Home Colunistas Canal 1 Programas religiosos não têm mais o mesmo impacto

Programas religiosos não têm mais o mesmo impacto

Programas religiosos não têm mais o mesmo impacto

TV Tudo!

Abusos à parte, está bem difícil saber até que ponto continua sendo interessante para as diversas igrejas os tantos horários que ocupam nas emissoras de rádio e televisão.
Será que esses programas ainda apresentam alguma funcionalidade? Ou oferecem retorno à altura?
Se nos valermos simplesmente dos resultados que apresentam é certeza que não. Nenhum, entre os muitos que existem, consegue sair do traço, mesmo com as tentativas de alguns em querer anunciar os seus dons extraordinários.
O que se observa é que já existem prejuízos de parte a parte.
Para a Record e IURD em particular, envolvidas há tanto tempo nessa mistura de TV com religião, este já é um problema declarado e admitido.
No caso delas seria, sim, um milagre haver qualquer satisfação, de um lado ou de outro, se a audiência é comprovadamente nenhuma, por exemplo, durante toda a madrugada. Se no passado este modelo chegou a ser interessante e existiram até tentativas de justificar os altos valores envolvidos, agora ele vai se mostrando, a cada dia, mais ineficiente e malsucedido.

Que tal?
Diante de tamanho espaço perdido, cada dia mais jogado fora com esses programas inúteis, não seria mais interessante para as igrejas simplesmente trocá-los por inserções de 30 segundos? E tentar fazer um trabalho de maior qualidade, sem apelação.

Não tem como
Roland Garros está demonstrando como determinadas modalidades esportivas, tênis e vôlei entre elas, só adequam suas transmissões aos canais fechados. Na maioria das vezes os jogos não têm hora para começar ou terminar, algo impossível para as redes abertas, diante dos tantos compromissos de grade.

Ensinamento de sempre
Entre os tantos memorandos que o Boni, nos tempos dele, distribuía na Globo, em um deles chamou atenção para que fossem bem moderados o uso de cores berrantes nos cenários. Que o tom pastel fosse preferencialmente utilizado.

E explicava
Dizia o Boni, que nunca os cenários ou figurinos poderiam chamar mais atenção do que a própria cena. Hoje, lamentavelmente observa-se, este seu ensinamento foi esquecido. Inclusive na própria Globo. Os tons exagerados e desnecessários jogos de luzes, de maneira geral, tomaram conta.

Rádio do Neto
A rádio Craque Neto tem registrado resultados bem interessantes nas transmissões de futebol.
Na maioria das vezes com números de visualizações superiores aos das emissoras convencionais. O recorde, mais de 600 mil, foi no jogo Santos e Corinthians, nas semifinais do Paulista.

E outra…
O pensamento do Neto é, daqui quatro anos, deixar o Brasil e morar em Orlando.
Lá ele já tem alguns negócios, inclusive um Food-Truck, que irá promover em julho, o jogo dos Amigos do Zinho contra os Amigos do Neto. Rivaldo, Chicão, Doni e Renato Abreu, entre outros e além dos dois, já confirmaram presença.

Tamanho Família
Letícia Colin será uma das atrações do “Tamanho Família”, na Globo, no próximo domingo. Ela levou para o programa os pais, Zélio e Analdina, além da tia Adriana Colin – sua inspiração artística.

Canal 1
Flávio Ricco é jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003.
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com