‘Vencedor’ sem votos
Os pesquiseiros previam que Ciro Gomes venceria Bolsonaro por 45% a 39%, em eventual 2º turno. Ele teve raquíticos 12,47% dos votos.

Kim insiste presidir a Câmara
O deputado Kim Kataguiri (DEM), 23 anos em janeiro, insiste em presidir a Câmara, ainda que fique impossibilitado de assumir a presidência da República. A Constituição exige idade mínima de 35 anos, mas Kim lembra a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) na sentença em que proibiu que assumam a presidência da República integrantes da linha sucessória que sejam réus em ação no STF.

Precedente
No entendimento de Kim, a decisão do STF abre portas para presidir a Câmara sem assumir a presidência, nos impedimentos do titular.

Outros casos
O princípio beneficiaria outros deputados abaixo do limite mínimo de 35 anos, como Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que tem 34 anos.

PSL reivindica
Segunda maior bancada, com 52 deputados, o PSL também reivindica a presidência da Câmara. Mas falta definir o parlamentar.

Tal pai, tal filho
A Procuradoria-Geral da República denunciou por tráfico de influência o ministro do Tribunal de Contas da União Aroldo Cedraz e seu filho, Tiago Cedraz. A acusação é de que a dupla levou dinheiro para influenciar julgamentos do TCU sobre a usina nuclear de Angra 3.

a Câmara
A bancada do a Câmara dos Deputados deve se tornar a maior bancada, após a posse em fevereiro de 2019. Ao menos 10 deputados já iniciaram conversas para aderir ao partido de Bolsonaro.

Bolsonaro cresce
O popularíssimo prefeito de Salvador (DEM), ACM Neto, que declarou apoio a Jair Bolsonaro, estima que na Bahia o candidato do PSL deve crescer dos 24% de domingo (7) para 35% “pelo menos” no 2º turno.

Reforma diferente
A deputada eleita Joice Hasselmann (PSL-SP) disse em jantar promovido pela XP que Jair Bolsonaro deve, sim, promover a reforma da Previdência. Mas não será a de Michel Temer.

A volta do horário
A propaganda eleitoral gratuita no rádio e TV recomeça nesta sexta (12) para o segundo turno das eleições 2018. As propagandas serão veiculadas de segunda a sábado, em dois blocos diários de 10 minutos.

PODER SEM PUDOR
Gracinhas de deputados
A então deputada estadual Heloneida Studart (PT) combinava entrevista com uma repórter de Brasília, que não a conhecia, e descreveu assim a subcomissão parlamentar da Assembléia Legislativa do Rio que chegaria à capital:
– É simples você nos achar. Sou baixinha, gordinha e bastante sorridente. Já a minha colega Graça Matos (PMDB) é alta, esbelta e muito elegante. O meu colega Leandro Sampaio (PMDB) é gordinho, calvo e bem bonitinho…
Com André Brito e Tiago Vasconcelos
www.diariodopoder.com.br

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com