Home Colunistas Canal 1 “Lady Night” de Tatá Werneck não se parece com nenhum outro late show

“Lady Night” de Tatá Werneck não se parece com nenhum outro late show

TV Tudo!

Nem imagino de quem partiu a ideia, mas desde que o “Lady Night”, apresentado por Tatá Werneck, veio a existir, antes no papel e depois na prática, é certeza que nunca passou na cabeça de ninguém fazer algo parecido ao Jô Soares, na ocasião ainda no ar, ou ao que Pedro Bial, Danilo Gentili ou Fábio Porchat continuam apresentando na Globo, SBT e Record.
E se existiu mesmo, como se imagina, o desejo de aplicar, investir tudo no avesso do avesso, foi uma aposta que deu na cabeça.
Em sua terceira temporada, Tatá Werneck está ainda mais solta que nas anteriores e com o programa nas mãos. Também tem levado seus convidados a se despojarem de qualquer insegurança ou cerimônia e se mostrarem como realmente são. Sem qualquer temor, inclusive, de qualquer escrache.
Livre, leve e solto é o clima do começo ao fim.
E tudo parece pensado para acontecer com a maior naturalidade.
Boa também essa ideia da Globo, depois do Multishow, incluir o “Lady Night” na sua programação de férias, a partir de janeiro.

Duas canoas
O ator uruguaio Roberto Birindelli entrou em cartaz no horário nobre da TV aberta e fechada, simultaneamente, a partir desta semana.
É o Tobias, dono do bar em “O Sétimo Guardião”, na Globo, e pai de um adolescente em “Proibido para Maiores”, que estreou ontem, sexta, no canal Prime Box Brazil.

Fora do Carnaval
Depois de 4 anos se dividindo entre Rio e São Paulo no período de Carnaval, Daniela Albuquerque vai passar longe da avenida em 2019. Aapresentadora da Rede TV!, desta vez, irá se dedicar exclusivamente à família nas férias.

Caso na Justiça
Em abril deste ano, a Justiça de São Paulo autorizou que a Santa Casa de São José do Rio Preto realizasse uma transfusão de sangue em um bebê recém-nascido, internado no hospital, em estado grave. Os pais, Testemunhas de Jeová, haviam negado, mesmo cientes do risco de morte. Em decisão do juiz Lavínio Paschoalão prevaleceu “o direito à vida em primeiro lugar”.

Só pra constar
O “Jornal da Gazeta”, em suas últimas edições, tem registrado a entrada de repórteres. Poucos, mas tem.
E todos, mesmo que usando pontos diferentes, sempre dentro do próprio prédio da emissora, na avenida Paulista.

Aniversário
O “Estúdio i”, da Maria Beltrão na Globo News, na presença de vários convidados, passou toda essa semana comemorando os seus 10 anos de exibição. Programa diário, com três horas de duração. Só para os fortes. No caso, uma guerreira.

Amaury
Ney Matogrosso é o entrevistado de Amaury Júnior no programa deste sábado, às 23h20, na Bandeirantes. O cantor, que está lançando o livro de memórias “Vira-Lata de Raça”, entre outros assuntos, fala sobre seu romance com Cazuza e a luta pela liberdade: “Se eu tivesse medo, eles acabavam comigo”. Já no quadro Flashback, uma entrevista com o saudoso Costinha.

Como registro
O Amaury tem apresentado programas muito bons na Band, sempre trazendo convidados interessantes e sintonizado com os principais acontecimentos. O problema dele, nas noites de sábado, se chama Steven Seagal. Iniciar o programa, depois da quebradeira dos filmes dele, é sempre um desafio.

Amigos de infância
Uma entrega de medalhas no Batalhão Tobias de Aguiar, nesses últimos dias, teve Datena e Bacci como homenageados. Os dois ali, lado a lado, brincando e conversando, o tempo todo, sem nada lembrar o curto-circuito de tempos atrás na Bandeirantes.

E a vida?
“Sob Pressão”, do próximo dia 20, vem com assunto dos mais delicados: pais que não liberam transfusão de sangue em filhos por causa de religião. Episódio em que uma menina cai da laje e precisa passar pelo procedimento, mas a religião dos pais, Hamilton (Pedro Wagner) e Vanessa (Roberta Gualda), não permite.

Moda
No capítulo de “O Tempo Não Para”, que vai ao ar na próxima segunda, Marocas (Juliana Paiva) vai lançar sua coleção de roupas, a Kikinico.
E para a ocasião, preparou um desfile que promete parar a Freguesia do Ó.

Bate – Rebate
Após passagem pela Etiópia, com tudo registrado numa rede social, Fábio Porchat retoma gravações na Record na próxima segunda-feira.
José Loreto, Thaila Ayala e Suzana Pires foram escalados pela Globo para a festa do Emmy, em Nova York, na próxima segunda-feira.

Loreto e Ayala estarão na torcida por “Aldo – Mais forte que o mundo”, que concorre na categoria “Filme/Minissérie para TV”.

Por sua vez, Pires irá anunciar os vencedores da categoria “Telenovela”, ao lado do ator americano Steven Bauer. A Globo não concorre nesse segmento.

Roberto Justus se reuniu com Juca Silveira na Band. Está tudo combinado para “O Aprendiz” no ano que vem. Produção ativa e estreia entre março ou abril.

A flexibilização do horário do “Jornal Nacional” é que tem provocado atrasos na entrada de vários programas. O “JN” começa sempre às 20h30, mas nunca tem horário certo para terminar.

Às vezes, 21h15, outras às 21h30, até 21h45. Sobram para o “Jornal da Globo” e “Conversa com Bial” pagar essa conta.

Pouco requisitada na Globo, Glenda Kozlowski vai voltar para o SporTV.

C’est fini
A Record ainda não decidiu o que fazer com Marcos Mion depois de “A Fazenda 10”, cuja final está marcada para o dia 13 de dezembro. O fato é que, a exemplo de Gugu e Xuxa, ele vai precisar se envolver em algum outro projeto, para não ficar tanto tempo parado. O formato “A Casa” pode ser uma possibilidade, mas não há nada de oficial quanto a isso. Então é isso. Mas amanhã tem mais. Tchau!

Canal 1
Flávio Ricco é jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003.
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com